domingo, 30 de janeiro de 2011

Caetano Veloso conta que filhos são evangélicos da Universal

30/01/2011 - 13h25

Caetano Veloso conta que filhos são evangélicos da Universal

O músico Caetano Veloso abriu as portas do seu apartamento no Leblon, no Rio, para a revista Serafina, e conversou sobre família, carreira e política. Entre outras coisas, contou que seus dois filhos mais novos são evangélicos frequentadores da Igreja Universal do Reino de Deus.
Os meninos, Tom e Zeca, são filhos dele com Paula Lavigne, sua última mulher e atual empresária. "Minha geração teve que romper com a religiosidade imposta, a deles teve que recuperar a religiosidade perdida", disse o cantor sobre o assunto.
A respeito do crescente poder dos evangélicos no Congresso e na mídia, relativiza: "A Record não tem mais rabo preso com o bispo do que a Globo tem com o cardeal."
Assinantes da Folha e do UOL podem ler aqui a íntegra da entrevista, feita por Morris Kachani.
Serafina desta semana traz ainda reportagens com a atriz americana Natalie Portman, que protagoniza o filme indicado ao Oscar "Cisne Negro"; entrevista com o jornalista Diogo Mainardi, que fala sobre o filho com paralisia cerebral, e uma conversa entre o craque Ronaldo e o publicitário Washington Olivetto.

Bob Wolfenson/Serafina
Caetano Veloso falou sobre Deus e o mundo e expôs seu particular universo
Caetano Veloso falou sobre Deus e o mundo e expôs seu particular universo

Trecho da entrevista de Caetano publicado na Folha (ivo):-
Caetano tem três filhos religiosos. Sobre Moreno, que tende ao catolicismo, diz: "Se o papa João 23 fosse santo, ele seria devoto". Seus dois filhos mais novos, Tom e Zeca, são evangélicos e frequentam a igreja Universal do Reino de Deus. Sobre um tropicalista gerar filhos evangélicos, Caetano diz: "Minha geração teve que romper com a religiosidade imposta, a deles teve que recuperar a religiosidade perdida".
Caetano diz ser muito bem recebido quando vai assistir a seus filhos tocando nos cultos e afirma enxergar o bem que a religião fez aos dois. Paula Lavigne comenta: "Zeca encontrou um conforto na religião. Qualquer coisa que faça bem aos meus filhos faz bem para mim".
E sobre o crescente poder dos evangélicos, no Congresso Nacional e na mídia, relativiza: "A Record não tem mais rabo preso com o bispo do que a Globo tem com o cardeal".

Nenhum comentário:

Postar um comentário