quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Diário de um angustiado


Diário de um angustiado


"Estou em profunda aflição e as angústias da minha alma me consomem"
O estado árido de meu espírito faz com que meus olhos de tristeza se consumam.

Consomem-se os meus dias em tristeza, e os meus anos em lamento. Minhas forças não existem mais e me sinto no fundo do poço.

Lamento, tristeza, aflição, angustia, desespero e tormento são para mim sentimentos cotidianos que insistem em fazer parte integral de minha história e do meu viver.

Sinto-me árido, aflito, frustrado e incapaz das tarefas mais habituais da vida como cumprimentar alguém, dar um passeio, cumprir as obrigações diárias, ler e até mesmo tomar um banho, em que horror de sentimentos eu me encontro.

Preciso de ajuda, com quem eu posso contar, pois ao observar pessoas percebo que não sou o único que se encontra nessa encruzilhada da depressão com a aflição, quem poderá levantar o meu espírito abatido?

Enquanto escrevia estas palavras sequiosas, fruto de uma alma infecunda de pensamentos sensatos, de um coração estéril de boas emoções, de uma força debilitada de ações proveitosas me deparei com Aquele que transforma a esterilidade em uberdade, que metamorfoseia o tormento em deleite e a agonia em tranquilidade.

E revivi em meu inquieto coração palavras desopressoras que aliviaram a dor da minha alma ajudando-me a retomar com alegria a rotina de uma vida prazerosa.

“As palavras que revivi são:



Ó Deus, tu és

o meu Deus forte;

eu te busco ansiosamente;

a minha alma tem sede de ti;

meu corpo te almeja,

como terra árida, exausta,

sem água.

Assim, eu te contemplo no santuário,

para ver a tua força

e a tua glória.

Porque a tua graça é melhor

do que a vida;

os meus lábios te louvam.” Sl. 63.1-3.



E ainda,



“Eu, porém, cantarei a tua força;

pela manhã louvarei com alegria

a tua misericórdia;

pois tu me tens sido alto refúgio e proteção

no dia da minha angústia.” Sl. 59.16



“Porque não passa de um momento

a sua ira;

o seu favor dura a vida inteira.

Ao anoitecer, pode vir o choro,

mas a alegria vem pela manhã”. Sl. 30.5



Termino esse meu dia cheio de esperança, consolo e força revigorada porque o Senhor é meu alto refúgio.

Deitar-me-ei e pegarei no sono, porque o Senhor me sustenta.

Ah! Quem sou eu? O Rei Davi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário