sábado, 26 de fevereiro de 2011

O QUE É VIRGINDADE?


O QUE É VIRGINDADE?


Pr José Francisco Veloso
Quando escrevemos sobre este assunto, 95% de nossas emoções e intelecto
mira o sexo feminino. Raramente falamos ou escrevemos sobre a perda da
virgindade masculina porque muitos se comportam como xiitas, sunitas,
saduceus ou fariseus quando falamos do assunto; e o alvo é quase sempre a
mulher!


Alguém já leu algo sobre a perda da virgindade masculina? Ela não

chama atenção porque não sangra, não dói e não deixa marcas físicas e
existenciais. Até mesmo porque este assunto pouco é abordado em nossos
púlpitos e outras atividades eclesiásticas. Em muitas igrejas o comportamento
é hipócrita; digo por que: quando um rapaz se converte, ninguém questiona o
fato dele “estar vindo do mundo”, porque num lugar onde tem muita mulher e
pouco homem, este tipo de chegada é uma benção, mas quando é mulher
( tenha a idade que tiver), sabe-se que não é mais virgem, é “experiente” (
concorrência desleal) e mais na frente será infiel. O homem não? A Wikipédia
diz isto do hímen: “é uma película dérmica presente na entrada da vagina. É
impermeável, e normalmente possui uma abertura anelar, por onde são
eliminadas secreções e a menstruação. Em certos casos, a abertura é muito
estreita ou pode não existir, requerendo intervenção cirúrgica para evitar a
retenção de líquidos.


O hímen existe em certos mamíferos para proteger as

fêmeas durante a sua infância dos riscos de infecções genitais. Daí
durante esta fase da vida das meninas, ser uma membrana relativamente
espessa e resistente, no entanto com o aproximar da puberdade essa
membrana torna-se muito fina e pouco resistente. Durante muito tempo a
presença do hímen foi erradamente considerada um símbolo de virgindade,
honra e pureza entre os mais tradicionalistas. No entanto, há casos em que
não há rompimento da membrana: quando o hímen é inexistente por razões
congênitas (nascem sem hímen); quando existe um orifício único no hímen e
este é largo; quando o hímen é complacente, ou seja, sua constituição é mais
elástica do que o comum, ajustando-se ao diâmetro do pênis e após o coito
volta ao estado original, podendo só se vir a romper num coito
mais "apressado" em que a lubrificação e/ou dilatação não é a ideal ou mesmo
só num parto.”


A perda da virgindade não se dá na primeira vez, mas sempre

que o comportamento moral muda para pior. Lembram que antigamente o
homem fazia mal ( só ele fazia) à mulher e isto levava ambos ao casamento
na delegacia? Certa vez eu fui fazer uma palestra para adolescentes de uma
igreja na casa de uma das jovens. O tema: não tinha tema e o alvo era
responder perguntas, qualquer pergunta. Venci minha timidez (?) e fui. A
terceira pergunta foi: “ fazer sexo anal e oral, preserva virgindade?” Todos
concordaram com a pergunta “porque conheciam alguém que fazia isto se
guardando para a primeira noite!” Eu disse que atos de sexo não tem nada
com o hímen preservado, porque sexo é antes de tudo algo moral! Qualquer
contato físico que leva ao prazer sexual fora do casamento é desvirginador
porque isto se dá na mente e deixa uma cicatriz na alma dele e dela. Nem
ela e nem ele podem ser tratados como objetos!


O que um casal deve oferecer

um ao outro na cama pela primeira depois do casamento, é mais do que
gozo, mas um início de prazeres vários e mutáveis pelos anos de vida! Mas
um dos jovens perguntou: “ suponhamos que aqui neste grupo tenha gente
que perdeu a virgindade de alguma maneira; está impuro diante de
Deus?” Respondi: “ está até o momento em que pede perdão
sinceramente, do fundo do coração!” Claro que neste espaço não dá para
detalhar duas horas e meia de papo e nem sempre você achará acordo com
todos; mas de uma coisa estejam certos: sendo honesto com eles e não
fugindo de respostas firmes, ganhamos a confiança e simpatia deles. E os
teremos sempre por perto, o que é importantíssimo para o crescimento destes
jovens!

Nenhum comentário:

Postar um comentário