terça-feira, 29 de março de 2011

Aprendendo o chinês.



De: Pastor Ademir Massuia.

Gente de Deus,

Ao primeiro contato com a língua chinesa vem-nos a absoluta certeza de nunca entenderemos uma palavra sequer - seja escrita ou falada.

Eu sugiro que você tire isso da cabeça.

Mas, é certo que se você amar o povo chinês, as portas se abrirão. O Senhor abre para você, como tem sido comigo.

Tentei penetrar no mistério porque gosto de mistério e gosto dos chineses. E descobri coisas. Já disse algumas em mensagem anterior, mas, agora, no Brasil, com mais tempo, inicio esclarecimentos que podem ajudar você a se interessar pelo estudo da língua. E certamente vai-me motivar a continuar pesquisando e estudando.

Esclarecendo o porquê de tanta dificuldade.
Em primeiro lugar é diferente mesmo, e carece de estudo, como qualquer outra língua.

O processo de aprendizado de uma criança chinesa (elas falam bem o chinês) é o mesmo de uma brasileira (falam bem o português).

É preciso ouvir com atenção. Muito. Deixa os sons entrarem em sua cabeça. Se você gosta de chinês, de estar entre eles, como eu, então a porta está aberta.
Depois de estar falando, vem a alfabetização. É o mesmo que ocorre conosco. E com qualquer outra língua falada.

Mas, vamos entender algo diferente em relação ao português.

Mandarim

O chinês que deve interessar a você é o Mandarim. Trata-se da língua falada em Pequin, a capital. Eles falam bem, os outros se esforçam.
O chinês falado em Hong Kong é outro. E, em cada cidade fala-se uma língua diferente. Então, você poderá estar ouvindo taiwanês, cantonês, Xangainês. Mas o que interessa é o Mandarim, que é a língua oficial.
A escrita é a mesma - acredite, acredite, acredite!

É difícil acreditar, mas é verdade: Eles falam línguas diferentes, lendo o mesmo texto.

Eles escrevem a mesma coisa, mas lêem e falam diferentes línguas.
Então, a língua escrita deles é a mesma, mas a falada é diferente.
Quando eles assistem televisão, o repórter fala em Mandarim e o texto vem escrito embaixo, na tela. E todos lêem a legenda e entendem. Igual você no cinema, com filme legendado, seja em inglês, francês, chinês.

A Escrita em chinês corresponde ao sentido do objeto e não ao modo como se fala - é por isso que cada um pode ler em sua língua sem mais problemas.
Entendeu? Não?

Se não entendeu é normal. Muito mesmo.

O mistério está em nossa língua. Observe que quando você escreve uma palavra em nossa língua, você escreve o que fala. Então você escreve o fonograma. E se alguém ler terá que ser do modo certo, falando como fala quem o escreveu.

Então, você pode ler uma palavra que você não sabe o sentido. Exemplo: Hebdomadário. Parabéns se você souber. Trata-se de jornal ou revista que sai uma vez por semana. Você está acostumado com diário, que é a mesma coisa que jornal.

E você pode escrever uma palavra que você sabe pronunciar, mas não sabe o sentido. Exemplo: Mococa. Significa "Minha Casa".

Isso é porque nossas regras de pronúncia são bem definidas.
O que você escreve, então, é o mesmo que pronuncia, quando fala.

E em chinês?

Bem, eles escrevem o sentido, não a pronúncia. Eles escrevem o ideograma, não o fonograma. Então, no ideograma chinês (aquelas coisinhas complicadas são ideogramas, não são palavras) você tem o sentido, não a pronúncia.

Difícil?

Vamos facilitar a coisa: Suponha que você está ao lado de um inglês, um francês e um espanhol e na frente de vocês tem um cachorro.
Você aponta e diz: cachorro.

O inglês diz: dog.
O francês diz: chien.
O espanhol diz: perro.
E o animal é o mesmo!

Se alguém desenhar um cachorro, cada um vai repetir a palavra que corresponde ao animal. O desenho contém a idéia de cachorro, embora seja apenas papel e tinta.

Entendeu?

Vamos melhorar ainda mais e você vai enteder: O chinês pegou o desenho do cachorro, há muito tempo, e o estilizou, de modo a ficar um traço mais simplificado. E, depois de muitas mudanças, ficou o ideograma que hoje é usado.

Então, cada um pode ler em sua própria língua, porque o ideograma contém a idéia, não o que tem que ser falado (fonograma).
Então, se você decorar o ideograma você pode ler em portugês, do mesmo modo que eles lêem em chinês. Acredite!

Acredite, eles lêem o mesmo texto escrito, cada um na sua língua faladas. Mesmo o japonês lê o mesmo texto escrito por um chinês, sem saber falar chinês.

Decorar os ideogramas

Então, se você decorar o ideograma e seu sentido, você pode ler em português. Tchan! Demais!

E é fácil de decorar, sobretudo depois que você entende como é construído.
É igual em português. Você sabe que fica mais fácil escrever "abacate", depois que aprende a escrever o "a", "b", "c", "t", "e". É lá na escola primária.
E os chineses têm isso para os ideogramas?

Sim, mas não são letras. São traços. E têm nome. Cada traço tem nome.
Lembre-se que você aprendeu o abcd. Quatro letras.

Pois eles têm os quatro primeiros traços, também. Ran, Chu, Pié, Ná.
Com nossas 26 letras do alfabeto nós escrevemos qualquer palavra.
Eles tem uns quarenta traços e com eles desenham qualquer ideograma.
E aqui começa a diferença, porque você aprende a escrever o que fala e ele aprende a escrever o sentido do que fala.

Qualquer um pode ler, em sua própria língua, o que ele escreve, pois trata-se de um ideograma.

Aquilo que você escreve só vai ler quem falar a mesma língua. Pelo menos para ler direito.

Se alguém ler uma palavra que você escreveu em português, não sendo brasileiro, ele poderá entender coisa muito diferente.

Por exemplo: "pretender", em português, significa "ter a intenção". Em inglês siginifica "fingidor".

Em chinês isso não é possivel. Se o sentido é diferente, então o ideograma é outro.

Dica:

Se você pegar a cartilha deles, a primeira usada nas escolas, e aprender os primeiros traços, a coisa vai ficar interesante, motivadora.
Aí, você combina os traços, na sequência certa, e aparece o ideograma. E fica fácil guardar o ideograma na mente, depois que você o fez repetidas vez. E é legal demais.

Tem até lance de pincéis, tinta, arte. Coisa chique!
Quando você ver numa revista, numa placa de rua, num restaurante, o ideograma que já conhece, buf! Vai saber na mesma hora o que significa. É lindo demais!

E você não sabe falar chinês!

Depois aprende.

Agora, durma com um barulho desses
Os adultos não mais se lembram do nome dos traços, mas sabem desenhar os ideogramas. E, claro, só conseguem desenhar os ideogramas que decoraram. Se ficam muito tempo sem desenhar certo ideograma, eles esquecem e fica difícil lembrar.

Mais ainda.Se para você é difícil entender como pode ser uma coisa dessas, imagine como para o chinês é difícil entender a nossa língua.
Então, a criança chinesa tem que ser alfabetizada na língua dela e tem que aprender nossas letras, as vinte e seis, também.

E eles levam dez anos para aprender o inglês que nós aprendemos em dois anos. Mais ou menos. É muito difícil para eles.

Vantagem deles

Eles escrevem chinês à mão, como nós escrevemos o português. Até aqui tudo igual.

Mas, ninguém mais escreve à mão, seja no Brasil ou na China. A galera toda escreve com o computador.

É difícil escrever em chinês, no computador, empregando os traços para compor o ideograma. Poucos sabem.

Então eles criaram um processo muito inteligente para resolver o problema. O Pinin.

O Pinin (pronuncia-se mais ou menos assim) é um conversor de pronúncia chinesa para as 26 letras de nosso alfabeto.

O chinês tem que saber a pronúncia do que quer dizer e ele aprende a escrever essa pronúncia usando o mesmo teclado que o americano usa.


Como?

Ele tem que aprender o "Pinin", isto é, o modo que o ideograma é escrito com letras ocidentais.

Quando ele começa a digitar no teclado aparece, no monitor, as opções em caracteres chineses.
Então, ele escolhe qual corresponde ao que deseja, clica em cima e está escrito.

Por exemplo: Jesus é Yesu, em chinês
.
Você digita "yesu" e aparece a opção. Você clica em cima da opção e pronto, está escrito. Levaria tempo para você escrever à mão.

Então, se você aprender o Pinin para as palavras que deseja, você escreve em chinês, sem saber falar chinês.

Se você tiver disponível um dicionário inglês-chinês e souber falar inglês, então você pega a palavra correspondente em chinês e como se escreve com o Pinin.
Você digita no teclado o Pinin da palavra e aparece a opção. Você escolhe e buf! Escreveu em chinês. Confere com o que está no dicionário, e pronto.
Pregando em chinês, sem intérprete, logo na primeira semana
Você tem o convite, tem alguém que leva você lá e que apresenta você. E agora tem que pregar. O que fazer?

Você, sabido, sabida, já escreveu a mensagem em inglês e já passou para o chinês. Está no lap-top.

Você projeta pelo multimídia a mensagem em chinês.
Fala em inglês, ou português, ou francês - não faz diferença para eles, e vai clicando à medida que fala. Eles vão entender muito bem. É o que eles fazem o tempo todo, pelo fato de que têm a mesma língua escrita, mas falam de modo diferente. Pelo menos os textos bíblicos são sempre projetados e eles mesmos fazem a leitura conjunta. É o costume.

Se você fala só o português (que pobreza), mas tem o dicionário português-chinês, também dá certo. O difícil vai ser se entender na rua, com o motorista de táxi, com seu guia. Ninguém fala português naquelas terras. Um intérprete portugês-chinês ganha o triplo de um intérprete inglês-chinês, justamente porque são raros.

Olha aí a chance, galera! Rsrsrsrsrs!

Se você aprender a importante lição que é melhor usar o texto bíblico já escrito, ao invés de ficar filosofando no púlpito, então você vai pregar bem na China. Eles vão entender bem, pela leitura do texto. E não vai haver confusão.
Vai por mim - fica difícil explicar o milagre da cura da mulher do fluxo de sangue com sua intérprete tentando explicar o que você quer dizer.

E eles estão acostumados a ler o texto bíblico sempre que você o menciona, mesmo no meio da mensagem. Que bênção!

Peguei uma intérprete que não sabia o que era um jumento. E a "Entrada Triunfal em Jerusalém" quase não ocorre!

Tentei "donkey", ela não sabia. Experimentei "ass", ela não sabia. Fingi ser o quadrúpede, imitei as grandes orelhas com as mãos, zurrei. A mensagem ficou engraçada.

Se soubesse que a minha gentil intérprete era nova convertida, eu teria mostrado o texto bíblico para ela ler.

Nos próximos textos eu dei para ela ler. E foi bom!

Falando

Se você conviver com quem fala o Mandarim, está resolvida a questão. Gente que fala bem o Mandarim.
Você imita, mas imita mesmo, nos detalhes, e vai aprender. Dá certo.
Olha que você não pode aceitar falar com sotaque, do seu jeito, mais ou menos. Não faça isso.

Você tem que repetir igualzinho.

Sabe por quê?
É porque a língua deles é tonal. E a nossa não é.
Então, se você não falar igualzinho, você estará falando outra palavra, sem o saber.

Esta é a parte mais difícil, segundo creio. É preciso ouvir e ouvir muito.
Depois de um tempo a coisa fica natural. Você compreende os diferentes tons. Mas, no começo, a coisa é difícil.

E o trágico é que o chinês, quando quer ensinar o chinês para você, ele quer que você entenda os tons, logo de início.

É como você iniciar a carreira de alpinista escalando o Monte Everest.
É por isso que parece tão difícil.

Difícil para falar porque a língua é tonal.
Difícil para escrever porque é ideograma.
Mas, mesmo essas dificuldades tornam-se vantagem, depois que você entende que elas existem.

E, para encerrar, deixo-lhe a certeza de que o Amor é o caminho para aprender qualquer língua. Amar as pessoas, o povo, o país, a cultura, as tradições. Gostar de estar com eles.

Isso vale para qualquer língua, qualquer povo.

Glória a Deus!

Massuia

2 comentários:

  1. Brasil e China são grandes parceiros comerciais e ambos possuem muitas oportunidades de negócios. Para aproveitar da melhor forma possível esta troca de informação, é necessário conhecer muito bem a língua, a cultura e as formas de negociação que cada país apresenta. Sou brasileiro e atuo como intérprete mandarim - português - inglês, atendendo empresários brasileiros que vêm à china para participar de feiras (canton fair - feira de cantão) ou visitar fábricas e fornecedores. Moro na China a 3 anos e tenho um vasto conhecimento na geografia física e econômica da china, trabalho com importação e exportação, auxilio brasileiros que queiram fazer negócios com empresas chinesas. Sou certificado com o teste de proficiência de chinês com ênfase em vendas e negociação, estou utilizando a fluencia do chines para estar aplicando no meu trabalho. Faço pesquisas para achar fornecedores, auditoria de fábricas, controle de qualidade, inspeção de embarques e sourcing de produtos diversos.
    • Assessoria para negócios internacionais
    • Representação de empresas internacionais
    • Prospecção de fornecedores
    • Assessorias acompanhamento de todo o processo de importação e exportação
    • Participação de feiras internacionais
    • Acompanhamentos viagem de negócios, visitação aos fornecedores e fábricas
    • Negociação em Chinês (Mandarim), Português e Inglês
    • Serviço de Tradução e Intérprete

    Estou a sua disposição e pronto para começar uma parceria de sucesso. Para melhores informações entre em contato comigo ou acesse o site.

    Theo Paul Santana (张飞)
    Telefone: +86 1500-399-2705 - +55 47 9977-9011
    E-mail:theops2@gmail.com – Skype: theops2
    http://imandarim.blogspot.com/
    http://imandarim.tumblr.com/

    ResponderExcluir
  2. Estou repassando a amigos interessados em fazer negócios com produtos chineses.

    ResponderExcluir