segunda-feira, 21 de março de 2011

UM HOMEM DE ORAÇÃO CHAMADO JESUS



UM HOMEM DE ORAÇÃO CHAMADO JESUS

Durante a sua encarnação, Jesus teve as limitações físicas que todo ser humano tem. Ele dormia (Mateus 8.24), tinha fome (Mateus 21.18), se cansava (João 4.6) e tinha sede (João 19.28). 

Teve também limitações intelectuais. Ele crescia em conhecimento (Lucas 2.52), adquiria conhecimento pelas observações (Marcos 11.13), adquiria conhecimento pelas perguntas (Marcos 5.9,30; 8.5,23; 9.16,21), e por si próprio não tinha sequer conhecimento do futuro (Mateus 24.36). 

Teve também limitações morais. Como qualquer homem, Ele foi tentado (Mateus 4.1; Lucas 4.1; Hebreus 2.18; 4.15), sendo que Deus não pode ser tentado (Tiago 1.13). 

E, finalmente, Cristo teve também limitações espirituais. Muitos acham que Jesus venceu, por causa da sua divindade, mas nós sabemos que Ele venceu, porque se tornou um homem de oração, consagrado e obediente a Deus, até a morte e morte de cruz (Filipenses 2.8). Lucas nos narra alguns momentos da vida de oração de Jesus:

E aconteceu que, ao ser todo o povo batizado, também o foi Jesus; e, estando ele a orar, o céu se abriu, e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea como pomba; e ouviu-se uma voz do céu: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo (Lc 3.21,22). 
 
Porém o que se dizia a seu respeito cada vez mais se divulgava, e grandes multidões afluíam para o ouvirem e serem curadas de suas enfermidades. Ele, porém, se retirava para lugares solitários e orava (Lc 5.15,16).
 
Naqueles dias, retirou-se para o monte, a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. E, quando amanheceu, chamou a si os seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos (Lc 6.12,13). 
 
Cerca de oito dias depois de proferidas estas palavras, tomando consigo a Pedro, João e Tiago, subiu ao monte com o propósito de orar. 29 E aconteceu que, enquanto ele orava, a aparência do seu rosto se transfigurou e suas vestes resplandeceram de brancura. (Lc 9.28,29)

Ele, por sua vez, se afastou, cerca de um tiro de pedra, e, de joelhos, orava, 42 dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, e sim a tua (Lc 22.41). E o versículo 44 diz: E, estando em agonia, orava mais intensamente
 
Quanto mais agoniado Jesus ficava, mais intensa era sua oração. Agora me responda: Jesus estava fingindo ou Ele orava porque realmente precisava da intervenção de Deus? O servo é maior do que o seu senhor? Você acha que vai vencer sem ser um homem ou mulher de oração? Jesus se tornou homem para vencer e nos ensinar como vencer. 

Lembre-se das palavras de Jesus a Pedro: “...nem uma hora pudestes vós vigiar comigo?” (Mateus 26.40). Domingo, nos foi apresentado, um projeto do Espírito Santo, chamado “nem uma hora”, que é orar no mínimo, uma hora por dia, em qualquer parte do dia e com objetivos específicos. Pense sobre isso, e seja muito mais do que vencedor, sendo um homem (ou mulher) de oração, como foi o nosso Senhor.

Bispo Sandro
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário