quinta-feira, 7 de abril de 2011

UMA CORRENTE AO REDOR DO PESCOÇO



De tanto exigirem adoração dos seus seguidores, os falsos apóstolos e profetas da atualidade vão acabar se devorando mutuamente, pois cada um deles se considera mais “santo” e merecedor da adoração dos seus discípulos, sendo, todos estes, vítimas da ignorância bíblica.

Agora o René Terranova está permitindo que os membros de sua “sinagoga carismática” lhe beijem os pés, numa atitude de adoração, o que, diante de Deus, se constitui numa tremenda blasfêmia, pois somente o Senhor Jesus Cristo deve ser adorado.

Nessas “igrejas”, que aderiram às “Colheitas” de Rick Joyner, aos “Propósitos” de Rick Warren, ao Movimento em Células, de Yong Cho, ao Movimento dos Apóstolos e Profetas (cujo líder máximo no Ocidente é Peter Wagner) e às visões dos milionários pastores ocultistas, (pró-Roma), Roberto Schüller, Benny Hinn, Kenneth Copeland e outras centenas de demagogos, tudo é válido... Contanto que esteja na moda e consiga inflar o “ego” dos crentes, para que haja bons dividendos!

Isso não quer dizer que nessas igrejas apóstatas não existam santos de Jesus. Existem, sim. Nelas existem santos, que são muito mais dedicados ao Senhor do que eu mesma. Infelizmente, porém, esses amados santos estão sendo dirigidos por pastores ignorantes e/ou vendidos ao movimento profético e apostólico americano, sem a capacidade de discernir entre o bem e o mal, até que o infalível Espírito Santo se compadeça deles e os retire desse tipo de babilônia “evangélica”.

A “espiritofilia” (invocação do Espírito Santo a todo momento) criada por essa gangue religiosa já se transformou numa epidemia e tem contaminado vários cristãos, independente do seu status financeiro e cultural. A manifestação da “espiritofilia” consiste na pronunciação dos oráculos bíblicos: ‘Deus me falou’, ‘o Espírito me revelou’, ‘eu senti de Deus’, ‘eu tenho uma palavra profética’, com o propósito exclusivo - diferente do propósito dos profetas do passado - de obter algum benefício pessoal.

Os “pastores” mais ricos do mundo (americanos e brasileiros), que são proprietários mansões em Manhattan ou Beverly Hills, e se assentam em literais tronos de ouro, são os que têm mais visões e revelações “divinas”. Como diz o escritor Dene McGriff, cujo livro “Recognizing the Deception” foi por mim traduzido:

“Os cristãos poderiam ser desculpados por acreditarem que as igrejas em células [e as Meta-Igrejas isto é, Com Propósitos] constituem ... um método recomendável... porém espero que vocês peçam que o Senhor lhes dê a verdadeira revelação, à medida que vocês forem lendo estas simples palavras de Efésios 3:14-21:
Por causa disto me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome, para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior; para que Cristo habite pela fé nos vossos corações; a fim de, estando arraigados e fundados em amor, poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus. Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre. Amém”.

Crente que freqüenta igrejas carismáticas barulhentas, nas quais o pastor se limita a falar de suas “visões” e das “entrevistas” que teve com o Senhor, deixando os leigos encarregados do trabalho, do “louvor” e das contribuições financeiras, acaba se extraviando. Quando um pastor não exige que os membros de sua igreja leiam e pesquisem bastante a Palavra de Deus (o que não fazem, com medo de perder seus lucros) ele está encaminhando esses cristãos à larga estrada da apostasia, aconselhando-os aceitarem e dirigirem suas vidas pelas falsas doutrinas dos autores de bestsellers enganosos.

Prosseguindo com mais uma citação de McGriff:

“Nascemos de novo” na família de Deus, quando o nosso homem interior é fortalecido através do Seu Santo Espírito. A passagem de Efésios nada fala a respeito de ir à igreja, participar de programas, de estrutura hierárquica, ou mesmo de reuniões, mas de um relacionamento com Deus e com o próximo. Se cada membro tiver esse relacionamento com Cristo, Ele fará fluir vida de um membro para o outro. Somente quando um membro tem esse relacionamento com Cristo é que ele flui vida e amor entre os demais e, então, podemos compreender com todos os santos o amor de Cristo. Ela não diz que o pastor ou o líder do grupo... faz tudo isso, nem ainda que apenas devemos segui-lo. Mas que o corpo exige que todos os membros funcionem [conforme os dons que Deus lhes deu] e permitam que a vida de Deus flua através do corpo. Deus não é glorificado por um super-star pregando para grandes multidões, mas no funcionamento de cada membro do Seu corpo corporativo - a Igreja. Você recebe vida diretamente do Senhor, por estar diretamente conectado ao corpo de Cristo e aos demais membros vivos”.

A “igreja” não é o prédio onde os crentes se reúnem para cantar, gritar, dançar, entregar dízimos e ofertas, etc. A “Igreja” é a reunião de todos os crentes realmente nascido de novo pela graça de Deus e pela convicção do pecado, da justiça e do juízo, que nos é dada pelo Espírito Santo. É bem provável que nem 10% dos freqüentadores de igrejas sejam realmente “nascidos de novo”, pois, levantar o braço, participar dos cultos e entregar dízimos e ofertas não é prova de conversão. Convertido é o crente que tem prazer na leitura da Bíblia, que leva uma vida meridianamente reta diante de Deus e da sociedade e, sobretudo, que tem um amor verdadeiro pelo Senhor e compaixão pelas almas perdidas. Em certas igrejas, já escutei os pastores pedindo dinheiro e aconselhando: “Façam prova da fidelidade de Deus... Esqueçam as contas de energia elétrica e telefone e dêem cheques pré-datados, mas contribuam bastante para a Sua obra!” Esses “caras de pau”, com nariz espiritual de Pinóquio, esqueceram Romanos 13:7-8, que diz: “Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra. A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei”.

Amados em Cristo: fujam de qualquer igreja que exija dízimos e ofertas, que tenha bancas exibindo livros de autores duvidosos, ou os aconselhem a ler os livros de Wagner, Warren, Richard Foster e sua turma milionária... Seus pastores se venderam aos líderes da apostasia religiosa americana e estão conduzindo milhares de crentes ao engodo. Nunca abandonem a leitura da Palavra Santa, para ficar lendo esse lixo espiritual, pois se vocês continuarem no engodo eclesiástico, certamente irão passar por muitas dores e sofrimento, por causa de sua falta de discernimento bíblico. Ser crente carismático é como ser católico papista, o que significa ter uma corrente ao redor do pescoço.

Mary Schultze, 07/04/2011 – www.maryschultze.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário