domingo, 12 de junho de 2011

HÁ UMA ÚNICA IGREJA

HÁ UMA ÚNICA IGREJA

Hoje, 11 de junho de 2011 | Fábio Falcão 

Para viver e trabalhar em harmonia com os pensamentos de Deus, precisamos antes ver as coisas do Seu ponto de vista. Qual é este ponto de vista? É este: quando Deus olha para baixo, do céu, Ele não vê milhares de "corpos de Cristo". Ele vê apenas o Seu único corpo. A Bíblia afirma especificamente que "...há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos" (Ef 4:4-6). Há realmente uma única Igreja. Este é o ponto de vista de Deus. Enquanto nós, do nosso ponto de vista terreno, podemos ver as muitas divisões, "igrejas", denominações, seitas etc., que dividem o corpo, na realidade ele é somente um. 

Sem dúvida, Deus concebe que esses diversos segmentos existem. Ele deve estar ciente deles. Entretanto, quando olha para a Terra, Deus vê somente uma Igreja, uma Noiva. Portanto, para trabalhar em harmonia com Ele, precisamos adotar o Seu ponto de vista. Também precisamos começar a ver a Igreja como uma só.

À medida que caminha com Ele, você deve notar que Deus, embora esteja ciente das divisões dentro de Seu corpo, visita cada uma de suas partes. Ele ama cada um de seus membros, ama todos eles. Ele ministra a cada grupo, igreja e denominação. Seu cuidado amoroso, Sua abundante graça, Seu poder para libertar e curar e Sua obra de santificação estão disponíveis para todos, sem exceção.

Realmente, quase todo grupo de crentes verdadeiros - não importa qual seja a posição doutrinária deles, os costumes, as práticas ou ênfases tradicionais – experimenta a presença de Deus de um modo ou de outro. Portanto, podemos perceber que nosso Senhor visita e compartilha de Si mesmo em qualquer grupo de cristãos abertos a Ele e prontos a receber Dele. Ele não é limitado por divisões; não é interrompido por muros doutrinários; não é impedido por práticas peculiares. Ao contrário, Seu amor O compele a ministrar a todos, usando qualquer abertura disponível.

Não há dúvida de que essas divisões O aborrecem. É bem provável que Ele desejasse que as coisas fossem diferentes. É certo que tais facções são contrárias à Sua vontade manifesta. Entretanto, à Sua maneira humilde, Jesus visita e compartilha de Si mesmo com cada pequena parte do corpo de Cristo.

Vamos considerar isso muito cuidadosamente. Já que nosso Senhor se comporta desse modo, como é que devemos nos conduzir? Somos melhores do que Ele? Somos mais santos do que o Espírito Santo? 

Podemos nos separar dos outros porque eles são causadores de divisão? Temos a permissão Dele para sermos mais discriminadores, ao decidir a quem iremos ministrar, ou não; com quem teremos, ou não, comunhão? Certamente a resposta para isso deve ser "NÃO".

Portanto, precisamos adotar a perspectiva de Deus quando tomamos a iniciativa de trabalhar com Ele na construção de Sua Noiva e de Sua Igreja. Os outros podem ter suas divisões, no entanto nós não devemos ter nenhuma. Alguns podem ter seus muros e barreiras, mas para nós isso não deve existir. Muitos podem se isolar do resto do corpo, criticando os outros e sentindo-se superiores por causa de seus entendimentos, suas lideranças ou suas práticas. No entanto, para aqueles que são íntimos de Cristo, essas coisas não deveriam impedir que eles amassem e servissem a qualquer irmão.

Hoje em dia é impossível quebrar todas as diversas barreiras de separação que existem no corpo de Cristo. Não podemos eliminar todas as divisões. O problema é grande e difundido demais. 

Entretanto, existe um lugar onde podemos eliminar todas essas tais barreiras. Há somente um lugar onde toda divisão pode cessar de existir - em nossos próprios corações. Sendo cheios do amor de Deus e motivados por ele, podemos adotar o Seu próprio ponto de vista. Podemos deixar para lá esses impedimentos criados pelo homem e, então, quando e onde pudermos, ministrar Jesus Cristo a cada pessoa do Seu povo.

Nós, povo de Deus, somos livres. Somos livres para amar a todos. Somos livres para receber todos, abraçar a todos, servir a todos e até mesmo nos encontrarmos com todos. Nossa atitude para com cada membro do corpo de Cristo e até mesmo para com as diversas reuniões de Seu povo, podem ser as mesmas atitudes de Deus. Podemos amá-los e ministrar Cristo a eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário