terça-feira, 30 de agosto de 2011

Parábola das Dez Virgens e suas interpretações.

-->
MATEUS 25:
1 "Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do noivo e da noiva. 
2 Cinco delas eram insensatas, e cinco prudentes. 
3 Ora, as insensatas, tomando as lâmpadas, não levaram azeite consigo. 
4 As prudentes, porém, levaram azeite em suas vasilhas, juntamente com as lâmpadas. 
5 E tardando o noivo, cochilaram todas, e dormiram. 
6 Mas à meia-noite ouviu-se um grito: Eis o noivo! saí-lhe ao encontro! 
7 Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas. 
8 E as insensatas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas estão se apagando. 
9 Mas as prudentes responderam: não; pois de certo não chegaria para nós e para vós; ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós. 
10 E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o noivo; e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta. 
11 Depois vieram também as outras virgens, e disseram: Senhor, Senhor, abre-nos a porta. 

12 Ele, porém, respondeu: Amem, e eu vos digo, não vos conheço." 



Sobre o texto da Parábola da "Dez Virgens" temos o seguinte:-

Há pelo menos duas correntes de interpretação:


1. Totalista - Segundo essa corrente, os capítulos 23, 24 e 25 não se referem à Igreja, referem-se à Grande Tribulação.


2. Parcialista - Essa corrente crê que só subirão os crentes que estiverem preparados para o arrebatamento.

A segunda corrente enfrenta alguns problemas como:-

a. A narrativa do apóstolo Paulo em I TESSALONICENSES 4. 16, 17, onde diz "os que morreram em Cristo" - "Os que ficarmos vivos". Os termos "os" significa "todos" e não apenas alguns.

"Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor."

a. As palavras do Senhor às virgens néscias são muito fortes:- "Em verdade vos digo que não vos conheço". Todos os salvos são conhecidos do Senhor conforme João 10.14 "Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido".


Essa corrente também admite que apenas aqueles que morreram preparados, cheios do Espírito Santo, irão participar do arrebatamento e do Reino Milenar de Cristo. Embora ausentes da ressurreição que antecede o grande arrebatamento e o milênio, serão participantes do Eternidade com Cristo, ressurgindo em uma "ressurreição especial".

Somos favoráveis à primeira corrente de interpretação pelos motivos abaixo:-

a. O livro de Mateus foi endereçado originalmente aos judeus. Então o texto da parábola de Jesus é dirigido especialmente aos judeus e israelitas. Essa passagem também não se encontra nos outros três evangelhos.

b. O texto retrata a cerimônia de um casamento judaico aonde o noivo vem buscar a noiva e a torna sua esposa no ato nupcial em que atesta a sua virgindade, o que leva algum tempo, para depois retornar para a festa das bodas.

c. Jesus desposa a noiva, a Igreja (salvos de todos os tempos), e não as noivas, termo que não aparece e sim virgens ("noivinhas") que são acompanhantes das festas. Tomar a Igreja como as dez virgens apresenta-se como uma poligamia.

Meus comentários:-

O texto se refere à nação de Israel compreendendo as doze tribos no final dos tempos e da Grande Tribulação; após o tempo da "Graça", portanto. Também é uma cerimônia tipicamente judaica ou israelita. Isso é reforçado pela expressão: "...com o noivo e a noiva" (v.1), encontrada em alguns manuscritos. Vide a versão Peshita: "Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao 

encontro do noivo e da noiva". 

O contexto bíblico da parábola localiza-a no final da Grande Tribulação (vide os dois capítulos anteriores), isto é, na segunda vinda de Cristo à Terra que não deve ser confundida com o Arrebatamento da Igreja e dos salvos.


Como texto paralelo podemos tomar Lucas 12. 35-40 que menciona o "senhor" que é o Senhor Jesus Cristo voltando das festas de casamento ou núpcias. Que casamento é esse? Do noivo Jesus Cristo com a noiva que são os salvos de todos os tempos cujas núpcias dá-se no tempo compreendido entre o arrebatamento até a Sua volta triunfante à Terra no final da Grande Tribulação.


Quem são as dez virgens? O termo virgem aqui se refere ao que chamamos de "damas de honra". São os remanescente de Israel divididos em dois grupos:

- Alguns crerão em Cristo como o Messias, crendo na promessa terão o Espírito Santo para a salvação, o azeite para acender as suas lâmpadas.


- Outros o rejeitarão e por isso não terão o azeite do Espírito. Os pavios de suas lâmpadas não terão combustível para abastecer o fogo e, queimando-se e fumegando logo se apagarão. Correrão para adquirir o azeite, mas não haverá mais quem o venda. Voltarão sem azeite e sem luz, baterão à porta como os contemporâneos de Noé, e a porta não mais se abrirá. Ainda hão de ouvir:- "não vos conheço".

Em Cristo Jesus, nosso Senhor,

Ivo Gomes do Prado

Nenhum comentário:

Postar um comentário