terça-feira, 8 de novembro de 2011

A mutreta da unção - A unção do Mar Morto


           Todo dia, os pastores neopentecas aparecem com uma novidade, no afã de conseguirem membros para as suas “sinagogas”. Eles já inventaram a “unção do riso de Isaque”, a  “unção da garrafa dágua”, a “unção dos quatros seres viventes”,  a “unção do cair no espírito”, a "unção de Arão",  a “unção do lençol ungido”, a “unção das meias ungidas”  e outras falcatruas, cada qual mais aberrante.

A última novidade, segundo informação recebida pela Internet, é a “Unção do Mar Morto”. Não consigo imaginar o bem que uma “Unção do Mar Morto” possa causar a quem nela acredita. Mas, posso imaginar o mal, porque, focalizando os olhos nesse tipo de engodo, o crente raquítico no conhecimento da Bíblia acaba caindo nas mãos dos vigaristas religiosos, dando dinheiro para essa turma de escroques, deixando até mesmo de comprar carne e leite, a fim de contribuir para “a obra do Senhor” e, ao mesmo tempo, ficar “ungido com a miraculosa água do Mar Morto”.

Em primeiro lugar, o termo "unção dos quatros seres viventes" não aparece em nenhum lugar das Escrituras. Em toda a história do Cristianismo, não existe qualquer referência à referida unção. Além do mais, os seres dizem: Santo, Santo, Santo, em vez de rugir, chorar ou fazer coisa parecida. Qualquer unção inventada pelos pentecas é uma aberração religiosa.

Em seu livro "Proteção contra o Engano", O Pastor Derek Prince falando sobre este assunto, cita manifestações que presenciou em cultos pagãos na África, onde as pessoas em transe recebiam "espíritos de animais" e começavam a agir como tais, rugindo como leão, dando cabeçadas em árvores igual aos elefantes e por aí vai. Não é preciso ir tão longe para presenciar esse tipo de coisa. Em terreiros de cultos afro-brasileiros também é comum esse tipo de manifestações. Quem tem experiência em lidar com pessoas possessas sabe que não é raro os demônios manifestados agirem como animais.

Parece que as igrejas evangélicas neopentecostais estão produzindo líderes mentirosos e ladrões, enquanto a Igreja Católica está produzindo pederastas, o que revela a proximidade da apostasia mundial!

         O louvor a Deus foi substituído por corinhos antropocêntricos, usando sempre a primeira pessoa do singular: eu quero voar como a águia, eu quero tocar nas tuas (de Cristo) vestes, etc., salientando, principalmente, a satisfação dos desejos carnais. Nessas igrejas “avivadas” usam-se músicas que destacam as conquistas pessoais, citando alguns versos do Antigo Testamento, totalmente fora do contexto, os quais falam das vitórias do povo hebreu (e não da igreja). Tudo é feito para agradar o ouvinte e não a Deus. Ninguém, até hoje,  compôs um “corinho” dizendo que deseja receber as maldições que Cristo lançou sobre os judeus, por não terem reconhecido o tempo da visitação do seu Messias. Mas, ficam desafiando o Diabo, com palavras assim: “Devolve o que é meu!”, achando-se mais fortes do que o arcanjo Miguel, o qual, “quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda”. Sem dúvida, esta é uma geração de cristãos muito poderosos!!!

Todo crente que recebe Jesus Cristo em sinceridade de fé e arrependimento dos pecados, torna-se, automaticamente,  ungido pelo Espírito de Cristo. Paulo diz em Romanos 8:14-17, o que acontece ao crente que nasce de novo pelo Espírito de Deus e uma das promessas bíblicas para este é que ele é ungido pelo Espírito Santo. Na 1 João 2:20,27, dirigida aos crentes, o apóstolo do amor diz: “E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo... E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis”.
Imaginem João dizendo aos crentes: “Vocês precisam ir até o Mar Morto e apanhar uma porção de sua água salgada,  para se ungirem e poderem ficar cheios do Espírito Santo!”

Esses megalomaníacos pentecas vivem subtraindo e acrescentando coisas à Palavra de Deus escrita, incorrendo na maldição que se encontra no Apocalipse 22:18, usando a mesma filosofia rota, que um mórmon me passou, um dia: “Essa advertência se refere apenas ao livro do Apocalipse, não ao restante da Bíblia”  Ach Du, Mein Gott!

Mary Schultze, 07/11/2011 – www.maryschultze.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário