terça-feira, 31 de maio de 2011

Igreja nos Lares - Dons Espirituais - Com decência e ordem

Com decência e ordem

Os perigos que se devem evitar ao exercer os dons nas células são os mesmos acerca dos quais Paulo advertiu a igreja nas casas em Corinto.

O primeiro perigo é o de exaltação da pessoa que usa os dons. Dada a fascinação que as pessoas experimentam em relação ao sobrenatural, a tendência é ver as pessoas com dons como seres fora do normal. Isso pode produzir atitudes de orgulho nas que exercem os dons. Por isso, Paulo recomenda que os dons devem ser exercidos com o único propósito de edificar os demais crentes (1Co 14.12).

Também se deve cuidar para não dar uma impressão inadequada do evangelho aos que não são crentes. Paulo disse que devemos ter muito cuidado com o exercício dos dons de maneira que os convidados não pensem que os cristãos são loucos (1Co 14.23).

Os dons devem ser praticados dentro de uma ordem já estabelecida. Essa ordem indica que somente duas pessoas podem falar em línguas. No máximo, três e cada uma por sua vez, e sempre somente se houver alguém que as interprete. Se não houver quem as interprete, os que falam em línguas devem se abster de fazê-lo (1Co 14.27,28).

E quanto às profecias, de igual maneira, somente devem fazê-lo duas ou três pessoas. Em caso que algo que foi revelado a outra pessoa, a primeira deve se calar para ceder a oportunidade à segunda (1Co 14.29,30).

As palavras finais de Paulo sobre o tema são excelentes para encerrar: "Assim, meus irmãos, procurem sempre anunciar a mensagem de Deus, mas não proíbam que se fale em línguas estranhas. Portanto, façam tudo com decência e ordem" (1Co 14.39,40).

Pr. Mario Vega

(International Cell Church Forum - 30.04.2011)
http://www.celulas.com.br/artigo_detalhado.php?id_artigos=116

Igreja nos Lares - Promessas de Jesus para nós - Estudo 14


Após a sua ressurreição o Senhor Jesus Cristo apareceu várias vezes aos discípulos durante quarenta dias antes de subir aos céus. Fez-lhes várias promessas que são extensivas a nós também. Destacamos algumas:
Vamos ler em Mateus 28.10 e responder: Como Jesus se refere aos seus discípulos?

Então Jesus disse-lhes: Não temais; ide dizer a meus irmãos que vão à Galiléia, e lá me verão.
1. Servos 
2. Amigos
3. Irmãos

· Lendo Marcos 16.16 vamos responder:-
 Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
Quem será salvo?
O que acontecerá com quem não crer?
· Lucas nos diz sobre a "promessa" do Pai – Lucas 24.49:
E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder.
e Atos 1.8:
Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.
1. Algo de muito grandioso havia sido prometido à Igreja desde o Velho Testamento, promessa essa que é reafirmada várias vezes por Jesus em seu ministério. Após a ressurreição novamente a promessa é lembrada. Que promessa é essa?
Relembrando:-
A. O Senhor Jesus Cristo nos chamou de irmãos. Ele é o primogênito através do qual recebemos a salvação eterna, o dom da vida e a filiação de Deus.

B. Todo aquele que crê em Jesus Cristo é salvo, ao contrário aquele que não crê é condenado. A escolha é pessoal. Também vemos que os salvos devem receber o batismo nas águas para testemunho de sua nova vida.

C. Aos salvos o Senhor tem uma promessa:- O poder do Espírito Santo; e um dever: ser uma testemunha do Senhor.
Assinale abaixo as etapas em que você se encontra.
  •   buscando a salvação.
  •   Salvo e não batizado.
  •   Salvo e batizado.
  •   Testemunha poderosa do Senhor Jesus Cristo.
Note bem que você estará num crescendo espiritual que se inicia em buscar a Cristo e só terminar quando Ele nos chamar para irmos morar na Glória.


Ivo Gomes do Prado

No domingo venha participar conosco do culto de celebração.



"E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar, 
e de proclamar a Jesus, o Cristo". 
Atos 5.42.

Costa do Marfim - Carta aberta Dion Robert



Carta aberta Dion Robert

Este é o último E-mail que recebemos do Rev. Dion Robert enviado ao Pr. Robert Lay no dia 14.05.2011.

Amado e caro amigo, irmão e colega Robert,

Eu não esqueci todo o carinho que você, sua família e as igrejas brasileiras demonstraram durante a minha estadia no Brasil.

A razão de não ter lhe escrito antes é devido a esse tempo de duras provas que temos passado em Costa do Marfim desde o meu retorno do Brasil.

A situação político-militar foi se agravando e todas as conexões de Internet foram interrompidas.
Os rebeldes que invadiram Abdijan atacaram e saquearam a nossa sede. Eles fizeram vários ataques e deixaram o local bastante danificado, destruindo nosso escritório e levando todo nosso material de trabalho.

Por causa da guerra, estamos sustentando 1900 pessoas que se refugiaram em nossas instalações, inclusive 57 mulheres gestantes, às quais estamos prestando assistência material e espiritual.
Os rebeldes roubaram todos os medicamentos que haviam sido doados pela UNICEF e Cruz Vermelha e sequestraram 54 pessoas que, pela graça de Deus, depois de dois dias de negociações, conseguimos que fossem libertadas.

Pela graça de Deus, até o momento não temos lamentado nenhuma morte entre os irmãos e irmãs.
Esses acontecimentos não têm influenciado a fé o progresso da igreja que permanece em pé em oração e ação.

Hoje, a calma está retornando gradualmente e estamos atualmente fazendo todo esforço para fazer os reparos e retomar nossas atividades missionárias em Abidjan e no país.

Amado Robert, as necessidades são enormes e eu peço que orem por nós. Peça para que todas as igrejas irmãs nos levem em suas intercessões diante da graça de Deus.

Esperamos que dentro de um ou dois meses toda a situação esteja normalizada e estabilizada.
Com toda gratidão, recebam meu carinho e afeto e saudações em Cristo Jesus, nosso Deus e Senhor.
Rev. Dion Robert

(Carta traduzida por: Pr. Almeida - Igreja Batista do Povo - Vila Mariana, SP)