sexta-feira, 30 de setembro de 2011

MUÇULMANOS ESTÃO TENDO VISÕES E SONHOS DE JESUS E SE CONVERTENDO AO CRISTIANISMO


Uma revista da Califórnia publicou recentemente os resultados de uma pesquisa com mais de 600 ex-muçulmanos, que agora seguem Jesus. “Embora os sonhos pareçam desempenhar um papel menor na conversão dos ocidentais, mais de um quarto dos entrevistados ex-muçulmanos enfaticamente confirmam que os sonhos e visões desempenharam um papel vital em sua conversão, e os ajudou em momentos difíceis”, o levantamento afirmou.

Outros têm encontrado o percentual mais elevado. Karel Sanders, um missionário na África do Sul, informou que entre Africanos muçulmanos, “42% dos novos crentes vem a Cristo através de visões, sonhos, aparições angelicais e ouvir a voz de Deus.” De acordo com o site “Sexta-Feira Dawn Fax”, que se concentra em relatórios missionários de língua árabe, moderadores explicam experiências sobrenaturais, tais como sonhos, visões e curas através da oração de Jesus. “Este é um tema quente em nossa região. Pessoas de todo o Oriente Médio nos chamam, dizendo como eles foram curados através da oração em nome de Jesus”, citam os missionários. “Ouvintes muçulmanos costumam nos falar sobre sonhos e visões de Jesus, querendo saber o que isso significa para eles.”

O mesmo é contado em “I Dared to call him Father (Me atrevi a chamá-lo de pai)”, um livro fascinante, escrito por uma rica mulher ex-muçulmana paquistanesa chamada Bilquis Sheikh, que veio a Cristo através de uma série de acontecimentos místicos – começando com a presença do mal, que ela sentia, e era ligado ao assassinato recente de um cristão perseguido.

“A estranha sensação espinhosa cresceu dentro de mim enquanto eu caminhava lentamente ao longo dos caminhos de cascalho do meu jardim”, ela escreveu em um livro que acaba de ser relançado. “Eu parei de andar e olhei em volta. Como eu me inclinei para agarrar as hastes verdes, algo passou por minha cabeça, eu me endireitei, atenta. Senti uma névoa… Um frio, úmido. Uma presença profana – tinha flutuado por mim. Claro que não havia nada lá fora. Estaria lá? Como que em resposta, eu senti uma presença, muito real e misteriosa e um toque em minha mão direita.”

Esta experiência levou a uma série de sonhos que – como tantos outros – culminou na conversão da mulher muçulmana. São tais sonhos mais recorrentes agora – com a situação do mundo como ele é? Ou será que eles sempre ocorreram?

Sabemos que os sonhos podem ser importantes. Nós lembramos de Abraão. Nós lembramos de José, o pai de Jesus.

Mas eles também são cruciais no nosso próprio tempo e, no caso da mulher rica, cujo marido tinha sido um general e ministro do Paquistão, eles formaram uma parte importante de sua conversão – se não o mais importante papel. Conforme ela explica neste livro bem escrito (que foi publicado pela primeira vez em 1978), ela havia sido criada na fé muçulmana, que acreditava que, embora Jesus tenha nascido de uma virgem, ele não era o Filho de Deus. Ainda assim, a mulher sentiu-se impulsionada para explorar a Bíblia – e é aí que tudo começou.

Em um sonho, relatou Sheikh, “eu me encontrei jantando com um homem que eu sabia ser Jesus. Ele veio me visitar na minha casa e ficou por dois dias. Ele sentou-se sobre a minha mesa e em paz e alegria jantamos juntos”.

“De repente, o sonho mudou. Agora eu estava no topo de uma montanha com outro homem, João Batista. Ele estava vestido com uma túnica e calçado com sandálias. Como foi que eu misteriosamente sabia seu nome, também? Eu encontrei-me contando a João Batista sobre as minhas visitas recentes com Jesus”. O sonho – peculiar – a levou à pergunta que todos que poderiam saber responder (porque até aquele momento, Sheikh ainda não havia chegado ao trecho em que João Batista aparece na história) em sua leitura da Bíblia.

Ela se tornou uma cristã. Então, temos milhares de outros. Os relatórios incluíram moradores em lugares como Marrocos. Ouvimos pela primeira vez sobre isso no início de 1990.

“Um seguidor de Jesus da Guiné fala sobre uma pessoa de branco que lhe apareceu em sonho, chamando-o de braços abertos”, afirma a publicação da Califórnia.”Esse tipo de sonho, no qual Cristo aparece como uma figura de branco, é um padrão freqüente na obra missionária entre os muçulmanos.”

Os exemplos são numerosos. Um muçulmano da Malásia viu seus pais falecidos como convertidos aos cristianismo em um sonho, comemorando no céu. Jesus, com uma túnica branca, lhe disse: “Se você quiser vir a mim, vem!” Ele o fez.

Outro convertido, este novamente a partir do Oriente Médio, disse que ele estava deitado na cama com uma dor de cabeça muito forte. A figura branca com uma aparência maravilhosa, pacífica, apareceu e colocou as mãos sobre sua cabeça três vezes, e na manhã seguinte a dor de cabeça que era incurável até então, ​​havia cessado.

Um homem do oeste da África viu um religioso muçulmano no inferno, e um pobre cristão, que não podia mesmo dar esmolas, no céu. A voz explicou que o ponto decisivo não foi a esmola, mas a fé em Jesus.

Enquanto isso, um trabalho missionário entre os Tausugs, das Filipinas, maior grupo muçulmano daquele país, relata que um número de muçulmanos fiéis “viu Jesus” em seus sonhos após o Ramadã (mês em que os muçulmanos praticam um ritual de jejum). Um homem sonhou com Jesus matando um dragão enorme em um duelo e no dia seguinte teve o mesmo sonho, o que o levou a conhecer o Evangelho.

Um membro do povoado Yakan, na Província Basilan sonhou que o Profeta Maomé não podia olhar para Jesus no olho. Quando ele disse seu primo, um cristão, do sonho, seu primo lhe disse que o sonho significava que Jesus é maior do que Maomé.

Há histórias de guerra espiritual. Há relatos da Turquia. Há histórias de curas milagrosas. Há histórias do Iraque. Uma equipe que pertencem aos “Atletas em Ação”, um movimento de atletas missionários, relatou a partir de sua visita às repúblicas da Ásia Central do Turcomenistão e Quirguistão, que “uma das experiências mais interessantes da viagem foi para ouvir um grande número de pessoas dizendo como eles tornaram-se cristãos”. Anteriormente, eles haviam sido ateus ou muçulmanos. Alguns nos contaram como Deus havia falado com eles em sonhos. Outros nos contaram como eles tinham tido dores de cabeça por dias depois de ouvir sobre Cristo. Logo que decidiram tornar-se cristãos, a dor de cabeça havia passado. Uma mulher nos disse que na noite em que ouviu falar de Jesus, nada aconteceu até que ela foi dormir. Enquanto ela dormia, ela teve um sonho terrível, no qual uma figura satânica disse a ela “Você nunca vai escapar de mim”, porém agora ela também se tornou uma cristã.

Existem inúmeros relatos de que muitos dos Berberes que vivem nas montanhas da Argélia estão vindo a Cristo através de sonhos e visões semelhantes, formando células e igrejas, em sua maioria subterrâneas. Ahmed Ait Ben Youcef, um berbere nativo que atualmente vive no exterior, disse que encontrou Cristo no caminho que parece típico para berberes islâmicos anteriormente: “nós berberes sempre acreditamos em Deus, mas muitos o procuram à sua própria maneira, sob a pressão dos árabes islâmicos. Jovens ansiavam pelo caminho certo para nossas vidas e oravam a Deus para orientação. Um dos meus amigos morreu em um acidente de trânsito. Na noite seguinte, sonhei que ele, um outro amigo, e eu nos dirigíamos a uma cidade brilhante, rodeada por uma parede branca. Nesse sonho, meu amigo nos disse que agora ele vivia lá”.

Um muçulmano egípcio estava lendo os Evangelhos, e de acordo com mais um relatório ele tinha acabado de chegar a Lucas, Capítulo 3, quando um vento forte varreu a sala e uma voz disse: “Eu sou Jesus Cristo, a quem você odeia. Eu sou o Senhor que você está procurando.” Ele decidiu seguir a Jesus naquele dia.

Os relatórios são difundidos de tal forma que sites inteiros são dedicados a tais histórias – embora muitas vezes tomem o cuidado de manter o anonimato. Uma fonte bem informada, que por razões óbvias permanece não identificada, relata que um ex-islâmico “Imam” ou líder espiritual levou 3.000 muçulmanos para Jesus, tendo ele chegado a Cristo através de sonhos, em que um homem branco dizia-lhe para estudar a Bíblia. O método desse homem é simples: em uma conversa, ele diz aos outros: “você já viu um homem branco em seus sonhos recentemente? Se eles não tiverem visto, ele lhes diz: eu só estava me perguntando. Obrigado. Se responderem positivamente, ele continua perguntando se eles estão interessados ​​em aprender quem este homem branco é. E quem não está interessado na identidade de uma pessoa misteriosa que aparece em seus sonhos? O ex-Imam, em seguida, mostra-lhes várias passagens da Bíblia em que um homem branco vestido é mencionado, explicando: “Isso é Jesus. Ele quer falar com você, porque Ele quer que você o siga”.

Muitos muçulmanos foram preparados para em caso de encontros sobrenaturais, e aceitarem o convite. Algum tempo atrás, Bill Bright, diretor do “Campus Crusade”, escreveu que “estavam vivenciando um fenômeno surpreendente. Muçulmanos em particular, estão tendo sonhos e visões confirmando a realidade de Cristo. Depois de um programa de rádio informaram que Jesus havia aparecido para muitos muçulmanos em um sonho e havia dito a eles: ‘Eu sou o caminho’. A estação de rádio recebu milhares de cartas de muçulmanos no norte da África e do Oriente Médio, em que os ouvintes disseram que de repente tinham entendido sonhos anteriores. Eles, então, queriam mais informações sobre Jesus”.
http://vigiai.net/news.php?readmore=10444
Fonte: Gospel+

http://noticias.gospelmais.com.br/mulcumanos-visoes-sonhos-jesus-convertendo-25486.html

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Igreja nos Lares - Nós e o Nosso Oikós.

Oikós é uma palavra grega da qual não temos um  termo correspondente e completo em português. É usada para definir o nosso relacionamento tanto familiar como o das amizades íntimas, nosso círculo de relacionamento e influência maior. Muitas vezes o termo foi traduzido por família ou casa, como em Atos 16.31 "Responderam eles (Paulo e Silas):- Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa", Casa aqui é oikós, isto é, além de seus familiares também o círculo de amigos íntimos do carcereirode Filipos.

    Também em Atos 18.8 "E Crispo, principal da sinagoga, creu no Senhor com toda a sua casa; e muitos dos coríntios, ouvindo-o, creram e foram batizados".

    Queremos deixar finalmente o exemplo de Cornélio em Atos 10. 24 "E no dia imediato chegaram a Cesaréia. E Cornélio os estava esperando, tendo já convidado os seus parentes e amigos mais íntimos".

    Interessante como nós "crentes velhos" com o tempo fomos perdendo nosso oikós de pessoas não alcançadas (não convertidas), principalmente aqueles que como eu, ou melhor, iguais a mim (como eu não ficou bom), já são aposentadas. Essa é mais uma razão do porquê devemos aproveitar a influência dos recém alcançados (novos convertidos) para alcançar uma seqüência geométrica e progressiva de novos não alcançados.

    Explicando:- Cada novo convertido terá um oikós (ou círculo de familiares e amigos íntimos) novo. Mas, com o passar do tempo, ele deixará de ter esse círculo de influências e se tornará um "crente normal", como nós.

    Fazendo discípulos que fazem discípulos,

    Ivo Prado


  • Nota - Igreja nos Lares ou em pequenos grupos não exclui as reuniões nos grandes grupos como alguns supõem, conforme o verso abaixo que se refere à Igreja em Jerusalém em seus primeiros dias.


Atos 2.46 "E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração,"

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Polícia inglesa diz a dono de café: Pare de mostrar DVDs da Bíblia, ou vamos ter que prendê-lo

Ross Slater e Jonathan Petre
A polícia ameaçou o dono cristão de um café com prisão, pela exibição de trechos da Bíblia em uma tela de TV.
Jamie Murray foi avisado por dois policiais para parar de tocar DVDs do Novo Testamento em seu café após uma queixa de um cliente de que ele estava incitando o ódio contra os homossexuais.
Murray, de 31 anos, ficou chocado depois de ser interrogado por quase uma hora pelos agentes policiais, que chegaram sem aviso prévio ao seu local de trabalho.
Ele disse que tinha desligado o DVD da Bíblia depois de uma “inquisição agressiva” durante a qual ele achou que ia ser preso e “arrastado para fora do café como um criminoso”.
Mas ele acrescentou: “Eu já verifiquei meus direitos e eu não vou ser intimidado pela polícia e pelo lobby da polícia comunitária para parar de exibir a Bíblia silenciosamente no meu café. É uma loucura. Os cristãos têm de lutar por aquilo em que acreditam”
O café Sal e Luz em Blackpool há anos mostrou repetidamente todas as 26 horas de duração da Bíblia, um conjunto de 15 DVDs produzido nos EUA no qual um narrador lê todo o Novo Testamento, em uma TV de tela plana pequena na parede de trás do café.
O som está baixo, mas as palavras aparecem na tela com uma série de imagens.
O café, que foi inaugurado há oito anos, também se orgulha de ser um oásis de calma em uma área de alta criminalidade de Blackpool.
Murray disse que os dois policiais uniformizados da Polícia de Lancashire chegaram na hora do almoço na segunda-feira, no horário mais movimentado do café. June Dorrian, a policial comunitária responsável por aquela vizinhança, disse-lhe que tinha sido feita uma queixa e que ele violara o Ato de Ordem Pública nº 1986.
Murray disse: “Eu disse a eles que tudo o que apareceu na tela foram as palavras do Novo Testamento. Não há nenhum som, apenas as palavras na tela e imagens simples ao fundo de ovelhas pastando ou velas queimando. Eu pensei que poderia haver alguma confusão, mas eles disseram que estavam aqui para explicar a lei para mim e como eu a tinha quebrado.
Eu disse,” Você está realmente me dizendo que eu posso ir pra prisão por mostrar a Bíblia?” E a policial fitou o olhar em mim e disse: “Se você transmitir material que ofenda nos termos da Lei de Ordem Pública, então teremos de tomar medidas mais sérias. Você não pode quebrar a lei.”
Murray, que trabalhou em um abrigo para mendigos por cinco anos antes de assumir o café há três meses, disse ter percebido que a única maneira de apaziguar a polícia era desligar a Bíblia.
“Eu estava preocupado em ser algemado e levado para fora da loja na frente de meus clientes. Não iria parecer bom então eu pensei que era melhor obedecer. Parecia uma traição. Eles saíram da loja e disseram-me que continuariam a acompanhar se estávamos exibindo material de ódio. Em nenhum momento falaram comigo como se eu fosse um cidadão cumpridor da lei tentando ganhar a vida. Eu me senti como um criminoso. “
Murray disse que não tinha sido dada nenhuma indicação de quem se queixou ou quais versículos do Novo Testamento causaram a ofensa, mas ele acha que pode ter sido uma reação ao livro de Romanos, que tinha sido passado na semana anterior. O livro toma a forma de uma carta do apóstolo Paulo ao povo de Roma, em que ele vocifera contra todo tipo de impiedade.
Nos versículos 26-27 do capítulo um, diz: “Pelo que Deus os entregou a paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza, semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro”
Os versos levam 30 segundos para rodar e a tradução da Bíblia usada é a Versão Inglês Contemporânea (CEV) de 2005, um texto simples em Inglês pela Sociedade Bíblica Americana.
Especialistas da Sociedade Britânica da Bíblia, cujo patrono é a Rainha, o descreveram como um texto muito respeitado que, embora utilizando uma linguagem simples, reflete bastante o significado do original.
O Instituto Cristão, que está apoiando o Sr. Murray, disse que seus advogados tinham dito que ele tem liberdade para mostrar a Bíblia de qualquer maneira que ele escolher, e eles estão preparando uma queixa contra a polícia. O porta-voz do Instituto Mike Judge disse: “Eu não tenho nenhum problema com a polícia investigando uma queixa, mas uma vez que perceberam que eram apenas as palavras da Bíblia que estavam sendo mostradas na tela, então eles deveriam ter ido embora. Eles nem sequer olharam para o DVD considerado ‘ofensivo’. Eles simplesmente disseram a Murray que ele tinha que parar de mostrar a Bíblia e avisaram que iriam continuar a acompanhar o que ele estava fazendo. Isso é intimidatório e completamente inaceitável. É um problema por todo o país de que a polícia está sob pressão política enorme para ser vista respondendo a qualquer coisa homofóbica.”
A polícia de Lancashire disse que havia recebido uma denúncia na tarde de sábado de um cliente do sexo feminino que estava “profundamente ofendida” pelas palavras que ela havia visto na tela.
Um porta-voz disse que eles tinham o “dever” de responder à reclamação e teriam concluído que o café poderia estar violando a Seção 29E da Lei de Ordem Pública, que adverte que as pessoas que mostram imagens ou sons que despertam o ódio contra os homossexuais poderiam ser culpadas de um crime.
No entanto, também diz que as críticas sobre a conduta sexual “não devem ser tomadas em si mesmo como ameaçadoras ou destinadas a incitar o ódio”.
Um porta-voz da polícia disse: “Em nenhum momento o policial pediu ao dono do café para remover quaisquer materiais ou prendeu o homem e fizemos uma abordagem objetiva e de bom senso ao lidar com a queixa. Acreditamos que a nossa resposta e a ação que tomamos foram completamente proporcionais e nossos oficiais estão sempre disponíveis caso o dono do café queira discutir o assunto ou precise de algum conselho no futuro. A polícia é respeitosa quanto a todos os pontos de vista religiosos. No entanto, nós temos a responsabilidade de nos certificarmos de que o material que as comunidades podem achar profundamente ofensivo ou inflamatório não está sendo exibido em público. Nenhuma queixa foi recebida sobre a conduta do funcionário em questão e estamos satisfeitos de que eles realizavam suas funções de forma profissional”.
Título original em inglês:
Traduzido por Eliseu P. L. J.
Fonte em português: www.juliosevero.com

http://juliosevero.blogspot.com/2011/09/policia-inglesa-diz-dono-de-cafe-pare.html

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Frase$ Indecente$ No$ Púlpito$

Há neste lugar 150 pessoas que irão ofertar 1.000 Reais. Eu vou orar por estas pessoas e, dentro de 90 dias um milagre vai acontecer em sua vida.

Faça o carnê e eu e a minha esposa vamos orar por você e o milagre vai acontecer em sua vida.

Se você não sacrificar, doando aquilo que realmente seja grande, o milagre não virá. (Não aconteceu).

Então, depois que você fez o carnê, sua vida financeira melhorou? Viu gente?

Dê estes 5 mil com os quais você iria pagar sua conta e o milagre vai acontecer.

Entregue sua oferta no altar. Eu sou seu pastor, eu sou seu altar.

Quem não dá o dízimo é ladrão e, portanto, vai para o inferno.

Frase Indecente Fora do Púlpito

Anezio MassuiaPastor, vamos fazer uma campanha de prosperidade em sua igreja? Metade das ofertas eu deixo para você.

Frases compiladas por:
Missionário Anézio Massuia, dizimista, ofertante e próspero desde menino.
-Quando for escrita a história da Igreja deste período, esta falsa teologia da prosperidade ficará registrada como o câncer da era.
-Pastores, bispos e apóstolos famosos e respeitados de hoje, terminarão os seus dias como uma vergonha para o evangelho, e não poucos com escândalos, processos e prisões.
A VOZ PROFÉTICA NÃO PODE SE CALAR, TEM QUE CLAMAR! TEM QUE DENUNCIAR!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Leitura para Hoje - Um Firme Fundamento

Meditação: Estas palavras que, hoje, te ordeno […] tu as inculcarás a teus filhos… (Deuteronômio 6:6-7)

Pensamento: Edifique as vidas dos seus filhos sobre o firme fundamento da Palavra.

Leitura: Deuteronômio 6:1-9.

Mensagem:
Um Firme Fundamento

            Com menos de dois anos de idade, minha neta Katie fez algo que teria orgulhado qualquer avô. Ela começou a reconhecer os automóveis por marca e ano de fabricação. Isso teve início quando ela e seu pai passaram a brincar com a coleção de miniaturas de carros antigos dele. Seu pai dizia “Katie, pegue o Chevrolet 1957” e ela o encontrava em meio às centenas de carrinhos. Certa vez, enquanto ele lia um livro da coleção George, o Curioso, ela desceu do seu colo e correu para buscar uma miniatura de Rolls-Royce – uma réplica exata do carro citado pelo livro.
            O fato de uma criança de dois anos conseguir estabelecer tais conexões não demonstra a importância de ensinar cedo às crianças as coisas certas? Podemos fazer isso utilizando o que eu chamo de princípio FIRM: Familiaridade, Interesse, Reconhecimento e Modelagem. Ele segue o padrão de Moisés, em Deuteronômio 6, de aproveitar cada oportunidade para ensinar verdades bíblicas, para que as crianças se tornem familiarizadas com elas e as tornem parte das suas vidas. Usando os seus interesses como oportunidades de ensino, repetimos as histórias da Bíblia para que se tornem reconhecíveis, enquanto atuamos como modelo de uma vida piedosa diante delas.
            Que possamos dar às crianças da nossa vida um fundamento FIRM, ensinando-as sobre o amor de Deus, a salvação em Cristo e a importância de uma vida piedosa.

FONTE:
J. David Branon
Nosso Andar Diário – Ministério RBC
MENSAGENS Q EDIFICAM

domingo, 25 de setembro de 2011

A igreja cristã vive um período de crise espiritual

QUANDO A CRISE MOSTRA A SUA FACE

Textos Áureo: Neemias - 1.1-7
Twitter:@Cdkm

OBJETIVO: Mostrar  que somente uma liderança guiada e orientada por Deus pode enfrentar os tempos de crises.

INTRODUÇÃO: O livro bíblico de Neemias, com enfoque na liderança em tempos de crise. No estudo desa semana, destacaremos os aspectos contextuais do livro de Neemias, em especial o seu chamado. Em seguida, destacaremos o relacionamento que Neemias tinha com Deus. Ao final, apontaremos o valor da oração e alguns aspectos da liderança de Neemias, que se revelou ser guiada e orientada por Deus para enfrentar os tempos de crise.

1. NEEMIAS, CHAMADO EM TEMPO DE CRISE: Neemias é o último dos livros históricos do Antigo Testamento e registra a história do terceiro retorno dos judeus após o cativeiro. O livro destaca o período da reconstrução dos muros da cidade de Jerusalém, mas, principalmente, a renovação da fé do povo de Deus. A maior parte do livro foi escrita em primeira pessoa, sugerindo, portanto, que o próprio Neemias é o autor, ainda que os estudiosos concordem que Esdras, o escriba, teria sido o editor. A data aproximada para a composição do livro é 445 a 432 a. C, tendo como pano de fundo o reinado de Zorobabel, que liderou o primeiro retorno do povo a Jerusalém em 538 a. C. Em 458, Esdras liderou o segundo retorno, e finalmente, em 445, Neemias retornou com o terceiro grupo para reconstruir os muros de Jerusalém. O texto-chave do livro é Ne. 5.15,16: “Acabou-se, pois, o muro aos vinte e cinco de elul, em cinqüenta e dois dias. E sucedeu que, ouvindo-o todos os nossos inimigos, temeram todos os gentios que havia em roda de nós e abateram-se muito em seus próprios olhos; porque reconheceram que o nosso Deus fizera esta obra”. As principais personagens do livro de Neemias são: o próprio Neemias, Esdras, Sambalate e Tobias. Esse livro enfoca o cumprimento das profecias de Zacarias e Daniel a respeito da reconstrução dos muros da cidade de Jerusalém. O livro apresenta a seguinte divisão geral: 
 
1) Reconstrução dos muros de Jerusalém, dirigida por Neemias (1.1 – 7.73); 
2) Avivamento em Jerusalém liderado por Esdras (8.1 – 10.39);
3) Neemias promove a Reforma da Nação (9.38 – 13.1-31).

2. MESMO NA CRISE, NEEMIAS CONHECE O SEU DEUS: Neemias, contemporâneo de Esdras, servia na corte de Artaxerxes I (rei da Pérsia), como copeiro. Naquele contexto, ele soube que os exilados que se encontravam em Judá viviam em situação de opróbrio, principalmente porque a cidade estava em crise, Jerusalém não passava de ruínas. Diante daquela condição, Neemias orou ao Senhor, intercedendo pela condição do seu povo. Em resposta à oração, o copeiro do rei recebeu uma autorização para viajar até Jerusalém, enquanto governador, a fim de reerguer os muros da cidade. Neemias reconhecia a soberania de Deus, o Deus do céu (Ne. 1.5; 2.4,20). Diante da grandeza de Deus, Neemias sabia que o Senhor estava no controle de todas as coisas, e que seus desígnios não podem ser frustrados (Ne. 4.15) e que pode redundar em benção a cruel maldição (Ne. 13.2). O Deus de Neemias era digno de confiança, pois Ele cumpre Sua aliança para com aqueles que O amam e obedecem aos Seus mandamentos (Ne. 1.5; 9.32), Ele é fiel às Suas promessas (Ne. 9.8). Mas esse também é um Deus Santo, que mesmo assim perdoa os pecados daqueles que se arrependem (Ne. 1.6-7; 9.2). Por isso Ele é um Deus misericordioso, por esse motivo, quando o pecador se volta para Ele, a resposta é o perdão das ofensas e a restauração (Ne. 9.16-19), por isso Ele é reconhecido como um Deus de perdão (Ne. 9.17). A graça de Deus se manifesta pelo fato de Ele não tratar o pecador como merece, mas age em bondade, visando sempre um bem maior (Ne. 2.8,18). Ele não é um Deus ausente, que se esqueceu do homem, mas que, mesmo estando nos céus (transcendente), é sensível às necessidades do povo (Ne. 6.12) e que se revela, guiando-o na adversidade (Ne. 7.5).

3. ORAÇÃO E LIDERANÇA EM TEMPOS DE CRISE: A crise estava posta, o povo de Deus se encontrava em condição crítica. Neemias, ao ser chamado por Deus, revelou determinados atributos de liderança. Primeiramente, suas ações foram conduzidas pelas Escrituras. A partir das promessas bíblicas, Neemias conduziu os ditames da nação (Ne. 1.5,9; 4.20; 9.7-8,17). Mas Neemias não apenas lia a Torá, ele revelou ser um homem de oração. A autosuficiência tem minado a liderança de muitos líderes, que, por falta de oração, já não mais agem em conformidade com a vontade de Deus. Neemias começa sua atuação ministerial com uma oração na Pérsia (Ne. 1.3) e a conclui com uma oração em Jerusalém (Ne. 13.31). O livro de Neemias nos instiga à oração, haja vista que, diante da crise, a oração é um fator primordial para: a adoração (Ne. 8.6; 9.3,5), ação de graças (Ne. 12.24, 27,31,40,46), confissão (Ne. 1.4-7; 9.33-34), súplica (Ne. 1.11; 2.4) e intercessão (Ne. 1.3). No livro de Neemias existem orações de angústia (Ne. 4.4,5; 6.14; 13.29), de alegria (Ne. 12.43), por proteção (Ne. 4.9), de dependência (Ne. 6.9) e compromisso (Ne. 13.14, 22, 31). A história de Neemias se confunde com a sua vida de oração, pois é por meio da oração que ele encontra perspectiva (Ne. 1.11), que ele expande seus horizontes (Ne. 2.4) e focaliza sua visão (Ne. 2.12) e controla suas ansiedade (Ne. 4.8-9). Através da oração Neemias partilha suas tristezas (Ne. 1.4), confessa suas fraquezas (Ne. 1.6-7) e se conscientiza do seu trabalho futuro (Ne. 1.11). A espiritualidade de Neemias reflete em seu estilo de liderança. Eles foi um líder de compaixão e sensibilidade espiritual (Ne. 1.4), que buscava a orientação que vinha de Deus (Ne. 1.5-11), que demonstrou integridade (Ne. 1.6; 5.10), que pôs sua visão em objetivos sublimes (Ne. 1.3; 2.12), que estava ciente da sua vulnerabilidade (Ne. 2.2), que demonstrou habilidade para inspirar outros (Ne. 2.17,20), que reconheceu a necessidade de delegar tarefas (Ne. 3.1-22), que não desanimou diante das adversidades (Ne. 4.1-12), que revelou capacidade de adaptar-se às circunstâncias (Ne. 4.13-22), que estava disposto a fazer sacrifícios pessoais (Ne. 4.23).

CONCLUSÃO: A igreja cristã vive um período de crise espiritual, os muros da fé cristã, em solo brasileiro, estão arruinados. Os fundamentos da doutrina bíblica estão sendo substituídos por modismos distanciados da Palavra de Deus. Diante dessa situação, Deus está levantando homens e mulheres que não se dobram diante dessas deturpações. Quando a crise mostra a sua face, a liderança cristã não pode fazer concessões em relação à verdade. Como Neemias precisam ser sensíveis à causa do Senhor Jesus, manterem-se fiéis às Escrituras, priorizarem a oração, e o mais importante, conhecerem profundamente ao Senhor nosso Deus. PENSE NISSO!

Deus é Fiel e Justo!
      Clerisvaldo Ferreira da Silva        
                      CRC/BA-018030
Assessoria e Consultoria em Prefeituras e Câmaras
TEL.:(75) 8194-7808/9121-3021
TeleFax: (75) 3262-5951 
MSN: irmaoteinho@hotmail.comE-mail: teinho@teinho.com
Visite: www.teinho.com <=> www.irmaoteinho.com

O INÍCIO DA GRANDE TRIBULAÇÃO - Mary Schultze

        A Grande Tribulação deveria começar com algumas calamidades e estas já estão acontecendo todos os dias, pelo mundo a fora. Nos últimos 10 anos, o número de mortes por assassinatos, acidentes, inanição, terremotos, enchentes, pestes e atentados terroristas tem crescido, com terríveis notícias apresentadas, diariamente, na mídia, de modo que nem nos chocamos mais com as mesmas.

        Mas, os sete anos mais tenebrosos da história vão começar, realmente, quando o Senhor Jesus enviar os quatro cavaleiros do Apocalipse, para o julgamento final do planeta. Eles serão enviados como castigo divino contra a rebelião e o pecado que predominam.

        O livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos, que Cristo recebe do Pai, representa a totalidade desta Terra e o plano divino para redimi-la. A maioria das pessoas se aterroriza ao ler o Livro do Apocalipse, mas os tenebrosos acontecimentos somente atingirão os que não estiverem cobertos pelo sangue do Cordeiro, pois os salvos já estarão longe dos flagelos, louvando e glorificando Deus, junto com os anjos e os santos de todas as eras.

        O Pai e o Filho estarão redimindo a Terra por meio dos flagelos, mostrando os quatro cavaleiros que aparecem no início das grandes calamidades. A situação da Terra vai piorando, até chegar ao ponto de quase total destruição.

O cavalo branco representaria a igreja mundial da Nova Era, a qual vai obrigar todos os habitantes do mundo a se dobrarem diante do falso cristo. Ela vai pregar um novo tipo de conversão, ou seja, um ”novo nascimento”, através da integração com o cosmo. Em Mateus 24:5, somos admoestados por Cristo: “Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos”.  O falso cristo da Nova Era vai enganar a maior parte da humanidade.

     O cavalo vermelho pode significar a violência, com um  tremendo derramamento de sangue, o qual  deve acontecer em todo o planeta.O cavalo preto pode significar a fome, que vai dizimar a humanidade.  O cavalo amarelo significará a peste, com a morte de milhões de condenados, quando o inferno estará escancarando as portas para receber os que morreram sem Cristo.

        Quando o Anticristo for empossado no governo mundial, ele vai promover uma falsa paz no mundo, adulando Israel, como se fosse um amigo do seu povo. Aparentemente, ele vai colocar as coisas em ordem, neutralizando as ameaças de guerra e detendo alguns dos flagelos que deixaram o mundo em desespero. Mas, a partir da segunda metade do seu governo de sete anos, ele vai mostrar as garras de ferro e cometer as maiores atrocidades. Comparado com ele, Hitler teria sido uma pálida amostra, na loucura e na maldade.

        Os cristãos têm pouco tempo de preparação para o Arrebatamento, vivendo uma vida de santidade, antes que venha  a Grande Tribulação. A apostasia já chegou e está predominando dentro das igrejas, com o Evangelho sendo misturado com a Psicologia, além da ostensiva petição de dinheiro, para a edificação de novos templos, e a vida pecaminosa de alguns dos seus líderes...

        Em sua grande maioria, as igrejas modernas são exatamente iguais à Igreja de Laodiceia, a qual afirma: “Rica sou, e estou enriquecida, e de nada tenho falta”. Só lhe falta o principal: a presença do Espírito Santo, que ela substituiu pelo deus Mamom e, portanto, é uma igreja morta, mais preocupada com a cotação da bolsa do que com a cotação do reino de Deus.

Mary Schultze - 24/09/2011 - www.maryschultze.com
Texto inspirado no sermão do Pr. Joseph Chambers - “The Great Tribulation Begins With Calamity”.

Cristãos Exauridos

Meditação: … manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará […] e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará. (1 Coríntios 3:13)

Pensamento: Edifique sua vida com materiais que resistirão ao teste do julgamento de Deus.

Leitura:1 Coríntios 3:5-15.

Mensagem:
Cristãos Exauridos

            Uma vez, alguém me perguntou por que ela deveria ser como Jesus agora, uma vez que se tornaria como Ele quando chegasse ao céu (1 João 3:1-3). Grande pergunta! Especialmente quando é mais fácil ser, simplesmente, você mesmo.
            Na verdade, existem várias razões pelas quais é importante tornar-se como Ele agora, mas uma delas é uma das principais. Quando virmos e nos colocarmos diante dele, prestaremos contas de termos, ou não, vivido de maneira consistente em relação à Sua vontade. Ou, como disse Paulo, se edificamos ou não, nele, os nossos alicerces com “… ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, [ou] palha” (1 Coríntios 3:12).
            Tudo que fazemos para avançar o Seu reino – coisas como contribuir para a força da Sua igreja, servir aos pobres e necessitados, e promover equidade e justiça, como Ele fez – é como edificar com materiais essenciais que sobrevirão ao fogo do Seu julgamento. Ao contrário, edificar com coisas que refletem nossos caminhos decaídos, e viver para favorecer-nos e aos nossos desejos terrenos são comodidades que se tornarão um monte de cinzas diante do fogo consumidor da Sua glória.
            Não sei você, mas eu preferiria amar Jesus o suficiente para viver como Ele agora, pois é uma alternativa impensável estar diante dele num monte de cinzas.

FONTE:
Joseph M. Stowell
Nosso Andar Diário – Ministério RBC
MENSAGENS Q EDIFICAM

Oficiais Ou Soldados?

Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais
estar firmes contra as astutas ciladas do diabo" (Efésios
6:11).

Um grupo de recrutas estava fazendo uma prova escrita.
Quando um deles foi questionado sobre o motivo pelo qual não
estava fazendo a prova, respondeu: "Senhor, eu não tenho
lápis e nem papel". "Bem!" exclamou o instrutor, "o que você
pensaria sobre um soldado que entrou na batalha sem nenhum
rifle nem munição?" O recruta pensou por um momento e,
então, respondeu: "eu pensaria que ele era um oficial,
senhor."

Muitos cristãos, atualmente, pensam que são "oficiais" no
exército de Deus e não têm nenhuma necessidade de armas
espirituais. Na realidade, fomos chamados para servir. Somos
todos soldados, desde o líder até o mais humilde dos
cristãos. Somos todos iguais, com as mesmas
responsabilidades, com os mesmos propósitos, necessitando
das mesmas armas do Espírito. Temos todos a mesma alegria,
as mesmas bênçãos a mesma felicidade de poder contar com a
companhia e ajuda do Senhor Jesus.

Não devemos menosprezar o inimigo! Não podemos crer que não
precisamos de Deus, que não precisamos de Sua armadura, que
não precisamos de Sua intervenção nas horas difíceis e
angustiantes. Não somos "oficiais"! Somos soldados! O
"Oficial" é o Senhor. Ele nos comanda, nos orienta, nos
anima, nos fortalece. E as armas que Ele nos oferece são
perfeitas e indestrutíveis. Com Sua armadura e Suas armas
nós poderemos lutar sem temor, sem dúvidas, certos da
vitória!

Se você continua se julgando um filho de Deus que não
necessita de qualquer ajuda, se continua indiferente a tudo
que Deus quer lhe dar, se crê que é forte o suficiente para
vencer o inimigo sem ajuda, engana-se completamente.
Apresente-se diante do Senhor para receber a armadura que
Ele lhe tem preparado. Só assim sua vitória será certa.
*****
As reflexões do Ministério Para Refletir são totalmente
gratuitas. Porém, se você quiser e puder cooperar com esse
serviço, entre em contato comigo.
*****

Caso tenha um amigo que deseja receber as reflexões diárias
e não participar de listas, basta preencher o link indicado
no final e assinar a lista de envio de apenas uma mensagem
diária.
*****

Paulo Roberto Barbosa. Um cego na Internet! Visite minha homepage:Escuro Iluminado

Assine a Lista de Reflexões
Caso você deseje receber as reflexões diárias diretamente em sua mailbox, preencha o campo abaixo com seu email e clique o botão enviar.
Clique aqui para assinar

sábado, 24 de setembro de 2011

DA BOCA DE PEQUENINOS E CRIANÇAS DE PEITO SUSCITASTE FORÇA

por Romulo Liduardo Nogueira, sexta, 23 de setembro de 2011 às 12:53

Vários bebes no sofá"Da boca de pequeninos e crianças de peito suscitaste força, por causa dos teus adversários, para fazeres emudecer o inimigo e o vingador." - Salmos 8:2

"Em Atos 16 Paulo e Silas foram colocados numa prisão em Filipos. Versículo 25 diz: "Por volta da meia-noite, Paulo e Silas, enquanto oravam, cantavam hinos de louvor a Deus, e os outros presos os escutavam." Enquanto eles estavam orando e cantando hinos de louvor a Deus, eles estavam ali como pequeninos e crianças de peito. Pequeninos e crianças de peito não podem fazer nada. Você não pode pedir a um pequenino ou criança de peito para fazer coisas tais como construir uma mesa, ir a escola ou limpar o chão da cozinha. A característica de um pequenino ou criança de peito é que toda sua atividade é reduzida. Isso significa que toda nossa atividade natural deve ser reduzida e devemos ser os que louvam o Senhor.

Paulo e Silas cantavam hinos de louvor a Deus, e o texto diz que "os outros presos os escutavam" (v. 25). A Tradução Expandida de Wuest diz: "Os presos estavam escutando e desfrutando o que eles cantavam". Os presos não estavam simplesmente ouvindo-os; mas eles estavam escutando-os, prestando atenção a suas palavras e ao seu significado. Se não fosse assim, como poderia o carcereiro ter perguntado: "Senhores, que devo fazer para que seja salvo?" Ele também deve ter ouvido os cânticos, levando-o a compreender a sua necessidade de ser salvo. Tudo o que eles estavam cantando, os presos estavam escutando e ouvindo.

Uma coisa muito marcante é que esse carcereiro filipense tornou-se um dos primeiros convertidos em Filipos. Isso significa que a igreja em Filipos e o mover do Senhor para Europa começou com o louvor dos pequeninos e crianças de peito. O mover do Senhor começa com o povo que louva o Senhor." (Estudo Cristalização de Salmos - Parte 1, pp. 83-84)

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A ninguém sobre a terra chameis vosso pai.

MATEUS 23:
9 E a ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque um só é o vosso Pai, aquele que está nos céus.

Há poucos anos alguns pastores resolveram se auto proclamarem como apóstolos e, a partir daí, passamos a ter algumas aberrações teológica em nosso meio, pois esses apóstolos também se intitulam "pais" espirituais de seus discípulos e muitas das suas esposas como as mães desses mesmos discípulos. De acordo com as palavras do Mestre no verso acima, isso não passa de uma heresia grosseira que merece o nosso repúdio. Esses discípulos, ou meros aspones, chegam ao ponto de imitarem até o modo de falar, com o mesmo tom e timbre de voz, numa demonstração de total submissão aos "Paiapóstolos". Pensando bem, essa história de pais e mães espirituais também é praticada por muitos pastores e pastoras que adoram manipular totalmente seus liderados.

Poucos dias atrás ouvi um desses religiosos dizendo que o casal de líderes-apóstolos ao que o mesmo serve são o seu pai e a sua mãe, com a ousadia de citarem o caso de Timóteo. Imediatamente me lembrei das palavras que o Mestre disse a seus discípulos no verso acima. Podemos ser filhos espirituais de um pastor como Timóteo o era do apóstolo Paulo, como Marcos era chamado por Pedro, mas nunca devemos literalizar essa ideia proclamando que fulano ou ciclano são nossos pais e mães. Foi através de Paulo que Timóteo conheceu a mensagem do evangelho integral, algo que nem isso os atuais "pais" fizeram, pois a maioria de seus liderados vieram de outros ministérios. Não temos passagens bíblicas onde tanto Timóteo como Marcos chamam a Paulo ou a Pedro de seus pais, pois esses apóstolos foram apenas instrumentos do Senhor para se tornassem filhos de Deus.

Nossos pais materiais nos deram a vida pela qual viemos ao mundo, mas apenas o Senhor nosso Deus, somente Ele nos dá a vida eterna. E o Pai celeste nos dando a vida eterna se torna de fato e de direito o nosso único Pai. Não somos filhos espirituais de homens falhos, mas sim do próprio Pai através de Cristo Jesus que, como homem igual a nós, teve o poder de nos fazer seus irmãos. Não foi uma simples adoção, foi um reconhecimento por parte de Deus da nossa filiação a Ele. Nos tornamos herdeiros do Senhor e não de meros homens mortais.

Amados, vamos reconhecer e obedecer ao Senhor não chamando a homem algum de Pai espiritual, pois essa honra pertence somente ao Senhor. A menos que certas pessoas não nasceram de novo, necessitando portanto de serem adotadas por homens falhos que gostam de estar em posições de destaque perante homens que lhe deem a honra devida apenas a Deus.

No amor de nosso Pai,

Ivo Prado.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Versões da Bíblia - Duas linhas de Batalha

 
Pr. Dewey W. Williams (1995)
Hoje em dia, existem muitas novas versões revisadas da Bíblia à venda no mercado, as quais diferem da Versão Autorizada de 1611 [N.T.: a Bíblia King James, que passaremos a chamar V.A. BKJ]. Começando com a ressurreição feita por Westcott e Hort dos manuscritos antigos (1880) da Bíblia alexandrina católica, continuaremos a ver novas versões revisadas inundando o mercado, as quais não são embasadas no Textus Receptus (Texto Recebido); mas, na ressurreição do antigo texto grego corrompido, o qual começou com Orígenes e tem sido protegido e promovido pela ICAR (Igreja Católica Romana).


Não é de admirar que muitos ministros complacentes com o Catolicismo Romano sejam também complacentes com o conteúdo das Bíblias alexandrinas.  Vamos retroceder no tempo, a fim de traçar as duas linhas de batalha e o crente deve optar por um lado ou o outro. O caso é se ele vai tomar a mesma decisão de Josué, o qual disse: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”. [N.T.: Ou vai seguir o exemplo dos modernistas que dizem; “Nós e nossa casa serviremos ao outro senhor”].
Não estou afirmando ser um erudito em Grego, mas, antes que você me desconsidere,  peço-lhe para decidir sobre este assunto importante, pelo menos estudando o mesmo, para tomar a decisão se deve ou não deve confiar exclusivamente na legítima Palavra de Deus [N.T.: em vez de confiar nas versões modernas, todas praticamente corrompidas pela ambição dos tradutores e publicadores das mesmas]. Somente a verdadeira Palavra de Deus  [N.T.: A V.A. BKJ e sua tradução correta, como a FIEL, no Brasil] poderá ajudar o cristão nas coisas que a Bíblia Católica e as modernistas, a favor da Nova Era, não poderão ajudar; ou seja, a crescer na graça e no conhecimento do Senhor. A BKJ veio do Textus Receptus e, se ela é a legítima Palavra de Deus, as versões que negam o nascimento virginal, a vida sem pecado, a reparação pelo sangue, a ressurreição, a ascensão e a segunda  vinda de Cristo são todas falsas e são uma obra do maligno [N. T.: - que veio para roubar, matar e destruir a fé em Cristo].
I - A formação das duas linhas de batalha:
A. - Como chegamos ao Cânon das Escrituras? - Cinco testes gerais foram usados para isto:
1. - História - Quem os escreveu?
2. - Aceitação da igreja local - a igreja primitiva os lia e aceitava?
3. - Assunto - O que os livros  do NT ensinavam? Ou eram eles uma contradição das Escrituras aceitas?
4. - Edificação pessoal - Os livros moviam o leitor a ter uma fé pessoal em Cristo?
5. - A determinação mais importante era se os livros foram verbalmente inspirados pelo Espírito Santo. Devemos crer que Deus agiu no sentido de inspirar homens santos, do mesmo modo como Ele agiu para juntar e preservar a Sua legítima Palavra. Todo o Novo Testamento foi escrito em Grego e, logo que ele foi entregue, Satanás começou a sua obra maligna, no sentido de corromper a Palavra de Deus. Os homens santos usados para escrever os livros do Novo Testamento foram:
a) - Evangelho de Mateus - o próprio Mateus o escreveu.
b) - Evangelho de Marcos - o próprio Marcos o escreveu.
c) - Evangelho de Lucas - o próprio Lucas, que também escreveu Atos.
d) - Evangelho de João - o próprio João, que escreveu também a 1, 2 e 3 João e o Livro do Apocalipse.
e) - Epístola de Tiago - o próprio Tiago (o irmão do Senhor) a escreveu.
f) - Epístola de Judas - o próprio Judas a escreveu.
g) - Epístolas de Pedro 1 e 2  - O próprio Pedro as escreveu.
h) - Epístolas de Paulo - Paulo foi o autor de 14 livros do Novo Testamento.
B. -  Quando começou a corrupção?
1. - No Jardim do Éden (Gênesis 3), quando Satanás questionou, negou e acrescentou ALGO à Palavra de Deus.
2. - Na tentação de Jesus (Mateus 4), quando Satanás, usando a primeira versão revisada  (a PVS - Própria Versão Satânica). Lembrem-se que Jesus neutralizou a tentação de Satanás, citando a legítima Palavra de Deus. Satanás citou a Palavra incompleta, omitindo parte do verso citado (Mateus 4:6). Ele cita o Salmo 91:11-12, omitindo a parte, que diz: “para te guardar em todos os teus caminhos” (verso 11-b) ou “para que não tropeces em alguma pedra” (conforme Mateus 4:6-c). Satanás ama corromper a Palavra de Deus (com acréscimos ou subtrações, deturpando o sentido da citação bíblica).
3 - Escola Alexandrina no Egito [N.T.: conforme diz o Dr. Samuel Gipp, a palavra Egito tem sempre uma conotação negativa na Bíblia].
Era este o lugar onde o Oriente e o Ocidente se encontravam. A Septuaginta Grega foi traduzia em 280 a.C., uma tradução do Velho Testamento do Hebraico para o Grego, com grande influência da escola alexandrina.
Os modernistas, católicos e os novaerenses usam esta  tradução como base às suas novas traduções da Bíblia [N.T.: E ainda têm a coragem de afirmar que Cristo usou a mesma]. Vejamos quais foram as principais figuras no movimento alexandrino, visto como todas as novas traduções têm nele as suas raízes.
a) Askoka - Em 4 a.C., era o imperador da Índia. Ele enviou missionários budistas ao Egito, para que se infiltrassem e influenciassem o pensamento daqueles dias. [N.T.: Tem sido esta a tática usada pela Ordem Jesuíta, desde a sua fundação, em 1551].
b) Filo – (de 20 a.C. a 42 d.C.) -  Ele ensinava que as Escrituras continham e escondiam significados misteriosos, desprezando a literalidade da Palavra de Deus. Westcott e Hort foram grandes seguidores de Filo, o qual advogava que todas as religiões deveriam ficar sob o controle estatal, desde o início. Filo abraçou o Gnosticismo, uma filosofia muito combatida pelos apóstolos de Cristo.
c)              Clemente de Alexandria - Ele começou uma escola em Alexandria, em 200 d.C., fazendo propaganda das falsas doutrinas. Foi discípulo de Platão, o qual viera de Roma à Palestina, tendo ali abraçado a heresia gnóstica.
d)  Nota: [N.T.: Para quem não conhece o Gnosticismo] - era uma filosofia que ensinava que a matéria é má. Que outro deus chamado Demiurge havia criado o mundo. Os gnósticos afirmavam que a matéria é maligna, heresia que resultou em grande ódio a Jeová. Não é de admirar que o nome “Jeová” tenha sido deletado da NVI. (Esta bíblia tem sua origem no Gnosticismo, atualmente apresentando-se com o nome de Nova Era). Clemente misturou o Cristianismo com a filosofia pagã, tendo reunido e promovido todas as obras dos hereges destacados do seu tempo.
e)  Orígenes - Foi o mais famoso discípulo de Clemente. Ele iria fazer mais para estabelecer a linha da falsa doutrina  do que qualquer outro. Westcott e Hort foram muito influenciados por ele. Orígenes seguiu a doutrina herética e os erros de Platão, tendo penetrado em novas áreas do falso ensino. Ele ensinou que a alma existe desde a eternidade e que, após a morte, ela migra para outra forma semelhante (reencarnação). Esta doutrina é abraçada pela Nova Era. Já em 251 d.C.,  as igrejas realmente bíblicas abandonaram a ICAR. Esses crentes verdadeiros queriam preservar a Palavra de Deus.
Quando Jerônimo buscou um texto grego, ele escolheu o de Orígenes, influenciado pelos textos alexandrinos, que a ICAR tem preservado, o que torna possível que sejam feitas revisões corrompidas da Bíblia.
II - A Luta entre as duas linhas de Batalha:
De 312 d.C. até hoje, tem rugido esta batalha. Vamos seguir as duas linhas. De um lado, temos o Texto Majoritário (ou Textus Receptus) e do outro, temos o Codex Vaticanus, que veio dos gnósticos, de Alexandria no Egito.
A - A ICAR promove uma guerra contra o TR, desde o princípio:
1. - Em  416 d.C., a ICAR inventou o batismo infantil.
2. - Em 451 d.C.,  a ICAR aceitou a mariolatria.
3. - Em 680 d.C., a ICAR promoveu o 6º Concílio para condenar a “heresia”, isto é, as igrejas bíblicas.
4. - Em 687, teve início a adoração às imagens de “santos”.
5. - Em 869, houve a separação entre a Igreja Grega Ortodoxa e a ICAR. A ICAR cria mais uma heresia: “Fora da ICAR não há salvação”. Começa a venda de indulgências e é criada a fábula do purgatório.
6. - Em 1123 d.C., a ICAR cria a obrigação do celibato dos padres.
7. - Em 1215 d.C., A ICAR cria a doutrina da Transubstanciação, a qual ensina que Cristo está presente em corpo, sangue, alma e divindade na hóstia.
8. - Em 1229 d.C., A ICAR proíbe a leitura da Bíblia.
9. - Durante todos esses anos, houve a chamada Era das Trevas, criada pela monstruosa Meretriz do Apocalipse 17-18, embriagando-se tremendamente com o sangue dos mártires.
Quando a Bíblia chegou às mãos do povo, teve início a Reforma Protestante e a Era das Trevas se dissipou.
B - Aqui vemos Deus preservando a Sua Palavra Santa, durante a maligna Era das Trevas:
1.- A Igreja Primitiva em Antioquia da Síria - onde a Bíblia foi traduzida para o Siríaco, em 150 d.C. Para isto, foi usado o Textus Receptus.
2.- Os valdenses no Norte da Itália - Estes crentes foram odiados e esmagados pela ICAR, porém conseguiram preservar a sua Bíblia, que estava embasada no Textus Receptus. A “Itala” (versão italiana) era a preferida por Agostinho. Ela veio dos valdenses.
3.- A Igreja na Gália (antiga França) - Seus seguidores foram massacrados pelos pagãos, em 177 d.C., mas enviaram seus registros para a Ásia Menor (e não para Roma). Foram eles que levaram o Evangelho para a Inglaterra e a Europa. Embasados no Textus Receptus, eles conheciam a legítima Palavra de Deus, da qual se originou a V.A. King James. No século IV, Helvécio, erudito valdense, acusou Jerônimo de ter  usado um manuscrito grego corrompido. Ora, se não existisse um texto legítimo, naquele tempo, como poderia Helvécio ter feito tal acusação? Foram os valdenses que pavimentaram o caminho para a Reforma. A partir desse tempo, Agostinho, Jerônimo e Ambrósio foram acusados de juntar os dois tipos de manuscritos (o TR e o Alexandrino), com o objetivo de promover uma Bíblia corrompida para a ICAR.
         Os tradutores da versão italiana se valeram de uma tradução feita pelo valdense Giovanni Diodati.
III - O Fortalecimento das duas Linhas:
A - O texto alexandrino é o fundamento da grande meretriz de Apocalipse 17-18.
1. O papado promoveu a Bíblia corrompida, a fim de manter o povo ignorante da verdade, na Era das Trevas, até que veio a Reforma.
2. A Vulgata Latina de Jerônimo tornou-se a Bíblia do clero católico, durante mais de mil anos. Até recentemente, a ICAR ainda celebrava as suas missas em Latim, uma língua tão morta como a sua liturgia.
B - O TR (Textus Receptus) foi o fundamento da Reforma e vamos traçar o caminho dos seus usuários, até Martinho Lutero.
1. John Wycliff - traduziu a Bíblia para o Inglês, 200 anos antes de Lutero ter nascido. Ele usou a Vulgata, a qual continha muitos erros. Por isso, a Reforma ficou em “stand by”, durante 200 anos. Mas Wycliff é chamado a “estrela da manhã da Reforma”.
2. Erasmo de Roterdã - Foi um grande erudito resultante do avivamento do conhecimento, que veio depois da Era das Trevas.  Ele viajou por toda a Europa, estudando os manuscritos gregos e produziu o Texto Grego do Novo Testamento, o qual foi impresso em 1516.  Erasmo mantinha a convicção de que somente Deus havia escrito a Bíblia. Foi e continua sendo odiado pelos inimigos do Textus Receptus.
3. William Tyndale - Traduziu o texto grego de Erasmo para o Inglês. Sua grande citação [dirigida aos clérigos romanos] é a seguinte: “Se Deus me poupar a vida por muitos anos, farei com que um garoto que dirige um arado conheça a Escritura mais do que vós a conheceis”.  Levado para o local da execução, ele foi atado à estaca, estrangulado por um carrasco e depois consumido pelo fogo, na cidadezinha de Vilvorde em 1536 d.C., gritando na estaca, em alta voz, com fervorosa preocupação: “Senhor, abre os olhos do Rei da Inglaterra!”
Foi queimado na estaca, mas Deus escutou sua oração, pois a Inglaterra se transformou na rota de bênçãos espirituais ao mundo.
4. Martinho Lutero - Nascido em 10/11/1483, em Eisleben, Alemanha. Foi ordenado monge agostiniano. Lutero usava o Textus Receptus e vivia muito preocupado com a corrupção e a luxúria da ICAR. Quando ele estava engatinhando no caminho da conversão, o Espírito de Deus lhe fez uma revelação, através de Romanos 1:17:  “O justo viverá da fé”. O grito da Reforma foi “Sola Fide, Sola Scriptura” e em 31/10/1517, Lutero afixou suas 95 teses no portão da Igreja do Castelo em Wittenberg. [N.T.: A tradutora esteve ali, em 1999, onde se indignou com a maneira desrespeitosa do guia turístico, descrevendo a obra de Lutero. Ela subiu ao púlpito copiado do antigo púlpito do grande reformador e falou, em voz baixa, algumas palavras de louvor à Reforma].
Lutero foi preso por ordem do papa Leão X e se recusou a retratar-se de suas doutrinas, a não ser que esta retratação fosse conforme as Escrituras; isto é, que ele tivesse mentido, ao condenar as indulgências.. [N.T.: Sua vida foi poupada e na casa onde ele morava, em Wittenberg, vi o quarto onde ele dormia com a consciência tranquila].
C - A reação de Roma  com a Contra-Reforma
1. Inácio de Loyola - Fundou a Ordem Jesuíta , em 1521 d.C.. Ele era um espanhol que havia lutado contra a invasão de Maomé na Espanha, foi ferido e se tornou um místico, voltando-se completamente para a ICAR. Sua ordem foi fundada com o objetivo de combater a Reforma protestante. Seus membros fazem um pacto de cega obediência aos superiores e não se detêm diante de obstáculo algum, a fim de conseguirem seus objetivos, nem sempre louváveis. Os jesuítas têm sido os maiores inimigos do Cristianismo Bíblico. Inquisidores implacáveis, uma de suas invenções foi o INDEX, que proibia a leitura da Bíblia e de qualquer livro que exaltasse a Bíblia. [N.T.: Milhares de milhares de inocentes foram mortos por causa de sua fé, com o passar dos quase 4 séculos de existência da Ordem de Loyola. Não tenho a menor dúvida de que o fundador dessa Ordem e os seus líderes falecidos, estão gemendo nas profundezas infernais].
2. - O Concílio de Trento - (1545-1563) - Foi organizado pelos jesuítas. Ele fez quatro condenações, sob pena de excomunhão:
1. - Condenou a ideia de que as Escrituras eram suficientes para tudo que diz respeito à salvação [N.T.: contrariando a 2 Timóteo 3:16-17).
2. - Condenou a rejeição aos livros apócrifos pelo Cânon das Escrituras.
3. Condenou o estudo das Escrituras na língua de cada pessoa e a ideia de que havia erros na Vulgata Latina (a Bíblia de Jerônimo).
4. - Condenou a ideia de que as Escrituras eram claras e facilmente compreensíveis ao povo leigo, bastando para isso a ajuda do Espírito Santo. Ora, uma organização que odeia tanto a Bíblia está levando milhares de almas para o inferno! [N.T.: E ainda existe uma miríade de pastores evangélicos lendo as bíblias embasadas em seus Códigos corrompidos! Seria por ignorância ou apostasia?]
3. - A Bíblia Jesuíta de 1582 - A Bíblia de Tyndale (embasada no TR) havia ganhado muita aceitação na Inglaterra, o mesmo texto no qual iria se embasar a V.A. King James. A ICAR trouxe a Bíblia jesuíta para fazer dentro do país o mesmo estrago que a esquadra de Philip II tentaria fazer, do lado de fora. De um lado, um ataque moral; do lado de fora, um ataque bélico. Mas, Deus estava atento e levantou um puritano chamado Thomas Cartwright, para neutralizar a Bíblia jesuíta. Entrementes, com uma esquadra muito inferior à de Philip II, a Inglaterra derrotou os invasores, que desejavam reaver a nação para o controle papal. A história é imparcial!  [N.T.: Mesmo porque Deus é Quem a escreve, visando sempre  a Sua glória e o livramento dos que Nele confiam!] Foi esta grande vitória que pavimentou o caminho para a edição da V.A. King James, prestigiada por Tiago I, sucessor de Elizabeth I. Foi assim que, em 1611, depois de um fracassado atentado feito pelos jesuítas no porão do prédio do Parlamento Inglês, a BKJ foi editada para honra e glória do Senhor e a salvação de milhões de almas, através do mundo  inteiro.
IV - A Fabulosa Tradução da BKJ
1 - Bede - (675-735) -  Traduziu parte das Escrituras para o Inglês antigo.
2. - John Wycliff - (1320-1384 ) - O primeiro homem a traduzir toda a Bíblia para o Inglês, tendo usado a Vulgata Latina para esta obra.
3. - William Tyndale - A versão Tyndale (1525) foi embasada no texto de Erasmo e também na tradução de Lutero. Esta Bíblia foi poderosamente  usada por Deus na Inglaterra. Tyndale foi martirizado em 1536.
4. Miles Coverdale - Sua versão (1535) foi a primeira obra impressa na Inglaterra.
5. - John Rogers - (1537) - A versão de Mathews (pseudônimo de Rogers, para esconder sua amizade com Tyndale).
6. - A Bíblia Grande - (1539) - Obra autorizada por Henrique VIII, com as notas de rodapé de Tyndale e Coverdale; era muito grande; por isso precisou ser acorrentada a um poste dentro da Igreja, por ser de grande valor.
7. - A versão Genebra  (1557) -  traduzida por William Whitingham, em Genebra. Foi a primeira Bíblia a ter os capítulos divididos em versículos. Ela não continha os apócrifos e foi a Bíblia preferida por Shakespeare e John Bunyan, tendo sido levada à América do Norte pelos peregrinos, em 1620.
8 - A Bíblia Rheims - (1582). Era a Bíblia dos jesuítas, tentando com a mesma reaver a Inglaterra para Roma. [N.T.: Falsa como a Ordem de Loyola, esta bíblia equivale às modernas versões: NVI, RSV, NASV e outras, recendendo ao mesmo cheiro de morte].
B - A Tradução da V. A. Bíblia King James
1. - A ordem para que ela fosse produzida - Saiu em 22/07/1604, quando o Rei Tiago nomeou 54 homens altamente capacitados na erudição linguística para fazer esta versão autorizada. [N.T.: Vejamos o que o Dr. William Grady escreve sobre esses homens no seu livro “Final Authority”]:
A igreja de Jesus Cristo ficará eternamente em débito com o time seguinte de eruditos, cheios do Espírito Santo, pela entrega do Velho Livro Preto:
Dr. Lancelot Andrews, dean of Westminster  (Westminster)
Dr. John Overall, dean of St Paul´s (Westminster)
Dr. Hadrian de Saravia, cânon of Canterbury (Westminster)
Dr. Richard Clark, fellow of Christ´s Coll., Camb. (Westminster)
Dr. John Layfield, fellow of Trin. Coll., Camb. (Westminster)
Dr. Robert Teigh, archdeacon of Middlesex  (Westminster)
Mr. Francis Burleight, Pemb. Hall, Camb., D.D. (Westminster)
Mr. Geoffrey King, fellow of King´s Coll., Camb. (Westminster)
Mr. Thompson, Clare Hall, Camb. (Westminster)
Mr. William Bedwell, St John´s Coll., Camb. (Westminster)
Mr. Edward Lively, fellow of Trin. Coll. (Cambridge)
Mr. John Richardson, aftrwds master of Trin. Coll. (Cambridge)
Mr. Laurence Chatterton, master of Emm. College (Cambridge)
Mr. Francis Dillingham, fellow of Christ´s Coll. (Cambridge)
Mr. Thomas Harrison, vice-master of Trin. Coll. Cambridge)
Mr. Roger Andrewes, afterwards master of Jesus Coll. (Cambridge)
Mr. Robert Spalding, fellow of St John´s (Cambridge)
Mr. Andrew Byng, fellow of St Peter´s Coll. (Cambridge)
Dr. John Harding, pres. of Magd. Coll. (Oxford)
Dr. John Reynolds, pres. of Corpus Christi Coll. (Oxford)
Dr. Thomas Holland, afterwards rector of Ex. Coll. (Oxford)
Dr. Richard Kilbye, rector of Lincoln Coll. Oxford)
Dr. Miles Smith, Brasenose Coll. (Oxford)
Dr. Richard Brett, fellow of New Coll. (Oxford)
Mr. Richard Fairclough, fellow of New Coll. (Oxford)
Dr. John Duport, master of Jesus Coll. (Cambridge)
Dr. William Branthwait, master of Caius Coll. (Cambridge)
Dr. Jeremiah Radcliffe, fellow of Trin. Coll. (Cambridge)                   
Dr. Samuel Ward, afterwards master of Sid. Coll. (Cambridge)
Mr. Andrew Downes, fellow of St John´s Coll. (Cambridge)
Mr. John Bois, fellow of St. John´s Coll. (Cambridge)
Mr. Robert Ward, fellow of King´s Coll. (Cambridge)
Dr. Thomas Ravis, dean of Christ Church (Oxford)
Dr. George Abbot, dean Winchester (Oxford
Dr. Richard Eedes, dean Worcester (Oxford)
Dr. Giles Thompson, dean of Windsor (Oxford)
Mr. (Sir Henry) Saville, provost of Eton (Oxford)
Dr. John Perin, fellow of St John´s Coll. (Oxford)
Dr. Ravens, [fellow of St John´s Coll. (Oxford)
Dr. John Harmer, fellow of New Coll. (Oxford)
Dr. William Barlow, dean of Chester (Westminster)
Dr. William Hutchinson, archdeacon of St Albans (Westminster)
Dr. John Spencer, pres. of Corp. Chr. Coll. Ox. (Westminster)
Dr. Roger Fenton, fellow of Pemb. Hall, Camb. (Westminster)
Mr. Michael Rabbett, Trin. Coll.,Camb. (Westminster)
Mr. Thomas Sanderson, Balliol Coll., Oxford, D.D. (Westminster)
Mr. William Dakins, fellow of Trin.Coll.,Camb. (Westminster).

2) - Os homens - Estes tradutores eram os maiores eruditos vivos e suas credenciais são deveras impressionantes. No Livro “Which Bible”,  Terence H. Brown  dá também uma lista de 47 nomes [N.T.: enquanto a lista acima consta do livro “Final Authority” do Dr. William Grady.]
Não podemos esquecer que a tradução de Westcott e Hort, de 1870, visava simplesmente a divulgação do texto corrompido, tentando elevá-lo acima de outros textos. Infelizmente, todas as novas versões têm a marca de Westcott e Hort, dos modernistas da Nova Era e, assim, o Ocidente caminha inexoravelmente para a grande apostasia.
3) - O Método - Os tradutores foram organizados em seis grupos: dois se reuniam em Westminster; dois, em Cambridge e dois em Oxford. Cada erudito fazia a sua própria tradução, passando-a em seguida para cada membro do seu grupo e, após terem completado a seção que lhe fora designada, esta era passada a todos os outros grupos. Assim, a tradução passava pelas mãos de cada um dos tradutores.
4) - O Manuscrito -  Qual o texto que esses eruditos escolheram para organizar o seu texto grego? O Textus Receptus. Devemos entender que quase todos os manuscritos antigos concordam entre eles, enquanto somente alguns manuscritos concordam com a RSV, NASV, NVI, etc.
5 - O Milagre - A V.A. King James se tornou a maior Bíblia já traduzida no mundo. Ela tem estado por trás de cada reavivamento na história do Cristianismo. Nos de Wesley, de Whitefield, de Spurgeon e de outros, todos eles tendo usado esta Bíblia com grande sucesso. Na América, ela resultou no grande reavivamento de Jonathan Edwards e em outros. A mão de Deus tem operado nesta obra como jamais operou em qualquer outra Bíblia já existente. Existe alguma dúvida sobre a razão por que Satanás odeia esta Versão Autorizada de 1611 - a Bíblia King James? Ele não quer que as pessoas leiam uma Bíblia sem erros.
V - A Revisão Defeituosa de 1870
A - O Mandado - Alguns interessados afirmavam que as palavras da BKJ deveriam ser atualizadas, com mudanças mínimas. Mas, o que, realmente, eles queriam era uma Bíblia subversiva, que agradasse a gregos e troianos, para ser o fundamento da crítica textual, a fim de conduzir a autodestruição das grandes denominações que estavam envolvidas na evangelização dos perdidos e na pureza doutrinária do povo de Deus.
B - Os Manuscritos - Para isso, eles usaram os corrompidos manuscritos alexandrinos do texto grego preservado pela ICAR, com a desculpa esfarrapada de que estes eram “os mais antigos e melhores”. Foram estes os dois textos principais usados por Westcott e Hort - o Sinaiticus e o Vaticanus.
1. - O Codex Sinaiticus - Foi descoberto em 1844, no Mosteiro de Santa Catarina, no Monte Sinai, pelo pesquisador alemão (adepto da alta Crítica) Tischendorf. Este texto fora atirado à lata de lixo, para ser queimado, [N.T.: porém, Satanás deu um jeitinho  de recuperá-lo, usando o incrédulo Tischendorf]. O Deão Burgon, grande erudito de Oxford, nos anos 1840, aponta o fato de que estes manuscritos haviam sido considerados inúteis pela igreja primitiva, mas depois foram copiados, usados e novamente copiados para estudos posteriores.
2 - O Codex Vaticanus - Acredita-se que ele foi escrito em 330 d.C. É curioso que este texto jamais tenha sido usado pelos cristãos primitivos (os quais sabiam distinguir entre a verdade e o erro, pela presença do Espírito Santo em seus corações). O Codex Vaticanus foi guardado na Biblioteca do Vaticano em Roma, desde 1841. Ele não contém o texto grego completo, faltando Filemom, Apocalipse e parte de Hebreus. Isto sem contar as centenas de mudanças feitas no texto. O Vaticano em Roma, convenientemente, permitiu que o Vaticanus fosse usado pelos dois eruditos [N.T.: que lhe eram simpáticos] Westcott e Hort, em 1870, a fim de que estes pudessem completar a sua obra macabra de corrupção da Palavra de Deus.
C - Os homens responsáveis pelas Bíblias corrompidas - Em Romanos 11:16,  lemos: “E, se as primícias são santas, também a massa o é; se a raiz é santa, também os ramos o são”.   Então, como seria possível um fruto mau não provir de uma árvore má? É exatamente o caso destes dois maiores responsáveis por todas as versões corrompidas da Bíblia. Comparar os tradutores da V.A. 1611 - Bíblia King James - com os fantoches que traduziram a Versão Inglesa Revisada (1881-1885) é o mesmo que  comparar um cirurgião do cérebro com um calista (podiatra). Nunca li coisa alguma favorável sobre Westcott e Hort e creio que um grosso volume poderia ser escrito para denunciar os desvios morais e doutrinários destes dois homens liberais, modernistas e extremos novaerenses, inclusive espíritas... Ambos eram devotos da “Maria Santíssima” da ICAR, tendo sido discípulos de Clemente, Orígenes e outros pais do mesmo naipe.
No livro de G. A. Kiplinger - New Age Bible Versions, o autor provê montanhas de documentação confirmando que a raiz das versões modernas é podre. Como é estranho que um povo bom e crente na Bíblia possa defender e seguir a obra destes dois apóstatas! Não devemos esquecer que as omissões e mudanças feitas nas versões modernas jamais aconteceram por acaso, mas que se trata de um plano bem arquitetado e posto em prática pelo próprio Satanás. Vejamos os pais das novas versões e paráfrases.
1. Dr. Westcott - Odiava os crentes bíblicos, chamando-os “pervertidos”.  Ele era fascinado por Charles Darwin; costumava se ajoelhar diante de uma imagem de Maria, praticando, portanto, a Mariolatria e acreditando no valor da missa católica. Era um pastor anglicano envolvido na mediunidade (Espiritismo). Fundou um clube chamado “Ghostly Guide” (de comunicação com os espíritos), em 1850. Era um homem ímpio e satânico e, mesmo assim, alguns pastores [N.T.: ignorantes ou incrédulos] preferem a Bíblia gerada na mente corrompida deste homem do que a Bíblia Sagrada King James [N.T.: No Brasil, a FIEL].
2. Dr. Hort - Outro pastor anglicano subordinado à ICAR, liberal, modernista e novaerense.
3. - J. B. Phillips - Traduziu o Novo Testamento para o Inglês moderno. Era envolvido em necromancia. Em várias ocasiões, após a morte de C. S. Lewis, o suposto espírito de Lewis com ele se comunicava, trazendo mensagens da Nova Era. Este espírito da mentira lhe dizia: “Estou bem; você está bem; então, não se preocupe, pois estamos felizes”. Curioso é que, no verão de 1881, Phillips foi atacado pela incapacidade de falar, de escrever e de se comunicar. Males assim têm acontecido com alguns dos revisores da
Bíblia. Não é estranho? [N.T.: Afrontar Deus não é brincadeira!]
4. - Kenneth Taylor - O homem da parafraseada “Bíblia Viva”. Ela segue Westcott e Hort, com muitas ímpias liberdades assumidas. Ele até chegou a colocar profanidade neste livro engraçado, que os ignorantes chamam de “bíblia”. No verso de Samuel 20:30, nem a revista Time (edição de 24/07/72) teve coragem de publicar exatamente o que achava de sua “bíblia”:“Filho de mulher perversa e rebelde...”. [N.T.: Mas, hoje em dia, alguns pastores lêem e aprovam esta “bíblia” e até coisa pior - a “A Mensagem” - de Eugene Peterson, pois, conforme Deus nos ensina no Salmo 42:7, “Um Abismo chama outro abismo”.].
Taylor ficou afônico e quando tentava falar, apenas rinchava como um cavalo. [N.T.: Aqui vemos como Gálatas 6:7 é uma realidade!].
5. - Philip Schaff - O homem  responsável pela NASV. Mais um liberal, modernista e adepto da Nova Era. Este apóstata fez nada menos de 30 mil mudanças na V.A. King James,  na sua  Bíblia Revisada. [N.T.: a Bíblia Século 21 é uma obra deste cérebro]. Para fazer esta obra, Schaff tinha no grupo até mesmo um leigo unitarista. Ele foi um dos porta-vozes da Nova Era em “O Parlamento das Religiões Mundiais”. Este ajuntamento levou os membros das religiões orientais  e alguns protestantes a admitirem a mensagem de que “Tudo é Um e o Homem é um deus”, desencadeando o Movimento Modernista na América do Norte, nos anos 1800.
6. - Edwin Palmer - Fez parte do comitê executivo para a tradução da NVI. Palmer foi um liberal que questionava quase todas as doutrinas bíblicas, tendo selecionado o grupo de tradutores que iriam produzir a NVI.
7. - Ronald Youngblood - Dele é esta frase: “A Bíblia é um produto de homens”.  Ora, como pode um tipo de modernista como este merecer confiança para dizer o que a Palavra de Deus é a Palavra de Deus?
8. - Burt Goddard - Foi citado como dizendo: “Existem erros na transmissão” (ou seja, a Bíblia não merece confiança).
9. - Dr. Frank Logsdom - Liderou a tradução da NASV. Depois, arrependido, renunciou ao cargo, afirmando: “Temo estar com um problema com  o Senhor!”. Hoje ele tem certeza de que os manuscritos usados nas novas versões são corrompidos e afirma que a V.A. 1611 - Bíblia King James - é absolutamente correta.

O Pr. Dewey W. William é o líder da Belle Meadow Baptist Church
619, Wagner Road, Bristol, Virginia, 24201 - 703-669-4023.
Mary Schultze - traduziu e comentou este artigo, em 20/09/2011.


__._,_.___
,_._,___