sábado, 28 de abril de 2012

A LUZ NO DESERTO DE ISRAEL - Por Miriam Yisrael (*)



Luz que vive  no deserto
Esperando  Pelo seu Povo
Que irá voltar breve  para casa
E  construir  ninho novo!!

O deserto do Neguev
Florescerá com o tempo
E águas vivas correrão
Porque o Profeta falou
E o povo  voltará então!!

Ao  País de Israel
Que espera para dar a mão
A todos os Sefaraditas
Que dispersos ainda estão!!

Mas agora e a sua vez
Para o deserto voltar
Para um deserto florido
Que  tudo fará para os Amar!!

Na Aurora no deserto
O Amor acordará
O Povo que está voltando
E para sempre ficará
Ao lado de ELOHIM
Que um dia profetizou
Pela boca de Obadias
Que o Povo Sefaradita
Um dia iria voltar
E o deserto cultivar!!

É  noite....e no deserto
O Amor  Abraçá-los-á
Sonharão com um Mundo Novo
E cantarão ao Seu Senhor
Que águas arrebentarão!!

Nas cidades do Neguev
Luz florescerá
Pois DEUS  já os abençoou
Neste deserto tão Belo
Onde o silêncio e a Paz
Traz um caminhar na certeza
Na certeza de chegar
Na certeza de vencer
E  do deserto alcançar!!

Eu sonho e quero viver
Para ver este deserto
Cumprir sua profecia
E conseguir ver de perto
Tudo aquilo que DEUS falou
E cumpriu até agora
Israel é Seu País
E o será pela vida fora!!

Luz que brilha no deserto
No deserto de Israel
Luz que nasce tão de perto
Porque DEUS...é DEUS  Fiel!!

E tudo o que ELE prometeu
Está-se a cumprir nestes dias
O Povo volta para casa
E cumprem-se as alegrias!!

Do deserto florescer
Do deserto cultivar
E do Povo habitar
Finalmente em segurança
Junto do Criador que os fez
E os escolheu e amou
No País de Israel
Pais que ELE edificou!!

(*) Miriam Yisrael – 14-07-04
Ela era de origem portuguesa, família Pereira, viveu e faleceu em Israel em 2008

Queridos amigos  .....esta profecia de  Obadias está se cumprindo nos nossos dias!!
 Os Sefaraditas ...povo Brasileiro....português  e  espanhol.......esta voltando para Israel  e esta vivendo no Neguev!!
 Milhares  virão  com o tempo ..........e o  deserto  do Neguev  será cultivado  ....florescera   e  águas vivas correrão no deserto!!
 Assim fala a profecia e  se cumprira!! Para DEUS  o meu agradecimento  de todas as maravilhosas transformações que estão  acontecendo em Israel.......
 Que DEUS  vos abençoe a todos poderosamente de Jerusalém  a Sua Cidade  Santa e Amada!!
Carinhosamente em Elohim,  Miriam Yisrael
Miriam era de origem portuguesa que viveu em Israel e veio a falecer em Israel em 2008. 

http://www.anussim.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=65&Itemid=9

 

terça-feira, 24 de abril de 2012

A oração traz a presença de Deus


Queridos,

 
A queda da raça humana se iniciou por falta de oração, assim no lugar de conversar com Deus... Eva começou a dialogar com o inimigo de nossas almas, por isso foi seduzida pelo enganador e astuto pai da mentira.

A história teria sido outra se ela houvesse buscado a face de Deus diante do ataque do maligno tentador.


Por isso nosso Senhor Jesus veio com uma missão especial: "Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo." 1Jo 3.8.


E quando nosso Senhor Jesus nasceu em Belém recebeu três presentes que indicavam o caráter da sua missão: "Ouro, incenso e mirra." Mt 2.11.


O ouro como metal precioso anunciava a natureza divina e real do Messias (a criança que nascia na manjedoura era o próprio Filho de Deus), o incenso na Escritura está relacionado à oração e ao sacerdócio (a criança que nascia era o Sumo Sacerdote Celeste) e a mirra está relacionado ao sofrimento que Ele teria neste mundo (a criança nascia para morrer pela humanidade como seu Salvador).


O Bendito Galileu foi o Príncipe do Incenso, assim Ele ardia em oração dando cumprimento ao desejo do salmista: "Suba à tua presença a minha oração, como incenso, e seja o erguer de minhas mãos como oferenda vespertina." Sl 141.2.


Amados, a Escritura é o alimento do crente e a oração é seu oxigênio, assim sem alimento ele pode sobreviver alguns dias, mas sem oxigênio ele morre imediatamente. Por isso somos instruídos a orar constantemente.


A oração não só traz a resposta de Deus, traz, sobretudo, a presença de Deus, traz a paz do Céu. Por isso o apóstolo Paulo escreveu: "Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus." Fl 4.6-7


Aprendamos do Gênesis da humanidade, “o que começa mal termina mal”, assim iniciemos nosso dia falando com Deus e mantenhamo-nos em sua presença respirando ares novos longe do ataque do tentador.


A oração não só une o Céu e a Terra, também separa o crente do Tentador, pois ele é guiado só pelo seu Senhor.


Um abraço

Pr. Humberto


Artigo enviado por Vânia R Payrits

sábado, 21 de abril de 2012

“As virtudes do Céu Serão Abaladas”


(Lucas 21:26 - ACF) - “As virtudes do Céu Serão Abaladas”
http://www.bibliaonline.com.br/acf/lc/21/26+

O perfeito cumprimento das profecias bíblicas está acontecendo no mundo inteiro. As variações do clima comprovam as verdades da Bíblia com relação aos tempos do fim.

O Apóstolo João começou a sua obra prima com “A Revelação de Jesus Cristo” (Apocalipse 1:1). O Livro do Apocalipse é uma descrição cronológica do período chamado “A Grande Tribulação”, ao qual estamos começando a chegar. É de admirar que os registros dos cientistas sejam mais exatos do que a voz da igreja, no que se refere a este assunto.
 
O perito Gheorghe Murmureanu do Romenia’s National Institute of Earth Physics diz que "39 terremotos abalaram o globo em apenas dois dias. A série começou com dois fortes tremores na Indonésia, medindo 8.6 e 8.2 na escalara Richter, rapidamente seguidos por três tremores um pouco menores, no México, dentro de 3 horas.

Não há dúvida de que existe algo tremendamente errado. Terremotos fortes demais têm acontecido”, disse Mumureanu, e acrescentou: “Esses tremores são uma surpresa, não podendo ser facilmente explicados pelo conhecimento científico” (“The Earth Cracking Up” - A Terra em Colapso).

Leiamos o que o Apóstolo João disse, exatamente, quando descreveu o drama, conforme Apocalipse 6:12-14: “E, havendo aberto o sexto selo, olhei, e eis que houve um grande tremor de terra; e o sol tornou-se negro como saco de cilício, e a lua tornou-se como sangue; e as estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira lança de si os seus figos verdes, abalada por um vento forte. E o céu retirou-se como um livro que se enrola; e todos os montes e ilhas foram removidos dos seus lugares.”

A frequência dos terremotos tem crescido assustadoramente e os que estudam este assunto estão alarmados. Conforme registro no “Rapture Ready News”, já houve 49 erupções vulcânicas, neste ano de 2012. O vulcão Sangay do Equador liberou 2 quilômetros de nuvem de cinzas, durante um vôo em 13/04, às 8:25, hora local. Isto gerou uma coluna de cinza e vapor de cinza de 2 Km acima do local da cratera (“Rapture Ready News”, 15/04/12). “O sol ficou negro como saco de silício” (Apocalipse 6:12), um dos resultados dessa erupção.

Para aumentar a nossa compreensão do que está acontecendo, devemos considerar como fora da normalidade o que está ocorrendo em nosso sol. Temos aqui o registro do “space.com”, sobre o evento, em 16/04: “O sol irrompeu numa intensa erupção solar, hoje, 16/04, liberando uma tremenda quantidade de plasma super-aquecido, que subiu a uma altura acima da superfície da estrela, antes de se lançar ao espaço. Essa poderosa erupção solar foi registrada como uma moderada, da classe M1.7, na escala das tempestades solares, colocando-se firmemente na média da escala usada pelos cientistas, para medir a força da erupção. Essa tempestade solar é a mais forte das erupções captadas este ano, nas fotos e nos vídeos da NASA, revelando-se com uma amostra visível de plasma magnético”.
Quando será que o sol vai, de fato, deixar de brilhar? Deixemos a reposta ao Criador...
A infalível e perfeita Palavra de Deus declara: “... havendo os teus juízos na terra, os moradores do mundo aprendem justiça”. A cegueira do mundo ocidental em relação às coisas sagradas e sua arrogante negação de um possível julgamento divino é notória. Se Deus não agir contra os pecados da humanidade Sua reputação estará em jogo. Não há dúvida de que o Soberano Deus está preparando uma visitação a este mundo, não mais com a vinda do Seu Filho para nos salvar, mas com os castigos que merecemos. 

O Espírito de Deus falou pelo Apóstolo Pedro, em seu sermão, no Dia de Pentecoste. Pedro estava se dirigindo à dispensação da igreja, daquele tempo, até hoje. Se existe um capítulo na Bíblia que deveria ser uma clara advertência ao mundo eclesiástico, este é o capítulo. A igreja de Jesus Cristo foi inaugurada no Pentecoste e o Espírito Santo não deixou de anunciar a hora final.

Pedro falou muito apaixonadamente sobre os últimos dias com respeito ao Reino de Deus na Terra: “E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos terão sonhos; e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e as minhas servas naqueles dias, e profetizarão; e farei aparecer prodígios em cima, no céu; e sinais em baixo na terra, sangue, fogo e vapor de fumo. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes de chegar o grande e glorioso dia do Senhor; e acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”. (Atos 2:17-21). Pedro usou a palavra grega “lasteschatos”, cuja significação é “o mais remoto”, “o extremo” ou “o último dos últimos”. É evidente que já chegamos a este tempo.

As coisas que estão para acontecer, brevemente, vão abalar o âmago deste mundo. Imaginem à 1:30 hora da tarde, num dia ensolarado, de repente, o sol desaparecendo e tudo ficando às escuras, como se fosse meia-noite! Nada na ciência natural ou na natureza poderá identificá-lo como uma causa natural. Os cientistas que estudam a atmosfera estão sendo rapidamente levados a um novo rumo de pensamento e só conseguem dizer: “Isso é inesperado... Não temos respostas”. A escuridão não apenas vai estarrecer de medo as pessoas como sendo um ato divino, mas uma comoção espiritual perturbadora vai segui-la, mais forte do que a do dia 11 de Setembro, a qual foi uma pálida amostra do que virá. Os animais buscarão refúgio, as aves buscarão os poleiros e os cães vão ladrar de terror.

O eclipse solar poderá ser seguido com a lua se tornando cor de sangue, percorrendo o firmamento como se estivesse dando um banho de sangue no mesmo. A cor do sangue vai deixar todas as coisas celestes com uma negritude avermelhada. Os ímpios vão blasfemar contra os céus e se atirar ao uso das drogas. A Bíblia promete que este julgamento vindouro será tão assustador que as multidões despreparadas vão ficar apavoradas ao ver “as virtudes do céu sendo abaladas”. Nossa lua atual é o corpo celeste que determina as marés dos oceanos. Quando ela começar a entrar em convulsão, as águas da Terra vão fazer o mesmo. 

O Filho de Deus nos avisou sobre o que vai acontecer: “E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas”. (Lucas 21:25). A costa leste e a oeste da América certamente vão experimentar tsunamis, que devastarão as principais cidades. Nesse tempo, os debates sobre as condições climáticas deixarão de ser o assunto dos jornais, diante da realidade tenebrosa que estará presente. Os ateus vão amaldiçoar e jurar ou então se voltar para a adoração. Já não haverá meio termo entre os crentes e os incrédulos.

O apóstolo Pedro falou das coisas que vão acontecer, como sendo quase antecipadamente inadmissíveis. Um eclipse do sol, com a lua se tornando em sangue é apenas uma parte do que o mundo cristão poderá encarar, enquanto estiver aguardando o Arrebatamento.
O Apóstolo Pedro disse: “Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios...Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão” (2 Pedro 3:7,10).

Estamos falando de eventos inacreditáveis. Fenômenos da natureza poderão causar alguns destes eventos, mas eles serão de tal maneira inesperados e inexplicáveis que a Soberania de Deus será reconhecida. Conquanto os sete anos da Grande Tribulação não devam começar antes do Arrebatamento, o prelúdio desses sete anos certamente vai acontecer. Uma multidão de pessoas honestas de coração certamente vai repudiar os críticos da Bíblia e começar a dar glória a Deus. Quando o sol desaparecer - ou for coberto pela mão de Deus - e o mundo inteiro ficar em trevas, os altares e os bancos das igrejas ficarão lotados de pessoas se lamentando.

O Espírito Santo usou o Apóstolo Pedro para explicar o julgamento divino; porém, acenou com uma esperança, conforme Atos 2:19-21: “E farei aparecer prodígios em cima, no céu; e sinais em baixo na terra, Sangue, fogo e vapor de fumo. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes de chegar o grande e glorioso dia do Senhor; e acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.”

A propósito deste sermão de Pedro, lembramo-nos das preocupações dos ambientalistas, celebrando o “Dia da Terra”. Posso entender suas preocupações. Quando se considera o que a Bíblia profetizou que vai acontecer, eles têm motivos para ficar profundamente amedrontados. Por isso, estão se mobilizando para salvar a Terra. Em um dos seus sites, lemos: “Nosso planeta, nosso lar, está sendo negligenciado. O clima muda continuamente. Parece acontecer um novo desastre ecológico diariamente. Este 'Dia da Terra', é o tempo de mobilizar os que pisam o chão do planeta para enviarem uma mensagem de que a Terra não pode mais esperar” (Mobilize the Earth).

É triste observar tantas pessoas tateando nas trevas da ignorância bíblica. Os desastres vão acontecer a essas amadas pessoas, exceto às que forem alcançadas para Cristo e participarem do Arrebatamento dos salvos. Tudo pode acontecer antes ou depois do Arrebatamento.

O Apóstolo Pedro estava falando em Jerusalém para a multidão e para a igreja, o que significa que uma parte do julgamento divino poderá acontecer a qualquer momento. Todos nós seremos apanhados de surpresa, caso não estejamos preparados para o que o Senhor vai fazer.

Minha oração é que Ele envie uma parte desses desastres antes do Arrebatamento, a fim de que muitos que ainda estão perdidos, possam despertar para a verdade do evangelho, o qual poderá livrá-los de tão terríveis acontecimentos.

Pr. Joseph Chambers - “The Weather Paterns Gone Berserk”

Tradução e adaptação por Mary Schultze - 20/04/2012.

AMOR: A SUPREMA VIRTUDE!!

“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três: porém o maior destes é o amor”.

I Coríntios 13:13

Pedimos muito a fé, os dons espirituais, o batismo com Espírito Santo, a cura divina, etc. mais pedimos pouco ou quase nada de amor. I Cor 13: 2 diz que a fé sem amor de nada vale. A fé tem valor quando é expressa pelo amor, Gal. 5:6. Por isso temos que buscar a primícia do amor.

O amor é uma característica peculiar dos discípulos de Cristo (João 13:35). Nós somos identificados pelo amor em nossas vidas. O amor é a marca registrada. O verdadeiro poder e sucesso não é ser alguém importante, e sim, ter amor. Ninguém é maior que ninguém se não tiver o amor. O amor é o maior. O amor não é: egocêntrico, nem permuta, nem condicional. Não podemos dizer que amamos as pessoas para obtermos favores, temos que amar as pessoas doando de nós mesmos.

O verdadeiro amor tem censo de justiça, imparcialidade, retidão, pureza, lealdade, paciência. O verdadeiro amor edifica, encoraja, é Cortez, humilde, altruísta e sincero.

Amor é diferente da Paixão. Amor é doação. Amor é uma decisão. Decisão de tratar as pessoas como Jesus as tratou. Paixão é egoísta, quer apenas ser servido e não servir, quer receber e não dar.

Não podemos dar o que não temos. Não posso amar se não tenho amor. Não adiante conhecer a Bíblia que fala do amor e isto não ter influencia em nossas vidas. Quando buscamos e vivemos o amor mudamos nossos pensamentos, conversas, hábitos, críticas, legalismo, rancor, egoísmo e a rudez.

Se quisermos aprender um pouco mais sobre o amor é só encontrarmos alguém que age em amor e estudarmos esse individuo. Observarmos como que ele convive com as pessoas e com as situações difíceis ou tensas. É só examinar o fruto em sua vida.

Temos que pedir a Deus para nos reduzir ao amor e vivê-lo como a grande prioridade de nossas vidas.

Pr. Jair Lara

Jair Da Cruz Lara

 

MEU COMPROMISSO COMO CRISTÃO


Recebido do meu amigo, Pr.Osvaldo Zengo
 

Sou parte da comunhão daqueles que não tem do que se envergonhar. Eu tenho o poder do Espírito Santo, eu já morri. Eu já ultrapassei a linha. A decisão já foi feita. Eu sou um discípulo dele. Eu não vou olhar atrás, me abater, esmorecer, retardar ou me acomodar.


Meu passado é redimido, meu presente faz sentido, meu futuro é seguro. Eu acabei, exterminei a vida mansa, andar pela aparência, planejamentos raquíticos, joelhos trôpegos, sonhos desbotados, visões descolo ridas, falar mundano, viver barato e alvos anões.

Eu não mais preciso de preeminências, prosperidades, posição, promoções, aplausos ou popularidade. Eu não tenho que estar certo, ser o primeiro, estar por cima, reconhecido, louvado, notado ou recompensado. Agora, eu vivo pela fé, inclinado à Sua presença, caminhando através da paciência elevado pela oração e trabalho pelo poder de Deus.

Minha face é coerente, meu passo é firme e rápido, meu alvo é o céu, minha estrada é estreita, meu caminho é difícil, meus companheiros poucos, meu guia confiável, minha missão é clara. Eu não posso ser comprado, fazer concessões, divergir, cair em tentação, dar as costas, desiludir-me ou demorar. Eu não vou recuar diante do sacrifício, hesitar na presença do adversário, negociar na mesa do inimigo, mergulhar na piscina da popularidade ou ser levado pelo labirinto da mediocridade.

Eu não vou desistir calar, esmorecer, até que eu tenha levantado ajuntado, orado, pago pregado pela causa de Cristo. Eu sou discípulo de Jesus. Eu devo ir até que Ele venha pregar até que Ele me pare. E quando Ele vier para buscar o seu povo não terei problemas para Ele me reconhecer, minha bandeira estará bem clara.

(Escrito por um jovem Pr. Africano prestes a morrer por causa da malária, entalhado na porta de sua casa).

terça-feira, 17 de abril de 2012

Criando motivação para o evangelismo na EBD

Por Pastor Davi Freitas de Carvalho

Ensinar a Palavra de Deus é uma das formas mais agradáveis de evangelizar. 
Quão importante é o evangelismo para você, querido professor? Você se sente motivado a, diariamente, levar Cristo aos perdidos?
Neste artigo, vamos descobrir algumas razões que a Bíblia oferece para nos mantermos motivados na tarefa de evangelizar.

Lucas 19.10 – “Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”.

A primeira razão para nos manermos motivados a evangelizar é a terrível condição dos perdidos: morte e separação. Dentre as parábolas empregadas por Lucas, exemplifica a relação perdição e morte o filho pródigo, que representa a condição errante da humanidade em relação ao Pai. Foi dito acerca dele, quando regressou para o convívio paterno: “porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado”. Assim é a condição do pecador, morto em delitos e pacados e afastado de Deus e suas bênçãos (Ef 2.1).
As pessoas que conhecemos, e com as quais convivemos, que não têm Cristo como Salvador e Senhor estão nessa condição. Reconhecer esse fato irá, realmente, nos motivar. Evangelizamos, pelo ensino da Palavra de Deus, para resgatar o pecador dessa terrível condição.

Daniel 12.2 – “E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno”.

A segunda razão bíblica a nos motivar ao evangelismo é a certeza da eternidade. Não podemos viver como se nossa existência e a de nossos conhecidos fosse acabar coma morte física. A Bíblia afirma que todos os homens vão experimentar a existência eterna, depois da ressurreição, com dois destinos possíveis: a vida eterna, garantida para nós a partir da presença real de Cristo, pela fé, ou o desprezo eterno. Evangelizamos, pelo ensino da Palavra de Deus, para que os pecadores possam receber o dom da vida eterna, depois desta vida.

2Tessalonicenses 1.9 – “...os quais sofrerão, como castigo, a perdição eterna, banidos da face do senhor e da glória do seu poder”.

Neste versículo, Paulo descreve o destino das pessoas que não conhecem a Deus, não lhe obedecem nem ao evangelho de Jesus Cristo: o inferno.
Nós, que ensinamos a Palavra de Deus, devemos levar em conta que está em curso uma certa estilização do inferno, popularizado pelos filmes de Hollywood. Inocentes crianças são descritas a manipular atos de bruxaria e feitiçaria (Harry Potter), heróis que passeiam pelo inferno e voltam (Constantine) e tantos outros efeitos especiais diminuem o sentido real do horror do inferno, como local de banimento eterno, da presença gloriosa de Deus. 
Seremos motivados ao evangelismo se pensarmos que não é esse o destino escolhido por Deus para os seres humanos. Mateus 25.41 afirma que o inferno foi “preparado para o Diabo e seus anjos” e não para os homens. Evangelizamos, pelo ensino da Palavra de Deus, para que os pecadores possam evitar o trágico destino eterno do inferno.

Isaías 43.11 – “Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há salvador”.

A quarta razão a nos motivar ao evangelismo é o caráter exclusivo da salvação em Cristo Jesus. 
Muitas pessoas andam enganadas pela ideia de que, no fim das contas, por seu caráter bondoso, Deus vai salvar todas as pessoas. Isaías estava profetizando a exclusividade de Cristo para a salvação do pecador. Jesus cumpriu a profecia para reafirmar, em seus dias: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (Jo 14;6).
Evangelizamos, pelo ensino da Palavra de Deus, para que os pecadores reconheçam em Jesus Cristo a única esperança de sua existência. Nossos familiares e amigos, por melhores que sejam, em caráter e conduta, não podem escapar dessa prestação de contas, pois Jesus é o Mediador da salvação.

2Coríntios 5.14a; 1Coríntios 13.5b – “Pois o amor de Cristo nos constrange... não busca os seus prórios interesses”.

A quinta razão a nos motivar ao evangelismo é a força propulsora do amor de Cristo em nós. Ser constrangidos pelo amor é o mesmo que ser “governados”, “dirigidos” por ele. O exemplo é o de Cristo que, por amor, deu-se como sacrifício em nosso lugar. Quem ensina a Palavra de Deus deve fazê-lo por amor a Cristo e sua obra. É o resultado natural de um coração agradecido a Deus, pela própria salvação, a renúncia própria em prol do outro, que carece. 
Se afirmamos ter o amor de Deus em nós, certamente, haverá em nós uma preocupação real com os perdidos.

Atos 1.11 – “Esse Jesus, que dentre vós foi elevado para o céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir”.

Outra excelente razão bíblica a nos motivar ao evangelismo é a promessa do retorno de Cristo. Isso nos leva à urgência de pregar o evangelho enquanto é tempo, pois depois de sua vinda não havará oportunidades de salvação. Jesus vem como juiz.
Somos importantes instrumentos divinos, ao ensinar sua Palavra, cooperando com um Deus que “é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se” (2Pe 3.9b).
Você sente o peso dessa responsabilidade, ao ensinar? Deveria. Jesus Cristo insite com os seus filhos a que sejam produtivos, enquanto aguardam o seu retorno: “E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim” (Mt 24.14).

Efésios 3.10a – “para que agora a multiforme sabedoria de Deus seja manifestada, por meio da igreja...”

Esse é o jeito de Paulo descrever a tarefa da grande comissão, deixada por Jesus aos discípulos (Mt 28.18-20), e que, agora, é tarefa da igreja.
A Escola Bíblica Dominical é o lugar por excelência da manifestação da sabedoria de Deus, isto é, de como o pecador pode se tornar justo diante de Deus por meio da fé em Cristo.
Você está fazendo bem o seu trabalho? Deveria. Pois cabe aos professores da Palavra de Deus a grande responsabilidade do discipulado (instrução e ensino).

Estas são apenas sete razões que nos levam ao evangelismo sob a forma do ensino. Antes de iniciar sua jornada educacional dominical, pense um pouco em cada uma delas. Depois, escreva uma lista de pessoas que conhece e com quem mantém contato e pense em estratégias que poderá usar para inteirá-las acerca da vontade que Deus tem de salvá-las.
Ore por essas pessoas, diariamente, para que ouçam, para que creiam, para que sejam salvas. E, à media que for percebendo seu progresso, agradeça a Deus pelo provilégio de ser seu instrumento de justiça.


Pastor Davi Freitas de Carvalho
Juerp, RJ

domingo, 15 de abril de 2012

OS DEZ MANDAMENTOS DO NAMORO



Pr. Josué Gonçalves
Namoro é uma fase muito bonita. É definida como o ato de galantear, cortejar, procurar inspirar amor a alguém. O namoro cristão, tenha a idade que tiver, deve ser uma convivência afetiva preliminar que amadurece e prepara o casal para o compromisso mais profundo. O contrário disso, longe dos princípios de Deus, pode resultar em uma experiência nociva e traumática. Observe alguns princípios que ajudam a manter o seu namoro dentro do ponto de vista de Deus.
1. Não namore por lazer: namoro não é passatempo e o cristão consciente deve encarar o namoro como uma etapa importante e básica para um relacionamento duradouro e feliz. Casamentos sólidos decorrem de namoros bem ajustados.
2. Não se prenda em um jugo desigual (II Co 6:14-18): iniciar um namoro com alguém que não tem temor a Deus e não é uma nova criatura pode resultar em um casamento equivocado. E atenção: mesmo pessoas que freqüentam igrejas evangélicas podem não ser verdadeiros convertidos ou não levarem o relacionamento com Deus a sério.
3. Imponha limites no relacionamento: o namoro moderno, segundo o ponto de vista dos incrédulos, está deformado e nele intimidade sexual ou práticas que levam a uma intimidade cada vez maior são normais, mas o namoro do cristão não deve ser assim, o que nos leva ao próximo mandamento.
4. Diga não ao sexo: Deus criou o sexo para ser praticado entre duas pessoas que se amam e têm entre si um compromisso permanente. É uma bênção para ser desfrutada plenamente dentro do casamento; fora dele é impureza
5. Promova o diálogo e a comunicação: conversar é essencial, estabeleça uma comunicação constante, franca e direta e não evite conversar sobre qualquer assunto.
6. Cultive o romantismo: a convivência a dois deve ser marcada por gentileza, cordialidade e romantismo. Isso não é cafona, nem é coisa do passado e traz brilho ao relacionamento.
7. Mantenha a dignidade e o respeito: o namoro equilibrado tem um tratamento recíproco de dignidade, respeito e valorização. O respeito é imprescindível para um compromisso respeitoso e duradouro. Desrespeito é falta de amor.
8. Pratique a fidelidade: infidelidade no namoro leva à infidelidade no casamento. Fidelidade é elemento imprescindível em qualquer tipo de relacionamento coerente à vontade de Deus, que abomina a leviandade.
9. Assuma publicamente seu relacionamento: uma pessoa madura e coerente com a vontade de Deus não precisa e nem deve lutar contra seus sentimentos ou escondê-los.
10. Forme um triângulo amoroso: namoro realmente cristão só é bom a três: o casal e Deus. Ele deve ser o centro e o objetivo do namoro.
Deixe Deus orientar e consolidar seu namoro. Viva integralmente as bênçãos que Deus tem para você através do namoro. E seja feliz.
Eis a Noiva chegando!

         Os santos preparados para o Arrebatamento deveriam formar a classe  mais afortunada de pessoas, neste mundo. A verdade é que esta pode ser a última geração da Noiva de Cristo na Terra. Ela irá reinar com Ele, eternamente.  Após termos sido arrebatados, faremos parte dEle e de tudo que Ele fez e fará, por toda a eternidade. Ele disse aos Seus discípulos: Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também”. (João 14:1-3).

         . E ao redor do trono havia vinte e quatro tronos”; e vi assentados sobre os tronos vinte e quatro anciãos vestidos de vestes brancas; e tinham sobre suas cabeças coroas de ouro”.  (Apocalipse 4:4). [O número 24 é simbólico, pois o Livro do Apocalipse é um tratado que apresenta muitos símbolos]. 

         Considerar a eternidade como um prêmio para os santos de Cristo é excitante demais! A primeira coisa que vemos nesta posição honrosa é que iremos nos assentar com Ele em tronos, diante do Trono do Pai. Seremos vestidos com vestes imaculadas; seremos coroados e preparados para honrá-Lo e servi-Lo em Seu julgamento dos vivos e dos mortos, na Terra. 

     Os sete anos da Grande Tribulação devem acontecer simultaneamente com a Ceia das Bodas do Cordeiro, na Jerusalém Celestial.

         É impossível compreender o brado de alegria, antes de conhecer a Cidade do Grande Rei e a glória da Noiva reinando junto com o Noivo.  Os santos de todas as eras ali estarão reunidos em seus corpos glorificados, como convidados de honra. João fala sobre este evento: E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, e dos animais, e dos anciãos; e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares, que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças” . (Apocalipse 5:11-12).

          À medida em que formos nos movendo entre a grande multidão, iremos encontrar Sara, Abraão e outros grandes herois da fé, ali reunidos, talvez conversando, em gloriosa comunhão, por terem perseverado na fé em Deus, tendo como fonte de inspiração a Sua Palavra.  Após sete anos de vida celestial e de termos recebido os galardões que Cristo nos dará, conforme nossas boas obras feitas para Ele, exclusivamente por amor,  desceremos à Terra,  com Ele e o Seu batalhão de anjos e santos, montados em cavalos brancos, sabendo, de antemão,  que iremos derrotar os exércitos do Anticristo. Com Cristo nos guiando, somos sempre vencedores do inimigo de nossas almas. Nenhum dos santos será ferido, nenhum membro do exército da Noiva será derrubado do seu cavalo branco.

  A  vitória será completa  sobre a falsa igreja ecumênica, para consternação da infeliz multidão de enganados pelas falsas religiões e seitas, cujo engodo tornou milhares de pessoas escravas de Satanás e do Anticristo. Após a esmagadora vitória de Cristo, na Batalha do Armagedom, Satanás, o Anticristo e o falso profeta serão atirados ao Lago de fogo.

(Pr. Joseph Chambers/Mary Schultze, 07/04/2012.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

O Visitante Especial


O Visitante Especial
(Parábola)

No final de fevereiro, D. Mariquinha (D.M.) estava com a conta zerada no Bradesco e com apenas R$50 na bolsa. O pior é que ainda precisava agüentar uma semana sem dinheiro, ou retirar mais R$100 da Poupança, porque tem  uma despesa média semanal de R$150. Deixou a geladeira esvaziar, dizendo a si mesma que seria bom, pois somente assim poderia limpar aquela caixa de alimentos, serviço que ela detesta fazer. Para ela é bem mais fácil escrever um artigo de duas páginas ofício A-4 do que limpar a geladeira, embora goste de cozinhar e de fazer qualquer outro tipo de serviço doméstico.
Quando chegou ao portão de entrada no prédio onde mora, D.M. viu um senhor alto, magro e elegante,  de cabelos e barba castanho escuros, com uma sacola marrom às costas. Tinha feições nobres, mas sua aparência era bastante humilde. D.M. olhou para ele, deu um sorriso gentil e perguntou se poderia ajudá-lo, achando que ele poderia estar chegando de viagem e procurando algum morador do prédio. Ele respondeu que estava chegando do Crato, Ceará, não tinha onde se hospedar e o pastor Zeca,  dono da Papelaria Xande, ali perto, havia dito que D.M. é da mesma cidade e costuma ajudar as pessoas que vêm de lá.
Ela ficou indecisa e falou para si mesma: “Neste mundo repleto de “beira-mares”  é até perigoso dar pousada a qualquer estranho. Ele pode ser um bandido e me detonar à noite... Além disso, o que os vizinhos vão falar, se eu receber esse homem em minha casa?” Hesitou bastante, mas, finalmente, disse: “O Sr. pode entrar em meu apartamento para tomar um banho, comer alguma coisa e depois vou encaminhá-lo a um abrigo de pessoas carentes”. Ele concordou com um sorriso de gratidão e subiu junto com D.M.
Ela não costuma comer comida convencional, por isso tinha na geladeira apenas um resto de maionese de atum e um papaia, prato que iria servir para o seu jantar. Pegou duas fatias de pão de forma, colocou a maionese dentro das duas metades de papaia (já descascadas e sem sementes), rodeou as fatias com cubos de pão amanteigado, colocou o último tomate sem pele e sem sementes, a fim de completar a decoração do prato, e serviu o VISITANTE num dos pratos azul rei, que havia comprado na semana passada. Colocou um copo combinando com o prato, um guardanapo de papel e um dos talheres comprados em Nova York, em sua última viagem aos States. Sobre a mesa, ela botou uma toalha enfeitada de guirlandas coloridas... e tudo ficou lindo!  O visitante já havia tomado um banho, enquanto D.M., por via das dúvidas, havia deixado a porta destrancada, para, numa emergência qualquer, gritar pela boa vizinha Betty.
O visitante comeu tudo e elogiou o prato, dizendo que aquilo não era comida cearense... Era comida européia!  D.M. sorriu e disse que exatamente porque não gosta de arroz, feijão, macarrão, e outros carboidratos, não come doces e geléias e nunca foi gulosa, é que ela já passou dos setenta anos, com o mesmo peso dos vinte. Conversaram bastante e ela descobriu que o homem era culto, inteligente e muito simpático, além de ter a  mesma voz do Cid Moreira. O coração começou a arder-lhe no peito, com um sentimento diferente, e ela pensou: “Se ele tivesse a mesma idade que eu tenho... meu computador iria morrer de ciúmes...”
D.M. quase desistiu de conduzi-lo ao abrigo de carentes, mas sua experiência fê-la mudar de idéia. No tempo em que era microempresária na Baixada Fluminense, certa vez ela abrigou uma nordestina, a qual encontrara perambulando pelas ruas do RJ, e a mulher lhe deu muita dor de cabeça, exigindo que ela lhe desse metade da roupa de cama nova que viu numa das gavetas da casa. Também abrigou uma jovem hippie paraguaia, que acabou ficando seis meses em sua casa; uma jovem cearense, que desejava fazer um curso de Estética, tendo ficado mais de quatro meses; uma jovem paulista, que depois de seis meses, revelou-se uma tremenda mau caráter; um seminarista peruano, que depois se revelou com segundas intenções, e, finalmente, uma mulher estranha, que, no final das contas, era uma cigana e quase lhe seqüestrou a filha menor, naquela época com dez anos de idade. A partir desse dia, ela ficou mais cuidadosa. Mesmo assim, anos depois, hospedou uma  “escritora” paraense, que acabou lhe dando um prejuízo de R$200 e alguns problemas no supermercado vizinho, onde deu uma nota falsa de R$10, e só não foi presa porque disse que estava hospedada no apartamento de D.M. e o gerente era seu amigo.
D.M. relembrou todos esses incidentes e optou por levar o VISITANTE ao abrigo de carentes. Contudo, ao sair do apartamento, veio-lhe à memória este verso de Hebreus 13:2: “Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos”. D.M. hesitou um pouco e já ia decidindo ficar com o VISITANTE, quando este, olhando-a com doçura, falou: “Você já fez demais por mim. Provou que, realmente, obedece aos mandamentos de Tiago 2:5,16: “Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam? ... E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?”
         D.M. ficou maravilhada com o conhecimento bíblico do visitante e perguntou se ele era crente. Ele respondeu, simplesmente: “EU SOU O QUE SOU!”.
         Foi então que D.M. compreendeu que aquele VISITANTE de aparência humilde não era outro senão o próprio JESUS CRISTO,  Rei dos reis e Senhor dos senhores!
 Mary Schultze, 16/03/2003.