domingo, 27 de maio de 2012

Dilma quer abrir 'caixa-preta' de montadoras e cortar lucros


 Governo avalia que dá incentivos ao setor sem conhecer sua situação financeira
Para o Planalto, as margens de lucro são altas e deixam os carros nacionais muito caros em relação aos demais 

NATUZA NERY - DE BRASÍLIA - EDUARDO SODRÉ - EDITOR-ADJUNTO DE “VEÍCULOS”


Após a batalha da presidente Dilma Rousseff contra os juros dos bancos, o governo abrirá em breve outro front: quer que as montadoras de veículos no país abram as contas e margens de lucro. 

O Executivo avalia que dá incentivos a um setor sem conhecer a real situação financeira das fabricantes. Por isso, deseja "sair do escuro" e, eventualmente, cobrar reduções mais agressivas de preços, sobretudo, quando houver incentivos federais, como os anunciados na segunda.

Por lei, companhias de capital fechado, a maioria do setor, não são obrigadas a divulgar seus balancetes. 

Interlocutores de Dilma disseram à Folha que, após as medidas emergenciais para reduzir os estoques de carros, o próximo passo é atuar para, se for o caso, reduzir o "spread" das montadoras. 

Trata-se de uma investida semelhante à do Planalto junto aos bancos, ação que teria rendido, conforme pesquisas extraoficiais de opinião, alguns pontos percentuais a mais na aprovação de Dilma. 

Procurada, a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automores) não quis se pronunciar. 

Integrantes da cúpula do governo estão convencidos de que o carro brasileiro é caro não só pelo elevado nível de imposto (cerca de 30%, conforme Anfavea). Afirmam que, se os custos nacionais são altos, a margem de lucro das fabricantes também é. Em 2009, sob o impacto da crise externa, houve prejuízo das montadoras em suas sedes, mas não no Brasil. 

Representantes do setor serão chamados a Brasília para negociar a abertura de contas, e medidas legais podem torná-la obrigatória. O clima não é de guerra, mas a diferença de preços de carros no país e no mundo incomoda. 

Na Argentina, o Renault Duster 2.0 4x4 é vendido pelo equivalente a R$ 56.883. No Brasil, custa R$ 61.470. Em parte, essa diferença é explicada pela carga tributária e pelo "custo Brasil" (logística e mão de obra). Mas estudos de consultorias apontam lucro até duas vezes superior à média mundial. 

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/45248-dilma-quer-abrir-caixa-preta-de-montadoras-e-cortar-lucros.shtml

sábado, 26 de maio de 2012

IDE AO MUNDO INTEIRO E PROCLAMAI!- SEPARA-NOS!

Completam-se hoje os 10 dias e noites de oração rumo ao DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO. Amanhã é o grande dia. PENTECOSTE. Que o Espírito Santo assuma o lugar que lhe é devido em nossas vidas. Apodere-se de nós e viva a vida de Cristo, em nós e através de nós, no poder da ressurreição.
DIA 10 – 26 DE MAIO DE 2012
IDE AO MUNDO INTEIRO E PROCLAMAI!- SEPARA-NOS!
"Enquanto eles estavam adorando o Senhor e jejuando, o Espírito Santo disse: " Separai para mim ..." (Atos 13:2).

Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, graças por nos dares o Espírito Santo como nosso Consolador.
Graças pela obra que Teu Espírito tem feito em nossas vidas.Graças pelos dons do Espírito Santo, que nos capacitam a ministrar uns aos outros e aos incrédulos. 
Graças pelo trabalho de nosso Sumo Sacerdote. 
Graças pelo sangue que fala melhores coisas que o sangue de Abel. 
Graças porque podemos estar vivos num mundo onde tanto recursos humanos, como a tecnologia, podem ser usados para espalhar o Evangelho. 
Nós oramos para que a profecia de Jesus seja cumprida na nossa geração: que o mundo inteiro ouça o Evangelho.
Oramos para que a Igreja responda ao chamado por ceifeiros da colheita.
Oramos pela liberação de recursos para suprimento de cada necessidade dos que estão trabalhando nos campos de colheita. 
Nós resistimos e repreendemos as forças do mal que tentam retardar a obra do Evangelho nas nações. 
Nós falamos às portas antigas das nações: “Abram-se, ó portais; abram-se, ó portas antigas, para que o Rei da glória entre!” Amém!

ORE:
• Para que a Igreja seja obediente ao chamado do Espírito Santo e envie obreiros para os campos de colheita.
• Para que haja provisão espiritual, emocional, física e financeira para aqueles que atenderam ao chamado e estão servindo em qualquer ambiente transcultural.
• Para que as portas em países hostis ao Evangelho de Jesus Cristo se abram, que aos obreiros sejam concedidos vistos de longa duração e empregos, e que haja oportunidades divinas para compartilhar o Evangelho.
LEIA E MEDITE em Atos 27 e 28
Valnice Milhomens
 

quarta-feira, 23 de maio de 2012

No Inferno o Verme Nunca Morre

No Inferno o Verme Nunca Morre
Tipo: Crenças e religiões / Autor: Pr. Airton Evangelista da Costa

Add caption
Sei que qualquer figura de linguagem para descrever o inferno é inapropriada. Ainda que tentemos fazê-lo, não conseguiremos descrever a realidade do “lago de fogo e enxofre”, para onde irão o diabo, seus anjos e todos os que não estão escritos no livro da vida.

Uma clara declaração acerca do castigo eterno dos ímpios, é a seguinte:


“Os quais [os ímpios], por castigo, padecerão [sofrerão] eterna perdição [penalidade eterna], ante a face do Senhor e a glória do seu poder...” (2 Ts 1.9).


Daremos atenção à frase “padecerão eterna perdição”. Qual a sua correta interpretação? Padecer eternamente significa sofrer eternamente? Significa sofrer temporariamente para depois ser exterminado? Significa extermínio puro e simples?


O verbo “padecer” (grego tinõ), “pagar uma penalidade”, é traduzido na passagem por “padecerão (eterna perdição)”. Os ímpios estarão sujeitos a uma penalidade. E a penalidade é eterna.


O termo “aiônios”, traduzido como eterno, infinito, que não se acaba, contrasta com o termo proskairo, literalmente traduzido como “durante uma temporada, uma estação, por algum tempo”. É o que se vê em 2 Co 4.18: “Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem. Porque as que se vêem são temporais [proskairos], e as que se não vêem são eternas [aiônios]”.


Também “aiônios” é usado acerca do pecado que nunca obterá perdão (Mc 3.29). Ou seja, por todo o sempre, pelos séculos dos séculos, eternamente não haverá perdão para “qualquer que blasfemar contra o Espírito Santo”.


A palavra grega “Olethros”, - “ruína, destruição” - foi traduzida nesse caso com o seu adequado significado, isto é, “perdição”. Segundo o Dicionário Aurélio, PERDIÇÃO significa desgraça, ruína, estrago, desastre, perda. Exemplos: a perdição da esquadra; a perdição dos grevistas. E também significa condenação às penas eternas; danação; perdição das almas; desonra, descrédito, imoralidade, desregramento. Exemplo: A perdição da filha o levou ao suicídio. Não se pode entender que “perdição” aqui seja entendida como extermínio ou morte. Se o fosse, o entendimento seria que o pai se suicidou porque a filha morreu. Não. O pai tirou a própria vida porque a filha caiu em desgraça, arruinou-se.


O mesmo termo usado em 1 Tm 6.9, com o significado de “ruína”: “Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína”. Os homens que querem ficar ricos não são destruídos, mas arruinados, perdidos, separados de Deus, espiritualmente mortos.


De igual modo, também o substantivo apõleia é traduzido como “perda de bem estar, de felicidade”. É usado para descrever (a) coisas, significando desperdício ou ruína: de ungüento (Mt 26.8; Mc 14.4); (b) pessoas, significando sua perdição espiritual e eterna (Mt 7. 13; Jo 17.12; 2 Ts 2.3); metaforicamente, alude aos homens que persistem no mal (Rm 9.22); aos adversários do povo do Senhor (Fp 1.28, `perdição´); a cristãos professos, mas, na verdade, inimigos da cruz de Cristo (Fp 3.19, `perdição´); aos falsos mestres (2 Pe 2.1,3); aos descrentes (2 Pe 3.7); aos que torcem as Escrituras (2 Pe 3.16), etc. (Fonte: Dic. VINE).


Portanto, as palavras perdidos e perdição não podem ser invariavelmente interpretadas como aniquilamento, como querem alguns grupos religiosos. Um exemplo:


“E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas [apollumi] da casa de Israel” (Mt 15.24). Jesus disse que foi enviado às ovelhas mortas? Não. Foi enviado às ovelhas desviadas, em ruína espiritual. Agora vejam mais:


“E não temais os que matam [apokteinõ] o corpo e não podem matar [apokteinõ ou apoktennõ] a alma; temei antes aquele [Deus] que pode fazer perecer [apollumi] no inferno a alma e o corpo” (Mt 10.28; v. Lc 12.5).


Notem que o verbo apokteinõ foi traduzido no seu significado real quando se tratava de exterminar, isto é, não podem exterminar a alma. Quando o significado é castigar, padecer e sofrer, o verbo usado é apollumi. O evangelista soube muito bem fazer a distinção entre exterminar e fazer padecer. Em todos os setenta e quatro versículos em que foi usado o verbo apokteinõ o significado literal e real foi o de exterminar, tirar a vida, extinguir: “Jerusalém, Jerusalém, que matas [apokteinõ] os profetas, e apedrejas os que te são enviados”! (Mt 23.37a).


Tais realidades se coadunam com a seguinte seqüência:


Apocalipse 19.20 - A besta e o falso profeta são lançados vivos no lago de fogo.

Apocalipse 20.2 – Satanás é amarrado por mil anos.
Apocalipse 20.5 – Os outros mortos reviveram após os mil anos.
Apocalipse 20.7 – Satanás será solto da sua prisão.
Apocalipse 20.10 – O diabo foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta. De dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.
Apocalipse 20.15 – Serão lançados no lago de fogo todos os não inscritos no livro da vida.

Observem que passados mil anos (Ap 19.20) a besta e o falso profeta ainda se encontravam vivos no lago de fogo (Ap 20.10) e continuarão no mesmo eterno estado de ruína, sendo atormentados dia e noite. Se a besta e o falso profeta não foram exterminados no lago de fogo, também não o serão os ímpios ali lançados. “De dia e de noite serão atormentados para todo o sempre” quer dizer exatamente o que diz, isto é, eterna perdição (2 Ts 1.9).


Jesus revelou que os justos ressuscitarão “para a vida”, e os ímpios “para serem condenados” (Jo 5.29); na carta aos romanos Paulo indica que “haverá tribulação e angústia para todo ser humano que pratica o mal” (Rm 2.9); em Daniel 12.2 lê-se que os ímpios ressuscitarão “para a vergonha e desprezo eterno”; Apocalipse 14.11 diz que não haverá descanso “nem de dia nem de noite” para os adoradores da besta; Apocalipse 20.10 anuncia que os que forem lançados no lago de fogo “serão atormentados dia e noite, para todo o sempre”; Jesus declara que os insensatos e hipócritas serão punidos severamente num lugar “onde haverá choro e ranger de dentes” (Mt 8.12; 24.51; 25.30), e onde estarão amarrados, em trevas, para todo o sempre (Mt 22.13).


Convenhamos, defunto não chora, não se angustia, não range dentes, não passa por tribulação, não se atormenta, não sente vergonha ou desprezo. Logo, não deve prevalecer a idéia de que os ímpios serão exterminados. Deus não ressuscitará os ímpios para exterminá-los em seguida (Ap 20.5). Agiria assim para que morram “conscientes” da punição? De maneira alguma. É uma impropriedade alegar que a ressurreição é um prelúdio da morte. Reviver para morrer, sair da sepultura para, em seguida, ser exterminado é tese que colide frontalmente com a Palavra. A ressurreição do corpo é para que viva; não para que morra. Não fosse assim, não haveria razões para ressuscitar os que já se acham mortos.


Por último, examinemos:


“E, se o teu olho te escandalizar, lança-o fora; melhor é para ti entrares no reino de Deus com um só olho do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno, onde o seu bicho [verme] não morre, e o fogo nunca se apaga (Mc 9.47-48)”.


Notas:


(a) “A declaração “onde o seu bicho não morre, e o fogo nunca apaga” significa a exclusão de esperança de restauração, constituindo-se em castigo eterno” (Dic. VINE).


(b) Jesus não está falando de vermes da terra, nem de nenhum outro tipo de animal. Ele está falando sobre o corpo humano. Observe que ele não diz: “onde o verme não morre”, mas diz: “onde não lhes morre o verme”. O termo “lhes” [ou seu] refere-se aos homens que pecaram e morreram sem arrependimento (cf. 9.42-47). “Verme”[bicho] é simplesmente um modo de referir-se ao “verme humano”, ou a esta carcaça, conhecida como corpo. Isso está de acordo com o contexto, em que Jesus está falando das partes do corpo, tais como “mãos” e “pés” (9.43-45). Ele disse que não deveríamos temer os que podem matar o corpo (os homens), mas não a alma; mas que, antes, temêssemos aquele (Deus) que tem poder para lançar corpos e alma no inferno eterno (Lc 12.4-5; cf. Mc 9.34-48)” (Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia, Norman Geisler e Thomas Howe).


Com essas considerações, as passagens a seguir se tornam mais claras:


“E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome” (Ap 14.11). “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre” (Ap 20.10).

08.05.06
www.palavradaverdade.com

O julgamento dos crentes no Tribunal de Cristo

LIÇÕES BÍBLICAS - O julgamento dos crentes no Tribunal de Cristo
Tipo: Estudos bíblicos / Autor: Pr. Airton Evangelista da Costa


“PORQUE TODOS DEVEMOS comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal” (2 Co 5.10).

A Bíblia ensina que os crentes terão, um dia, de prestar contas “ante o tribunal de Cristo”, de todos os seus atos praticados por meio do corpo, sejam bons ou maus. No tocante a esse julgamento do crente, segue-se o estudo de alguns de seus pontos.


(1) Todos os crentes serão julgados; não haverá exceção (Rm 14.10,12; 1 Co 3.12-15; 2 Co 5.10).

(2) Esse julgamento correrá quando Cristo vier buscar a sua igreja (1 Ts 4.14-17).
(3) O juiz desse julgamento é Cristo (Jo 5.22, cf. “todo o juízo”; 2 Tm 4.8, cf. “Juiz”).
(4) A Bíblia fala do julgamento do crente como algo sério e solene, mormente porque inclui para este a possibilidade de dano ou perda (1 Co 3.15, cf. 2 Jo 8); de ficar envergonhado diante dEle “na sua vinda” (1 Jo 2.28), e de queimar-se o trabalho de toda sua vida (1 Co 3.13-15). Esse julgamento não é para sua salvação ou condenação. É um julgamento de obras.
(5) Tudo será conhecido. A palavra “comparecer” (gr. Phaneroo, 2 Co 5.10) significa “tornar conhecido aberta ou publicamente”. Deus examinará e revelará abertamente, na sua exata realidade, (a) nossos atos secretos (Mc 4.22; Rm 2.16), (b) nosso caráter (Rm 2.5-11), (c) nossas palavras (Mt 12.36, 37), (d) nossas boas obras (Ef 6.8), (e) nossas atitudes (Mt 5.22), (f) nossos motivos (1 Co 4.5), (g) nossa falta de amor (Cl 3.23-4.1) e (h) nosso trabalho e ministério (1 Co 3.13).
(6) Em suma, o crente terá que prestar contas da sua fidelidade e infidelidade a Deus (Mt 25.21-23; 1 Co 4.2-5) e das suas práticas e ações, tendo em vista a graça, a oportunidade e o conhecimento que recebeu (Lc 12.48; Jo 5.24; Rm 8.1)

(7) As más ações do crente, quando ele se arrepende, são perdoadas no que diz respeito ao castigo eterno (Rm 8.1), mas são levadas em conta quanto à sua recompensa: “Mas quem fizer agravo receberá o agravo que fizer” (Cl 3.25; cf. Ec 12.14; 1 Co 3.15; 2 Co 5.10). As boas ações e o amor do crente são lembrados por Deus e por Ele recompensados (Hb 6.10) “Cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer” (Ef 6.8).


(8) Os resultados específicos do julgamento do crente serão vários, como obtenção ou a perda de alegria (1 Jo 2.28), aprovação divina (Mt 25.21), tarefas e autoridade (Mt 25.14-30), posição (Mt 5.19; 19.30), recompensa (1 Co 3.12-14; Fp 3.14; 2 Tm 4.8) e honra (Rm 2.10; cf. 1 Pe 1.7).


(9) A perspectiva de um iminente julgamento do crente deve aperfeiçoar neste o temor do Senhor (2 Co 5.11; Fp 2.12; 1 Pe 1.17), e leva-lo a ser sóbrio, a vigiar e a orar (1 Pe 4.5,7), a viver em santa conduta e piedade (2 Pe 3.11) e a demonstrar misericórdia e bondade a todos (Mt 5.7; cf. 2 Tm 1.16-18).


Fonte: Bíblia de Estudo Pentecostal

Transcrição:
Pr. Airton Evangelista da Costa
www.palavradaverdade.com
www.palavradaverdade.org

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Empregados crentes em Jesus não podem ser "mais ou menos"!!


Nosso Andar Diário

Leitura: Colossenses 3:22-25 

 
"Servos, obedecei em tudo ao vosso senhor segundo a carne […] em singeleza de coração, temendo ao Senhor." Colossenses 3:22

O primeiro emprego de Pedro era numa mercearia no turno da noite. Após o fechamento da loja, ele e outros funcionários abasteciam as prateleiras. O chefe de Pedro os instruiu a sempre virar as latas de sopa para frente, para o rótulo ser lido facilmente. Mas ele fora um pouco mais longe, dizendo: “Certifique-se de estarem voltadas para frente — numa sequência de três latas”. Certa noite, quando Pedro arrumava as prateleiras, seus colegas de trabalho começaram a zombar: “Apenas certifique-se de que a lata da frente esteja virada da maneira correta. Quem vai saber?”


Foi um momento de decisão para o adolescente. Ele deveria obedecer ao que o seu chefe havia solicitado, ou apenas fazer o mais fácil?


Todos nós já passamos por situações similares em que tivemos de decidir. O apóstolo Paulo encorajou seus companheiros cris tãos a serem obedientes, mesmo quando ninguém os estivesse olhando: “Servos, obedecei em tudo ao vosso senhor segundo a carne, não servindo apenas sob vigilância, visando tão-somente agradar homens, mas em singeleza de coração, temendo ao Senhor” (Colossenses 3:22).


Agir corretamente não deve depender de nosso chefe estar por perto ou de alguém estar observando. Nem sempre é fácil ou conveniente ser obediente. Mas é correto.


Lembre-se, “…aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz, nisso está pecando” (Tiago 4:17).


Retirado do facebook de Vânia R Payrits

UM LIVRO OU UMA PESSOA?

Liderança e Espiritualidade

UM LIVRO OU UMA PESSOA?

Essa semana tive o privilégio de ouvir o pastor Armando Bispo da Igreja Batista Central de Fortaleza. A mensagem pregada no culto da manhã foi muito desafiadora, inquietante e inspiradora. De tudo o que ouvi, uma pergunta ficou em minha mente: “nós seguimos um livro ou uma pessoa?” O questionamento foi baseado em João 5:39-40 quando diz: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; E não quereis vir a mim para terdes vida.” Eu fiquei a tarde de domingo com essa pergunta na mente e pensei em como a resposta a ela pode fazer a diferença total no relacionamento com Jesus Cristo. Muitas pessoas seguem um livro – a Bíblia – mas não seguem uma pessoa – Jesus Cristo. Conhecem a Bíblia, a estudam com frequência e em alguns casos chegam quase à uma idolatria, deixando-a aberta em um salmo, dormindo com ela embaixo do travesseiro ou até mesmo carregando-a de um lado para outro como se fosse um amuleto ou objeto sagrado. Sua devoção é para com o livro e não para com Jesus Cristo.


Os Fariseus da época de Jesus Cristo adoravam a Lei mas não tinham relacionamento com o Deus vivo. Parece uma incoerência, mas é fácil de acontecer. Eles carregavam a Lei consigo, a beijavam, a reverenciavam, faziam procissões levando-a à frente do cortejo. Eram arrogantes e diziam ser os únicos capazes de entende-la e cumpri-la. Mas, apesar de todo esse ‘conhecimento’ não conseguiram entender que elas testemunhavam de Jesus Cristo, que o menino nascido em Belém era o cumprimento de todas as profecias que muitos daqueles homens conheciam de cor e ensinavam ao povo. Eles pisaram o mesmo chão que Jesus mas não o reconheceram como o Senhor e Salvador. Eles são o exemplo mais nítido de seguir o livro mas não a pessoa. Isso já havia acontecido antes de Jesus, quando o povo de Israel tinha a Lei de Deus dada por Moisés mas não se relacionavam com Deus através dela. Carregavam as tábuas da Lei mas não tinham amor ao Deus que lhes dera a Lei.


Nós temos a Bíblia como nossa regra de fé e prática. Como nosso manual. Como nossa doutrina. Já fomos chamados no passado de ‘bíblias’ por carregarmos a Palavra de Deus debaixo do braço. Como Batistas somos reconhecidos como o povo que estuda a Bíblia. Tudo isso é bênção! Mas não nos esquecemos: A Bíblia não salva; quem salva é Cristo! Não nos relacionamos com a Bíblia mas sim com Jesus. Ela é a ferramenta, o meio, a placa sinalizadora que aponta para uma pessoa viva e santa: Jesus Cristo! O Cristianismo não é acadêmico, não se resume ao estudo de um livro. Ele é vivencial e relacional, tem a ver diretamente com Jesus Cristo que salva, dá vida e transforma a vida daqueles que nEle creem. Sempre convidamos as pessoas a abrirem o coração a Jesus Cristo, a receberem Jesus em suas vidas, e isto está correto pois seguimos uma pessoa e temos a salvação garantida por ela.


A Bíblia - que testemunha de Jesus e aponta para Ele – diz que os primeiros discípulos foram chamados de “cristãos” (Atos 11:26). Por que cristãos? A resposta é simples: eles seguiam a Jesus. Eram tão discípulos quanto os primeiros doze e por isso receberam o título que estava identificado diretamente com sua missão. Hoje nós somos chamados de cristãos e precisamos resgatar essa identidade. Seguimos a Jesus! Amamos a Jesus! 


Andamos com Jesus! Temos Jesus em nossos corações. Somos salvos, libertos, perdoados e transformados por Jesus. E esse Jesus, deixou claro: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; E não quereis vir a mim para terdes vida.” Temos vida em Jesus Cristo e a vivemos firmados na Palavra de Deus, orientados por ela e nossa fé é disciplinada por seus ensinos. Mas ela é o meio e não o fim. É para Jesus que olhamos, pela fé e não pelo academicismo. Ele é a razão da nossa fé, nosso anseio e nossa esperança. 

Então, respondendo a pergunta de nosso querido Pastor Armando, nós seguimos uma pessoa e não um livro. Não adianta carregar o livro se não temos Jesus no coração. Não adianta beijar a capa da Bíblia se não nos relacionamos diretamente com nosso Jesus! Então, nutramos relacionamento com Jesus, todo dia, à cada instante, usando a Bíblia como o testemunho vivo que supera o academicismo, conhecimento ou leitura fria e nos leva a um relacionamento real, prático e cheio de vida.

Guilherme de Amorim Ávilla Gimenez

prgimenez@prgimenez.net
www.prgimenez.net

domingo, 20 de maio de 2012

Crianças na Igreja em Células

Jesus ama as crianças. Certa vez, durante seu tempo aqui na terra, ele disse: "Deixem que as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isso, pois o Reino do Céu é das pessoas que são como estas crianças" (Mateus 19:15.15). Deus ama as crianças e as prioriza. Nós também devemos fazê-lo.

Sabemos que as crianças são o futuro e, de fato, elas não serão crianças por muito tempo. Algumas vão inclusive ser nossos futuros líderes. Estatísticas dos Estados Unidos nos dão conta de que aproximadamente metade de todos os americanos que aceitam a Jesus Cristo como seu salvador o fazem antes de atingir os 13 anos de idade (43%) e que dois em cada três cristãos nascidos de novo (64%) fizeram seu compromisso com Cristo antes de seu 18° aniversário (Barna, 2004). Claro, isso pode variar mundo afora, mas a verdade permanece: precisamos alcançar as crianças.

Igrejas em células priorizam as crianças tanto nas células quanto nas celebrações. Eu incentivo, por exemplo, igrejas a permitirem que as crianças permaneçam na célula dos adultos para o tempo do quebra-gelo e da adoração. Durante o tempo da Palavra, as crianças podem deixar a célula dos adultos e receber uma lição bíblica personalizada dirigida por um dos membros da célula (se necessário, os membros podem revezar este tempo de ensino). Também funciona exibir um vídeo cristão durante esse tempo.

Quando as crianças estão consistentemente frequentando a célula, ore para que Deus prepare um adulto ou adolescente que deseje liderar a célula das crianças. Pode ser alguém da sua própria célula de adultos ou da sua igreja. As crianças podem, então, reunir-se com seu líder de célula numa sala diferente na mesma casa durante todo o encontro de célula (ou pelo menos durante a parte da lição). Esta é uma célula de crianças normal e permanente que promove um quebra-gelo similar, adoração, lição, oração e evangelismo. A igreja deve providenciar material para o líder de célula de crianças e todo o auxílio necessário.

Outra opção é manter pequenos grupos para crianças em vários bairros pela cidade. Um adulto lideraria esse grupo pequeno. Essas células vespertinas são muito parecidas com os grupos pequenos da Child Evangelism Fellowship.

O ministério com crianças nos domingos de manhã também é fundamental. Você pode não chamar isso de Escola Dominical, mas é a mesma ideia. Adultos recebem ensinamento durante os cultos de celebração. E as crianças também não deveriam receber? Sim, Deus chama as crianças para celebrar e aprender aos domingos.

Este mês, no blog do JCG, estaremos explorando diferentes aspectos das crianças na igreja em células. Pastores experientes de igrejas em células escreverão 28 blogs no tópico de crianças na igreja em células durante todo o mês de maio. Cobriremos:

Semana 1: Fundamentos bíblicos. Quais os fundamentos bíblicos para se focar nas crianças? Jesus ama as crianças. O Novo Testamento é um livro sobre igrejas nas casas, e igrejas nas casas eram cheias de famílias com crianças!

Semana 2: A necessidade de se alcançar as crianças. Os pais são os primeiros discipuladores de seus filhos pequenos e adolescentes. Pais cristãos precisam assumir este papel com seriedade, tanto dentro da célula como fora dela. Ainda assim, muitas crianças hoje em dia têm pais não-cristãos que não podem trazer seus filhos para os caminhos de Cristo. Células de crianças são um salva-vidas para crianças que precisam de Jesus. Igrejas em células alcançam crianças tanto na célula quanto nos cultos de celebração.

Semana 3: Células familiares e células para crianças. Todas as gerações deveriam edificar-se mutuamente. Estamos falando de viver como uma família ampliada (assim como as casas da igreja primitiva). É pôr os solteiros em famílias, dando exemplos divinos como o da mulher mais velha para a mulher mais jovem.

Semana 4: Diretrizes práticas para crianças nas células. Falaremos sobre dicas para células de crianças e sobre o que outros estão fazendo para ministrar às crianças em células. Também observaremos algumas armadilhas e como escapar delas.

O que você pensa sobre crianças na igreja em células? Por favor, sinta-se livre para comentar.

Pr. Joel Comiskey
07 de maio de 2012

Leia mais textos sobre o tema:

Crianças na Igreja em Células

Mantenha as Gerações Conectadas

Fundamentos Bíblicos para Crianças na Igreja em Células

É Preciso uma Célula

Jesus e as Crianças
Recebendo as Crianças na Família de Deus

Sodoma e Gomorra podem ter sido destruídas por uma chuva de cometas

Pesquisador lança livro que tenta oferecer explicações cientificas para o ocorrido

por Jarbas Aragão

Sodoma e Gomorra podem ter sido destruídas por uma chuva de cometas

A Bíblia diz em Gênesis 19: 24 que Deus destruiu Sodoma e Gomorra com uma “chuva de fogo e enxofre”. Porém, recentemente a NASA tem procurado responder a questões como “Existe uma explicação plausível sobre o que a Bíblia diz sobre Sodoma e Gomorra? O enxofre e o fogo que caíram do céu e a esposa de Ló transformar-se em estátua de sal possuem uma base científica?”.

O doutor John S. Lewis, professor emérito de ciências planetárias da Universidade do Arizona e co-diretor do departamento de pesquisa do curso de Engenharia Espacial da Universidade do Arizona, afirmou acreditar que a destruição de Sodoma e Gomorra foi causado por cometas.

Vários outros astrônomos acreditam que a destruição das cidades está relacionada com a atividade de um cometa. John Lewis defende sua tese de “bombardeio cósmico” em seu livro: Rain of Fire and Ice: The Very Real Threat of Comet and Asteroid Bombardment [Chuva de Fogo e Gelo: A ameaça real do bombardeio de cometas e asteroides].

“A chuva de fogo do céu poderia ser a descrição dos danos causados pela desintegração de um cometa caído na atmosfera terrestre sobre essas cidades antigas. Grandes pedaços de material rochoso e gelo caindo do céu teriam a aparência de uma “chuva de fogo”. Além disso, o material dos cometas é rico em enxofre. Até mesmo uma queda de pequenos meteoritos pode causar um cheiro de enxofre tão forte que afogaria qualquer um”, explicou o cientista.

Poucos comentaristas bíblicos entendem qual o verdadeiro significado da descrição de fogo e enxofre caindo do céu. A atividade vulcânica não poderia ser usada para explicar o fogo e enxofre, pois não existem formações vulcânicas na região. Tentando explicar esta frase, alguns dizem que a destruição de Sodoma e Gomorra foi causada por um terremoto e o gás metano liberado, de alguma forma, pegou fogo, gerando explosões em depósitos de enxofre e alcatrão encontrados nos locais que as chamas chegaram até o céu.

No entanto, uma atividade sísmica deste tipo não tem precedentes e seria implausível em termos de geologia. Segundo a astronomia e a literatura antiga, a expressão “fogo caindo do céu” é simplesmente uma frase descritiva. “Fogo do céu” poderia ser uma descrição exata de um material cósmico (meteorito , asteroide ou cometa) queimando ao entrar na atmosfera da Terra.

Outras indicações de que um bombardeio de cometas podem ter causado a destruição de Sodoma e Gomorra estão em Gênesis 19:28. ”…viu, que a fumaça da terra subia, como a de uma fornalha.” Portanto, houve uma nuvem de fumaça que seria a consequência natural da explosão de um cometa batendo no solo. Um terremoto abriria apenas uma fissura no chão, não produziria uma nuvem alta, nem geraria os nódulos de enxofre presentes nas cinzas encontradas na área.

Até mesmo o impacto de um pequeno fragmento cósmico sobre Sodoma e Gomorra poderia liberar energia equivalente à explosão de várias bombas de hidrogênio e gerar uma nuvem em forma de cogumelo parecida com a das explosões nucleares. A Bíblia também usa a expressão “fumaça de uma fornalha” em Apocalipse 9:1-2, para descrever como uma estrela (corpo celestial – um cometa?) do céu cai sobre a terra e abre um grande buraco. Também diz que o céu escureceu e o sol foi obscurecido pela fumaça. Sem dúvida, esta parece à descrição do impacto explosivo de um cometa.

E quanto ao que aconteceu com a mulher de Ló, segundo narra Gênesis 19:26? A palavra hebraica traduzida como “sal” é “malach”, que pode significar “poeira”. Ou seja, ela foi ”pulverizada”, seja como sal ou poeira. Ao olhar para trás, ela se tornou uma coluna de sal/poeira.

Sabe-se que o impacto de um cometa produz grandes quantidades de poeira. Depois de um impacto sobre o solo, geram fortes ventos que contém grãos de poeira superaquecidos que poderiam facilmente encobrir um ser humano. Assim, qualquer um que estivesse dentro do raio de alcance seria sufocado e coberto pela poeira quente que deve endurecer depois que esfria.

Há vestígios de uma situação parecida quando foram achados corpos totalmente cobertos por cinzas e poeira durante a erupção vulcânica que atingiu a cidade italiana de Pompéia, lembra o doutor Lewis.

Traduzido e adaptado de Acontecer Cristiano

Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/sodoma-e-gomorra-podem-ter-sido-destruidas-por-uma-chuva-de-cometas/#ixzz1vSQK22cL

DIA MUNDIA DE ORAÇÃO – 27.05 DIA 4 – 20 DE MAIO DE 2012 CONHECE A VERDADE! – GUIA-NOS

[Jesus disse:] "Ele [o Espírito da Verdade] vos guiará a toda a verdade" (João 16:13).

Senhor Jesus Cristo, nós acreditamos que és o Caminho, a Verdade e a Vida!
Nós confessamos que a nossa geração perdeu seu caminho porque a Igreja tem, de várias maneiras, comprometido a verdade de Tua palavra por causa do medo, ignorância e engano.
Perdoa-nos! Guia-nos a toda a verdade por Teu Espírito de verdade. Restaura à Tua Igreja a verdade do Evangelho de Jesus Cristo. 
Escreve a verdade em nossas mentes e em nossos corações. 
Nós oramos para que a verdade seja pregada com ousadia e sem comprometimento. 
Retira a mentira dos nossos corações, nossas mentes e nossos lábios. 
Fortalece-nos no conhecimento de quem Tu és. 
Dá-nos armas Divinas para demolir fortalezas e ideologias que são enraizadas na mentira e as quais o inimigo usa para cegar as mentes de incrédulos. 
Ajuda-nos a falar a verdade em amor e graça para que os corações dos incrédulos sejam traspassados pela luz e verdade do Evangelho mais uma vez. 
Queremos abrir seus olhos de modo que eles possam voltar-se das coisas imprestáveis deste mundo para o Deus vivo. Tua Palavra é a verdade.
Tua Palavra é a lâmpada para os nossos pés e a luz para nosso caminho. Andaremos na luz de Tua verdade. Amém!

ORE:

• Para que a Igreja proclame a verdade pura e inconfundível acerca de Jesus Cristo e o fato de que só há salvação em Seu Nome.
• Para que os cristãos sejam fortalecidos em seu conhecimento de Jesus Cristo, que as decepções sejam expostas e a ignorância seja removida.
• Para que o véu que o deus deste mundo tem colocado nas mentes dos incrédulos seja removido através do testemunho dos cristãos e da verdade da mensagem do Evangelho.
LEIA E MEDITE em Atos 9, 10 e 11
Valnice Milhomens
 

sábado, 19 de maio de 2012

Tema “Corrupção nas Igrejas” é abordado em programa de TV – Confira…

maio 18, 2012 
2
A Universidade Mackenzie apresenta uma série de programa, e uma dessas séries no seu primeiro foi abordado o tema “Corrupção nas Igrejas” – apresentado pelo Rev. Augustos Nicodemos. - Confira e assista no final do post…

O programa “Academia em Debate” da Universidade Presbiteriana Mackenzie discutiu sobre a corrupção nas igrejas, falando do mau uso do dinheiro vindo dos fiéis e da questão de isenção fiscal às denominações.

O reverendo Augustos Nicodemos Lopes é o apresentador do programa e esteve entrevistando o professor de ciência da religião Paulo Romeiro que com propriedade abordou o assunto expondo temas polêmicos e mostrando uma possível solução para tentar acabar com essa corrupção.

“Uma boa parte da igreja brasileira se tornou altamente corrupta”, disse Romeiro. 

“As igrejas se tornaram muito criativas no levantamento de fundos, você vai encontrar uma campanha depois da outra, um objeto depois do outros”, complementa o professor falando das trocas promovidas por grandes igrejas neopentecostais.

O professor não é contra a arrecadação das ofertas, mas critica a forma como esse dinheiro é coletado e administrado. Para ele as pessoas continuam indo nessas igrejas porque a corrupção está enraizada na sociedade brasileira.

“Existe uma cultura da transgressão”, diz ele que acredita que o distanciamento dos valores bíblicos transformou a mensagem do Evangelho em autoajuda, sem a pregação da Cruz e dos valores cristãos.

Outro tema debatido no programa foi acerca da isenção de impostos para igrejas, a legislação brasileira cede esse benefício, pois essas instituições teriam caráter filantrópico, o que nos dias de hoje não ocorre mais. Tanto Nicodemus Lopes como Paulo Romeiro acreditam que é necessário rever essa isenção, pois as denominações se tornaram em negócios.

“O problema é que estão entregando o dinheiro da viúva pobre para enriquecimento próprio”, disse o chanceler do Mackenzie. O problema da hierarquia também é tratado, já que em muitas dessas igrejas é apenas um líder que comanda e não há prestação de contas.

O programa abordou diversos assuntos chegando a comentar de casos que tomaram grandes proporções no Brasil. No final Romeiro define porque a corrupção está tão infiltrada no meio evangélico: “Hoje as igrejas se preocupam mais com o carisma do que com o caráter”.

Assista o programa e comente…

 http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=9w0fLZ8qbFA
post inforgospel.com.br – com informação Gospelprime 

Pastor Silas Malafaia: “Tenho pastores que ganham entre R$ 4 e 22 mil"

Líder da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo fala sobre a Marcha para Jesus, gays, aborto, política e dízimo. Dê sua opinião

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |
Foto: Fábio Guimarães / Extra / Agência O Globo "Nas novelas, os evangélicos são babacas, estúpidos e idiotas", avalia Silas Malafaia

Foto: Fábio Guimarães / Extra / Agência O Globo "Nem para o cargo de assistente de carimbador de vereador quero concorrer", diz Malafaia 
Foto: Fábio Guimarães / Extra / Agência O Globo Malafaia: "Homofobia é falácia de ativista gay para manter verbas para suas ONGs" 
Foto: Fábio Guimarães / Extra / Agência O Globo "Não sou um mané e nem minha igreja é de idiotas", diz o pastor Silas Malafaia 
Foto: Fábio Guimarães / Extra / Agência O Globo Silas Malafaia: "Não tenho gente que não ia ser nada na vida e virou pastor"
Aos 53 anos, o pastor Silas Malafaia não teme polêmicas. Líder da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, que neste sábado (19) promove a Marcha para Jesus no Rio, com expectativa da presença de mais de 200 mil pessoas, o religioso é considerado o principal inimigo dos ativistas gays, ao lado do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ).
Malafaia também é contra o aborto. Em qualquer situação. Suas posições marcantes atingem ainda líderes evangélicos, como o bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, e o apóstolo Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus. “Mantenho distância dos dois por causa das posturas desleais que ambos tiveram comigo”, diz.
Leia também: Líder evangélico cresce em meio a guerra cultural no Brasil

O pastor está há 30 anos ininterruptos na televisão. Seu programa “Vitória em Cristo” é exibido todos os sábados em três emissoras: Bandeirantes, Rede TV e CNT; e de segunda a sexta-feira, apenas na CNT. A versão dublada é exibida em mais de 200 países. Por seus horários na Rede TV, ele paga R$ 900 mil por mês e, na CNT, R$ 450 mil. Por impedimento contratual, ele não pode divulgar os valores com a Rede Bandeirantes.

Malafaia também não foge de perguntas sobre as doações que os fiéis fazem para sua igreja. “Não posso ficar perguntando a 25 mil membros de onde vem o dinheiro. Mas se um cara chega para mim e diz que fez uma tramoia, não quero. Ô pastor, fiz um negócio aqui com a Delta ou com o Cachoeira...”, debocha.

Filho de um militar da Aeronáutica com uma educadora, ambos evangélicos, e formado em psicologia, Malafaia é casado com Elizete, que conheceu aos 14 anos, e tem três filhos com ela. Com forte sotaque carioca, utilizando gírias e expressões como “amigo” e “irmão” a todo instante, o pastor conversou com o iG sobre temas variados, entre eles os salários de pastores, política e Igreja Católica. O movimento homossexual, obviamente, não ficou de fora. E sobre o tema, ele faz questão de dizer que, para ele, existem, sim, ex-gays.

iG: Qual é a principal mensagem que vocês vão passar na Marcha para Jesus no Rio?
Silas Malafaia: Ela é baseada em quatro princípios que acreditamos: em favor da liberdade de expressão, da vida, da liberdade religiosa e da família tradicional composta por homem, mulher e seus filhos. Marcamos as posições que defendemos.

iG: Isso ficou claro no evento realizado no ano passado em São Paulo, quando foram abordados temas como a união gay e o aborto. Uma de suas bandeiras é ser contra o projeto de lei que criminaliza a homofobia. Por quê? 
 
Silas Malafaia: Deixa eu te falar uma coisa, amigo. Os grupos ativistas gays passam de usuários da liberdade de expressão para censores. Essa lei, como está aqui no Brasil, não existe em nenhum lugar do planeta Terra. Ela fere frontalmente a Constituição, é uma piada. A Constituição diz que ninguém pode ser cerceado por convicção religiosa, política ou filosófica. É uma lei do privilégio.

iG: Mas o senhor não acha que deveria ser feito algo para evitar as discriminações e agressões físicas aos gays? 
 
Silas Malafaia: Não desejo que ninguém morra, ok? Mas os homossexuais dizem que foram assassinados 260 deles no ano passado. Cinquenta mil pessoas foram assassinadas no Brasil no ano passado. O número de homossexuais mortos representa 0,52%. Um dado que eles não falam: grande parte das mortes é resultado de briga de amor entre eles. Que papo é esse? No mínimo, uns 50%. Homofobia é falácia de ativista gay para manter verbas para suas ONGs para fazer propaganda de que o Brasil é um país homofóbico. Homofóbico uma vírgula, amigo.
Leia também: Igreja inclusiva de São Paulo faz campanha contra homofobia cristã
 
iG: Por causa desses números, que o senhor considera baixos, a lei não precisaria ser criada?
Silas Malafaia: É lógico! E tem outra, amigo. Na lei diz o seguinte: pena de três a cinco anos de cadeia para as pessoas que impedirem a presença de qualquer homossexual em locais públicos de sua relação afetiva. O lugar do culto, o templo, é garantido pela Constituição, mas o pátio da igreja não está. Significa que, se um casal de homossexuais estiver se beijando no pátio da minha igreja e eu colocar para fora, vou pegar de três a cinco anos de cadeia. Que história é essa? É uma aberração! No Brasil, pode-se criticar presidentes, políticos, ministros, pastores, padres, o diabo. Se criticar homossexual, é homofobia. Manda esses caras verem se eu tô na esquina!

iG: O senhor acredita que possa haver ex-gay?
Silas Malafaia: Se você quiser, eu te mostro. Existe uma associação de ex-gays. O cara que preside foi travesti em Roma, com silicone no peito e na bunda (ri). Ele é casado há dez anos. Ser homossexual é um comportamento, como tantos outros. Ninguém nasce homossexual. Não tem ordem cromossômica ou determinismo genético. Mas o cara quer ser gay? É um direito dele. E essa conversa do deputado federal gay de que a igreja evangélica provoca tortura física e psicológica para curar gays? Isso é um safado, mentiroso! Quando é que a igreja força alguém a deixar de ser gay? A igreja não cura, ela trabalha com uma palavra chamada libertação.

iG: E se o seu filho fosse gay, o que o senhor faria?
Silas Malafaia: Amaria 100% e condenaria sua prática 100%. Não deixaria de amá-lo, mas garanto que ia condenar. Há uma ideia na sociedade de que amar é ser tolerante e encobrir o erro do outro. Pelo contrário, amar é dizer a verdade e confrontar o outro para ajudá-lo a ser melhor.

iG: O presidente americano Barack Obama declarou recentemente ser a favor do casamento gay. O senhor acha que essa posição pode fortalecer o movimento gay?
Silas Malafaia: Sim. Mas, pressionado, o presidente Obama está fazendo um jogo de uma cartada de alto risco. Se a eleição americana tivesse um republicano forte, com liderança, jamais o Obama abriria a boca para falar isso. É ruim, amigão.

iG: Ultimamente as telenovelas da Rede Globo costumam contar com personagens homossexuais. Qual é a sua opinião?
Silas Malafaia: (Irônico) Querido, muitos escritores da Globo são gays, né, irmão. O mais famoso deles é gay declarado. Escrevi uma carta para a direção da Globo dizendo o seguinte: imagina se na novela das 18h, das 19h, das 21h e nos humorísticos tivessem personagens evangélicos. Não ia ser uma chatice? Acho que sim. Eles estão caindo no ridículo porque já está ficando chato demais. E outra. Você já viu que os gays nas novelas são politicamente corretos? E os evangélicos são babacas, estúpidos, idiotas. Qual é o objetivo? Irmão, o ser humano é um ser social, que vive de identificação. A televisão é um instrumento poderoso para mudar comportamento.

iG: O senhor costuma dizer que a maior parte dos abortos é fruto de promiscuidade e irresponsabilidade. E em casos de estupro e de bebês anencéfalos, qual é a sua opinião?
Silas Malafaia: Irmão, sou contra qualquer tipo de aborto e te explico o motivo. Na gestação, o agente passivo é a mãe. O agente ativo é o feto, ele não é prolongamento do corpo da mãe. É o bebê que regula a estação da mãe, o líquido amniótico. Se não estivesse protegido por aquela capa, ele era expulso do corpo da mulher como um corpo estranho. Doa essa criança!

Relembre: STF libera o aborto de fetos anencéfalos no Brasil
iG: Algumas pessoas defendem a ideia de que muitas mulheres morrem em clínicas clandestinas de aborto. Se a prática fosse legalizada, isso não ocorreria. O aborto é uma questão de saúde pública?
Silas Malafaia: Saúde pública é proteger a mãe e o bebê. Não existe saúde pública protegendo a mãe e matando o bebê. Saúde pública é dar vida, longevidade.

iG: Em junho do ano que vem, a Igreja Católica vai realizar no Rio a Jornada Mundial da Juventude, com a vinda do Papa. O que o senhor acha da realização desse evento na cidade?
Silas Malafaia: Parabéns para a Igreja Católica. Acho bacana a conscientização à juventude. Dou parabéns, não tenho nada contra.

iG: Foi veiculada na Rede Record, do bispo Edir Macedo, uma matéria atacando o apóstolo Valdemiro Santiago. Após a exibição, o senhor declarou que era o “sujo falando do mal lavado”.
Silas Malafaia: Eu já defendi ambos em situações difíceis, até de perseguição. Não me arrependo. Critiquei a matéria porque quem é Macedo para falar de Valdemiro? Como ele pode fazer essas acusações? Ele tem que ficar quieto. Com que dinheiro foi comprada a Rede Record? Com a oferta de dízimos. Então ele não tem autoridade para falar. E o senhor Valdemiro, que vem batendo no Macedo, também não tem autoridade para falar. É feio para o Valdemiro cuspir no prato que comeu.
iG: Como é a sua relação atual com eles? 
 
Silas Malafaia: Mantenho distância dos dois por causa das posturas desleais que ambos tiveram comigo. O Valdemiro comprou o meu horário na TV, oferecendo uma quantia maior. Defendo o cara no meu programa quando outros descem o pau nele e ele vai por trás e compra o meu horário? (Indignado) Tenho princípio de caráter e moral, amigo. O Macedo eu defendi, sem ter me pedido, quando ele foi preso. Marquei minha posição. Aí, ele aumentou quase dez vezes o valor do horário que eu tinha na emissora dele para me colocar para fora porque não quis participar de um esquema político.

iG: Como era esse esquema?
Silas Malafaia: Ele queria que eu me candidatasse em 1998 a deputado federal e neguei. Se ele tivesse caráter e falasse que não me queria mais na emissora dele, eu o teria respeitado. Sua atitude não foi só deselegante, como também faltou ética.

iG: Tantos anos depois desse convite, hoje o senhor pensa em entrar para a política?
Silas Malafaia: Amigo, sou pastor. Sou um cara para influenciar, não para ser. Aqui no Estado do Rio, ajudei a eleger meu irmão (Samuel Malafaia - PSD) como terceiro deputado estadual mais votado e ajudei outros três deputados federais. Quero influenciar. Ser, nunca. Nem para o cargo de assistente de carimbador de vereador quero concorrer.

iG: Em 2009, houve uma polêmica com o jatinho que o senhor comprou nos Estados Unidos. Em quais situações ele é utilizado?
Silas Malafaia: Não tenho nada a esconder, irmão. Nunca enganei as pessoas que colaboram comigo. O avião era usado, custou três milhões de dólares e está em nome da Associação Vitória em Cristo. Sou presidente de uma instituição, viajo pra cima e pra baixo, ela tem fundos, meus parceiros são informados do que vou fazer e querem me acusar de quê? O Papa pode andar de jumbo. Mas pastor quando anda de avião é ladrão e está roubando o povo otário que não sabe nada.

iG: Como é o nível de escolaridade dos fiéis da sua igreja?
Silas Malafaia: Amigo, na minha igreja tem desembargador, procurador, empresários, pessoas fazendo doutorado e gente pobre também. A igreja evangélica tem todos os tipos de classe. Pensam que ela é formada por um bando de babacas iletrados e um malandro toma o dinheiro deles e faz o que quer. Igreja, como qualquer entidade sem fins lucrativos, não paga Imposto de Renda, mas é obrigada a declarar o movimento. Se eu estiver fazendo sacanagem, vou para o saco, irmão!

iG: E por que teve tanta repercussão aquele vídeo (assista) em que o senhor pedia um mês de aluguel para plantar a semente da casa própria?
Silas Malafaia: Vai ver o troço, rapaz (irritado). Fiz um vídeo para os membros da minha igreja. Uma campanha: se você acredita e quer, pegue um mês de aluguel, que pode ser dividido por um ano, e semeie pela fé como oferta na igreja, acreditando e crendo que Deus vai abrir uma porta para você ter uma casa própria. É para quem crê. Ninguém é obrigado.

iG: Não são por causa de iniciativas como essa que surgem os preconceitos?
Silas Malafaia: Filho, não posso prometer aquilo que não tenho poder para dar. Uma coisa é dizer (eleva o tom de voz): me dê uma oferta que você vai comprar a sua casa própria. Outra coisa é dizer (abaixa o tom de voz): meus irmãos, quero fazer uma campanha de fé para quem desejar. Se você não crê, não faça. Quer ir à minha igreja para ver os testemunhos de quantas pessoas que moravam de aluguel compraram a casa própria? Irmão, com todo respeito, não sou um pastor analfabeto. Tenho formação. Não sou um mané e nem minha igreja é de idiotas. Se chego na minha igreja e digo que, se o cara der uma oferta, ele ganha aquilo, sou colocado pra fora.

iG: De onde vem o seu dinheiro?
Silas Malafaia: Sou dono da editora Central Gospel. Da igreja tenho direito a salário, mas como estou no projeto gigante de abrir igrejas, abri mão. Sou o pastor que mais vende palestras em DVD e livros no País. No ano passado, só a Avon comprou mais de 500 mil livros meus. Nos últimos cinco anos, vendi em cada ano mais de um milhão de livros. Como tenho outro meio de renda, abri mão do salário da igreja. Não porque ela não quis pagar. Ela paga muito bem a pastor.

iG: E o senhor faz declaração do Imposto de Renda...
Silas Malafaia: Lógico, hermano. Tudo meu, brother, está declarado. Um apartamento que tenho em Boca Ratton, nos Estados Unidos, usado pelo meu filho quando estava fazendo universidade, financiado em 30 anos, consta na declaração de ativos no exterior no Banco Central. Estou muito bem documentado. Meu amigo, o único animal que tenho é um cachorro, não tenho gado, fazenda nem sítio. Moro em uma boa casa em um condomínio no Recreio dos Bandeirantes (bairro da zona oeste do Rio), que adquiri a cinco ou seis anos. Tenho minha consciência limpa. Sou dono da segunda maior editora gospel do País. Ela fatura mais de R$ 50 milhões por ano. Então acho que posso ter alguma coisinha.

iG: Quanto ganham em média os pastores da sua igreja?
Silas Malafaia: Ninguém ganha igual. Cada um tem o seu valor. Tenho pastores que ganham entre R$ 4 mil e R$ 22 mil. Pastores que mando para outro estado, pago casa, água, luz, escola dos filhos, gasolina. Dou dignidade aos caras. Não trabalho com zé bobão. Tinha dois pastores que eram advogados e possuíam escritórios de advocacia. Cheguei e perguntei: amigo, o que você quer ser? Pastor ou advogado? Qual é teu chamado? Pastor? Então fecha essa porcaria e vem comigo. Não tenho gente que não ia ser nada na vida e virou pastor.

iG: O senhor diz que é o único pastor que fala em valores. Quanto o senhor paga pelo o seu tempo na TV?
Silas Malafaia: Não posso dizer o que pago na Band por regra contratual. Na Rede TV, pago R$ 900 mil por mês. Na CNT, pago R$ 450 mil. Eu dou número, amigo. Não tenho problemas.
iG: Para finalizar, o senhor aceitaria receber dízimo de um político de Brasília?
Silas Malafaia: Amigo, em todo seguimento tem bandido. Pastor, padre, jornalista, médico, advogado e vai embora. Se um cara é membro da minha igreja e dá o dízimo, ele não dá na minha mão. Tenho 25 mil membros. Meu irmão é deputado no Rio. Dá dízimo na minha igreja. Se um cara chega para mim e diz que fez uma tramoia, não quero. Não posso ficar perguntando a 25 mil membros de onde vem o dinheiro. Recebo o dízimo porque não acredito que todo político seja bandido. Se eu souber de onde vem o dinheiro, muda a situação. Ô pastor, fiz um negócio aqui com a Delta ou com o Cachoeira... (ri)!

Serviço: Marcha para Jesus - Rio 2012
Local: Saída às 14h, na Central do Brasil
Participações: Régis Danese, PG, Eyshila e Ministério Apascentar, entre outros

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/rj/2012-05-19/pastor-silas-malafaia-tenho-pastores-que-ganham-entre-r-4-e-22-m.html

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Volta da "tribo perdida de Israel" é cumprimento de profecia bíblica


Publicado por Jarbas Aragão em 14 de maio de 2012 (15:39)

Depois de uma parada de cinco anos no fluxo de imigração, o governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu deu permissão para uma comunidade de cidadãos indianos mudarem-se para o Estado judeu.


Acredita-se que eles são uma das “tribos perdidas de Israel”. “Tivemos um grande avanço, e graças a Deus, a Aliya [a imigração para Israel] está certo que recomeça neste verão. Esperamos e oramos para que o primeiro grupo de 50 famílias, ou cerca de 250-300 imigrantes Bnei Menashe, virá para Israel até o final de agosto”, disse Michael Freund, presidente da Shavei Israel, fundação que está por trás da iniciativa.

A Shavei, com sede em Jerusalém, espera trazer para o Estado judaico todos os 7.000 cidadãos indianos restantes que acreditam ser os Bnei Menashe, descendentes de Manassés, filho do patriarca bíblico José e neto de Jacó.

A organização liderada por Freund ajudou a facilitar a imigração de mais de 1.700 Bnei Menashe no passado, sempre com o apoio dos governos israelenses. Até que em 2007, o primeiro-ministro Ehud Olmert interrompeu o processo, que somente agora está sendo retomado.

O plano da Shavei é levar essas 50 famílias Bnei Menashe para Israel como turistas, seguindo o acordo com o Ministério do Interior. Após desembarcarem no país, os Bnei Menashe se converterão oficialmente ao Judaísmo, ganhando assim a cidadania israelense. 

Esse era o procedimento adotado em anos passados, mas alguns funcionários de ministérios israelenses se recusam a conceder permissão para que o restante desse grupo que ainda está na Índia viaje com esse propósito.Para suavizar o processo, Freund espera contar novamente com a ajuda do chefe do rabinato de Israel, que voou para a Índia em 2005 para converter os membros da Bnei Menashe. Esse processo foi interrompido no ano passado pela Índia.

O que se sabe no momento é que os membros da “tribo perdida” vivem nos Estados indianos de Manipur e Mizoram. Eles dizem que foram exilados de Israel há mais de 2.700 anos atrás pelo império assírio. De acordo com a tradição oral judaica, a tribo Bnei Menashe foi exilada de Israel e empurrada para o Extremo Oriente, se estabelecendo nas regiões fronteiriças da China e da Índia, onde permanecem até hoje. 


A maioria manteve aspectos culturais semelhantes à tradição judaica, incluindo a observação do Shabat [sábado sagrado], as leis do Kosher [alimentos permitidos], praticando a circuncisão dos meninos recém-nascidos no oitavo dia e as leis de “pureza familiar”.

Na década de 1950, milhares de Bnei Menashe disseram que partiriam a pé para Israel, mas foram rapidamente interrompidos pelas autoridades indianas. Desde então, começaram a praticar o judaísmo ortodoxo e se comprometeram em manter suas tradições judaicas. Hoje, frequentam centros comunitários na Índia estabelecidos pela Shavei Israel onde aprendem mais sobre a religião judaica e hebraico moderno.

Freund acredita que a imigração dos Bnei Menashe é o cumprimento da profecia bíblica de Isaías 43:5-7, que afirma: “Não tenha medo, pois eu estou com você, do oriente trarei seus filhos e do ocidente ajuntarei você. Direi ao norte ‘Entregue-os! ’ e ao sul ‘Não os retenha’.

De longe tragam os meus filhos, e dos confins da terra as minhas filhas; todo o que é chamado pelo meu nome, a quem criei para a minha glória, a quem formei e fiz”.

“Acho que este é um projeto histórico”, acrescentou. “É o fechamento de um círculo na história. É o retorno de uma tribo perdida de Israel depois de 27 séculos de exílio. 

É um cumprimento da profecia bíblica diante de nossos olhos”.

Traduzido e adaptado de WND
Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/volta-da-tribo-perdida-de-israel-e-cumprimento-de-profecia-biblica/

O Que Eu Oferecerei?


Para refletir...(18/05/12)

"Mas eu te oferecerei sacrifício com a voz do agradecimento;

o que votei pagarei" (Jonas 2:9).

Um novo convertido declarou sua determinação em dar tudo o

que tinha para o Mestre. Ele disse: "Pastor, se eu tivesse
cinqüenta porcos eu daria vinte e cinco deles para o
Senhor". "Isto é muito bom", disse o pastor. "Se você
tivesse trinta, daria quinze para o Senhor?" "Claro que eu
daria", disse o novo cristão. "Se você tivesse dez, daria
cinco deles?" perguntou o pastor, novamente. "Você sabe que
eu daria", ele respondeu. Então o pastor, por fim,
perguntou: "Se você tivesse dois, daria um para o Senhor?"
"Por favor, pastor, não me peça isto. Você sabe que eu tenho
só dois porcos."

É interessante o fato de querermos dar ao Senhor apenas o

que não temos! Prometemos dar a Cristo uma porção de coisas:
"Se eu tiver... eu darei ao Senhor"; se eu conseguir
ganhar... darei ao Senhor"; "Se um dia o Senhor me abençoar
com... darei tudo para Ele". Mas, o que temos, sempre
esquecemos de oferecer ao Senhor.

Muitas vezes pensamos que Deus quer o nosso dinheiro -- e há

líderes religiosos que enfatizam o mesmo... Mas, o que Deus
realmente deseja de nós é um coração fiel, amoroso,
dedicado, ardente em Sua obra. O Senhor deseja que nos
coloquemos diante dEle, que Lhe peçamos perdão pelos
pecados, que Lhe digamos que o maior prazer de nossas vidas
é estar em Sua presença e servi-Lo com amor e pureza.

O Senhor não precisa de nada do que temos. Pelo contrário,

Ele nos dá tudo e tem sempre algo mais a oferecer. Ele
estende Sua mão para nos conduzir pelos caminhos difíceis
deste mundo e está pronto a nos abraçar quando alguma coisa
não vai bem conosco. Ele é o nosso Pai amoroso, nosso Amigo
inseparável, socorro sempre presente nas nossas horas de
angústia.

Lembro-me agora de um belo hino: "Que te darei, bom Mestre;

Tu que és bom para mim..." Eu Lhe dei toda a minha vida, há
38 anos! E, como o profeta Jonas, eu ofereço ao Senhor a
minha gratidão, todos os dias. E você? O que tem para
oferecer ao Senhor?

Visite nosso blog:

http://ministerio-pararefletir.blogspot.com


*****


Paulo Barbosa

Um cego na Internet
Tel/Brasil: 31 3712-2248
Celular: 31 8602-3594
Tel/USA: 321-234-1386
tprobert@terra.com.br

Ministério Para Refletir - 15 anos de vitórias!
www.ministeriopararefletir.com

__._,_.___