sábado, 27 de julho de 2013

QUEM É O 12º APÓSTOLO?

Atos 1.26 – “E, lançando-lhes sortes, caiu a sorte sobre Matias. E por voto comum foi contado com os onze apóstolos.”€

Apocalipse 21. 14 cita os doze apóstolos, cujos nomes são os fundamentos da eterna cidade de Deus, a Nova Jerusalém.- “E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro”. Também, Mateus 19.28 , diz que são os apóstolos que se assentarão “sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel”. 

Quem é o 12º apóstolo que toma o lugar de Judas? Matias ou Paulo?

Dezesseis vezes Paulo afirmou que era um apóstolo. Ele foi pessoalmente vocacionado [chamado] por Deus para isso. (II Coríntios. 1.1 “Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus...”; Gálatas. 1:1 –“Paulo, apóstolo (não da parte dos homens, nem por homem algum, mas por Jesus Cristo, e pro Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos). . 
O argumento de que Paulo tomou o lugar de Judas como o 12º apóstolo é feito, conforme a seguir, pelo Bispo George Sayles: 

"Quem toma o lugar vago de Judas é Paulo, não Matias. Matias foi sugerido por Pedro e Pedro cometeu erros. Ele cometeu um erro, quando disse: "Ainda que todos se escandalizem em ti, eu nunca me escandalizarei" (Mateus 26:33-b). Ele cometeu um erro, quando negou o seu Mestre. Ele [também] cometeu um erro em Antioquia, quando reverteu o Evangelho e ensinou a circuncisão. Reconstruindo as coisas que ele havia destruído, “chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível” (Gálatas 2.11|), diz Paulo. O impetuoso Pedro adianta-se para [tomar a dianteira de Deus e] fazer um apóstolo. Ele dá ao Senhor, por assim dizer, a escolha entre dois: Matias e Justo. A sorte recai em Matias, o qual é nomeado com os doze, sendo esta a última vez em que se ouve falar dele. O Senhor fica em silêncio. Depois, Ele mesmo [o Cristo] desce do Céu e acrescenta aos onze originais outro apóstolo (o décimo segundo), “um nascido fora do tempo”. O décimo segundo nome dos fundamentos da Nova Jerusalém não será o de Matias mas, [sim,] o de Paulo: “não apenas um apóstolo, mas o maior apóstolo'”, embora nada sendo em si mesmo" (The Doctrines of Grace, New York: Gospel Publishing House, 1910, p. 373).
Discordamos disto pelas seguintes razões:
Primeira: a Bíblia diz, especificamente, que: Matias “foi contado com os onze apóstolos”. (Atos 1.26). Doze versos são devotados a esta cena. Conquanto seja verdade que Pedro cometeu erros, a Bíblia claramente identifica os erros. A situação em Atos 1 é diferente. Não se trata de Pedro agindo isoladamente por conta própria, mas de todos os onze apóstolos agindo de comum acordo e juntamente com todos os irmãos reunidos. Doze versos da Escritura são devotados a esta cena e não existe um simples lampejo de que estejam agindo contra a vontade de Deus. De fato, eles estão agindo conforme a profecia – “Porque no livro dos Salmos está escrito: Fique deserta a sua habitação, e não haja que nela habite, tome outro bispado” (Atos 1.20); Salmo 109.8). E estavam agindo imersos em oração. “E, orando, disseram: Tu, Senhor, conhecedor dos corações de todos, mostra qual destes dois tens escolhido, para que tome parte neste ministério e apostolado, de que judas se desviou, para ir para o seu próprio lugar. E, lançando-lhes sorte, caiu a sorte sobre Matias. E por voto comum foi contato com os doze apóstolos” (Atos 1:24-25). 
Segunda: conquanto seja verdade que Matias não é posteriormente mencionado pelo seu nome, na Escritura, também é verdade que a maioria dos apóstolos também não é mais mencionada pelo nome. Depois disso, quando os apóstolos são mencionados [são mencionados como um grupo completo, mencionados conjuntamente, sem discriminar seus nomes] em Atos 2.37, 42, 43; 4.33, 35, 36, 37; 5.12, 18; 11.1; 15.2, etc., Matias era, sem dúvida, um deles, porque havia sido eleito para aquela posição [e nunca foi destituído dela]. 
Terceira: Paulo não obedeceu aos modelos especificados – “É necessário, pois, que, dos homens que conviveram conosco todo o tempo em que o Senhor Jesus entrou e saiu dentre nós, começando desde o batismo de João até o ao dia em que de entre nós foi recebido em cima, um deles se faça conosco testemunha da sua ressurreição” Atos 1:21-22. 

Quarta: Paulo se distinguia dos outros apóstolos na própria Escritura. Ele foi o apóstolo aos gentios (Romanos 11.13; Gálatas 1.16; 2.7-8; Efésios 3.8; 1 Timóteo 2.7). Conquanto Paulo [também] tenha pregado aos judeus, sua vocação especial foi estabelecer igrejas gentias, através do Império Romano. 

Acreditamos, portanto, que o lugar de Paulo como autoridade no reino terreno de Cristo estará associado particularmente aos santos gentios.

David Cloud, julho 2013

Traduzido por Mary Schultze, julho 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário