quarta-feira, 24 de julho de 2013

SALVAÇÃO, UMA DÁDIVA OU UMA CONQUISTA?

Com respeito à salvação há três interpretações:

1) Os que pregam a salvação pelas obras;

2) Os que pregam a salvação como uma somatória de fé + obras;

3) O que pregam a salvação pela graça, mediante a fé. 

Qual é a posição bíblica? O que a Palavra de Deus ensina? 
 A salvação não pode ser pelas obras, pois se o fosse, seria uma conquista humana e não uma oferta divina. Quão bom deveríamos ser ou o quanto de obras deveríamos fazer para merecer a salvação?

 A Bíblia diz que todos pecaram e destituídos da glória de Deus. Logo, nenhum homem pode conquistar ou merecer a salvação. Ainda, a salvação não pode ser uma somatória de fé e obras, pois uma coisa exclui a outra. Se é por obras não pode ser pela fé. Se a salvação é por méritos, logo anula-se a graça de Deus. Se a salvação é uma conquista humana, logo o sacrifício de Cristo é anulado. Só nos resta entender que a salvação é exclusivamente pela graça, mediante a fé.

 Assim diz as Escrituras: "Porque pela graça sois salvos mediante a fé e isto não vem de vós, é dom de Deus, não de obras para que ninguém se glorie" (Efésios 2.9,10). Onde se encaixam as obras? As obras não são a causa da salvação, mas resultado dela. Não somos salvos pelas obras, mas para as obras. 

Diz as Escrituras: "Somos feitura de Deus, criados em Cristo Jesus, para as boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas" (Efésios 2.10).

Pr. Hernandes Dias Lopes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário