quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Os três sopros do Senhor.

Gen. 2.7 “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente”.

-         Deus soprou sobre o homem quando o fez ser vivente. Embora o fato não se repita, o todo o ser humano ao nascer recebe a conseqüência desse sopro, recebendo a alma e o espírito.

-         Ao homem é dado o poder de se reproduzir, passando o sopro da vida à sua descendência.
       
João 20. 22 “E havendo dito isso, as soprou sobre eles, e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo”.

-         O Senhor Jesus soprou sobre os discípulos o Espírito. Receberam-no como evidência da salvação. Esse fato, que é o recebimento do Espírito, não ocorre mais visivelmente, no entanto sempre que alguém recebe a vida eterna, recebe esse sopro em sua vida. Permanecem as conseqüências do mesmo. É o renascimento espiritual.

-         Ao contrário do que muitos pensam esse sopro não foi simbólico, pois todos os atos na vida do Senhor Jesus foram reais.

-         Ao homem também foi dado o poder de através do testemunho da Palavra, passar o sopro de uma nova vida a outras pessoas.

Atos 2.2 “De repente veio do céu um ruído, como que de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados”

-         O terceiro sopro de Deus sobre o homem é o sopro do Dom do Espírito. O homem foi criado alma vivente através do sopro do Senhor derramado sobre a raça humana, ainda é salvo através da atuação do Espírito quando as pessoas recebem pela fé o nosso testemunho espiritual., e recebe o poder do alto quando transmitimos sobre elas o Dom do Espírito que em nós habita.

-         O Senhor disse que receberiam poder ao descer sobre os discípulos o Espírito Santo no Pentecostes. Esse evento não mais se repete na história, mas os seus efeitos têm permanecido sobre a Igreja Neotestamentária, também em todas as gerações através da história e chegaram até nossos dias.

-         Renove a sua vida recebendo o sopro do Espírito.


Ivo Gomes do Prado

Nenhum comentário:

Postar um comentário