terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

NOSSAS OBRAS SÃO COMO TRAPO DE IMUNDÍCIE


"Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como um vento nos arrebatam." Isaías 64:6


- A confissão mais pesada da Bíblia acha-se no livro de Isaías: “Todos nós nos tornamos impuros. As nossas boas ações, que pensamos ser um lindo manto de justiça, não passam de ‘trapos imundos’” (Is 64.6, NBV). Outras versões chegam mais perto do que o profeta quer dizer e mencionam “roupa ‘manchada’” (BP) e “panos ‘repugnantes’” (TEB). A tradução da CNBB acerta: “Nossa justiça toda é como ‘sangue menstrual’”. Esses trapos imundos são os absorventes da época. 


É um choque quando o véu da autoavaliação equivocada é removido e o culpado chega a ponto de saber que suas possíveis boas obras são como trapos de imundícia. 


Porém, se existe sangue menstrual, existe também sangue remidor e purificador!

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

FERVOR ESPIRITUAL, EU PRECISO SENHOR!



A falta de fervor espiritual produz grande desconforto no Senhor Jesus. Ele chegou a dizer que estava sentindo náuseas por causa da mornidão espiritual da igreja de Laodiceia. 

O fogo tem uma tendência de se apagar. Se não for alimentado, ele apaga. O fogo propaga ou apaga. Precisamos do sopro do Espírito para remover as cinzas do nosso coração e incendiar de novo nossa alma. Precisamos ser inflamados pelo poder do alto. Precisamos de fervor espiritual. Precisamos orar com mais entusiasmo, pregar com mais poder e viver com mais santidade!

Hernandes Dias Lopes

sábado, 8 de fevereiro de 2014

UNS AOS OUTROS OU UM AOS OUTROS?

UNS AOS OUTROS OU UM AOS OUTROS?

"Isto vos mando, que vos ameis uns aos outros." João 15:17

No Novo Testamento temos quase cem vezes a expressão "uns aos outros". Assim deve ser a vida cristã.

Mas na verdade o "uns aos outros" se realiza plenamente nos pequenos grupos onde todos se conhecem profundamente e têm comunhão e cooperação cristã. O menor número facilita a comunicação entre as pessoas.

Nos grandes grupos devido às suas características básicas, temos muito mais o "UM AOS OUTROS". Com o dirigente monopolizando todas as reuniões e os demais ouvindo, ouvindo, ouvindo...

Em muitas Igrejas as classes de Escola Bíblica Dominical são compostas de até 20 alunos formando assim um pequeno grupo onde a comunicação é facilitada, mas em outras, mesmos nas EBDs temos grupos com até cem pessoas o que inviabilizada totalmente tanto a comunicação como o aprendizado. E, principalmente, o esclarecimento das dúvidas surgidas.

Esse é mais um dos motivos para as Igrejas implantarem os pequenos grupos em suas comunidades.

Ivo Prado.

FÓRMULA PARA O CÁLCULO DAS LINHAS DE COMUNICAÇÃO EM PEQUENOS GRUPOS


N x N - N = X

Onde N é o número de participantes. Exemplos:
  • Num grupo de duas pessoas: 2 x 2 - 2 = 2,
  • de cinco pessoas: 5 x 5 - 5 = 20, 
  • de dez pessoas 10 x 10 - 10 = 90. 
  • Num grupo de 20 pessoas: 20 x 20 - 20 = 380.

Por essa razão que num grupo com mais de 20 pessoas as linhas de comunicação são praticamente impossíveis de existir. 

Vejamos num grande grupo de 100 pessoas: 100 x 100 - 100 = 9.900 linhas de comunicação. 

Num grande grupo que normalmente tem mais pessoas que 100 as comunicações individuais entre todos os componentes é impossível de existir.

Ivo Prado.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

O VERDADEIRO EVANGELHO PRODUZ GRANDE QUANTIDADE DE SALVOS.

"De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas," Atos 2:41

"Muitos, porém, dos que ouviram a palavra creram, e chegou o número desses homens a quase cinco mil." Atos 4:4


"E a multidão dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais." Atos 5:14


"Ora, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos,..." Atos 6:1


"E durou isto por espaço de dois anos; de tal maneira que todos os que habitavam na Ásia ouviram a palavra do Senhor Jesus, assim judeus como gregos." Atos 19:10


"Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos;" Apocalipse 7:9

domingo, 2 de fevereiro de 2014

TRÊS ARTIGOS DO PR. HERNANDES DIAS LOPES SOBRE O ESPÍRITO SANTO

EU PRECISO DO ESPÍRITO SANTO

É impossível exagerar a importância do ministério do Espírito Santo em nossa vida. É o Espírito Santo quem nos regenera, nos batiza no corpo de Cristo e nos sela para a redenção. É o Espírito Santo quem nos dá dons e nos capacita com poder. É o Espírito Santo quem nos santifica e intercede por nós, em nós, ao Deus que está sobre nós. É o Espírito Santo quem nos consola e nos ilumina os olhos para entendermos a palavra de Deus. De fato, eu preciso do Espírito Santo, pois é ele quem me revela Cristo, meu amado Salvador.


Hernandes Dias Lopes


O CONSOLO DO ESPÍRITO SANTO

Jesus Cristo conclui a sua obra de redenção e voltou para o céu. Mas, ele não nos deixou órfãos. Enviou-nos o Espírito Santo, o outro Consolador. Outro não diferente, mas outro da mesma substância. O Espírito Santo é Deus. Ele veio para morar em nós, transformar-nos, consolar-nos, encher-nos de alegria, paz e poder. Ele nos assiste em nossas fraquezas e intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. Que precioso Consolador!



A PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO

O apóstolo Paulo escreve: "E não vos embriagueis com vinho no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito". Há aqui uma comparação superficial e um contraste profundo. Duas ordens claras: uma negativa, outra positiva. Tanto a embriaguez quanto a ausência da plenitude do Espírito constituem-se pecado de desobediência à uma ordem expressa de Deus. Uma coisa é ser habitado pelo Espírito; outra é ser cheio do Espírito. Uma coisa é ter o Espírito; outra é o Espírito nos ter. Uma coisa é ter o Espírito residente; outra é ter o Espírito presidente.