sábado, 5 de abril de 2014

Os Puritanos – Culto público ou privado?

Os Puritanos – Culto público ou privado?


Ninguém jamais ensinou sobre piedade pessoal como os Puritanos. Foi uma geração de gigantes jamais repetida na história da igreja. Cada parte da vida foi exaustivamente saturada com a Verdade da Palavra de Deus ao máximo. Suas obras são gigantescas em tamanho, conteúdo e quantidade.

Agora, como eles responderiam a uma pergunta do tipo: “Se você tivesse que escolher entre a leitura particular da Bíblia, oração, louvor... ou ir a um culto público na e com a igreja, o que você escolheria?”

Os Puritanos escolheriam o culto. Não é surpreendente? Nós sabemos e conhecemos da ênfase maciça dos Puritanos na devoção privada e à piedade pessoal. Mas eles avaliavam realmente o culto público ainda com um peso muito maior. Por exemplo, David Clarkson (1622-1686), colega e sucessor deJohn Owen (1616-1683 – que foi o maior teólogo Puritano) – pregou um sermão sobre o Salmo 87.2 – “O Senhor ama as portas de Sião, mais do que todas as habitações de Jacó.” -  que foi intitulado – Adoração pública deve ser preferida à privada – e deu, entre muitas, em seu longo sermão – 12 razões para isso:

1. O Senhor é mais glorificado pelo culto público do que pelo privado.

Deus é glorificado por nós quando nós reconhecemos que Ele é glorioso, valioso e o deleite supremo, e Ele é mais glorificado quando esse reconhecimento é o mais público possível.

2. Há mais da “presença’ do Senhor no culto público do que no privado.

Ele está presente com o seu povo no uso do culto público de uma maneira especial: mais efetivamente, constantemente, e intimamente. Podemos vê-lo glorificado como um prisma reflete a luz de várias formas surpreendentes na vida de cada redimido reunido conosco como igreja de Cristo. Vemos algo mais profundo da sua multiforme sabedoria na salvação, glória...

3. Deus se manifesta mais claramente no culto público do que no privado.

Por exemplo, em Apocalipse, Cristo manifesta-se "no meio das igrejas." -

4. Há vantagem mais espirituais no uso do culto público.

Qualquer que seja o benéfico espiritual encontrado nos deveres particulares, muito mais pode ser esperado de adoração pública, quando utilizado corretamente: “Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo...” - Efésios 4:12-15

5. O culto público é mais edificante do que privado.

Em privado você fornece e edifica a si mesmo para o seu próprio bem, mas em público você faz o bem – ou seja, é parte da edificação e estímulo, faz o bem no sentido pleno do evangelho, tanto para si mesmo, como para os outros.

6. O culto público é a melhor garantia contra a apostasia do que privado.

Todo aquele que rejeita o culto público, independentemente dos meios particulares que ele goste, está em perigo de apostasia: “Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, Do qual todo o corpo, bem ajustado...” - Efésios 4:12-16

7. O Senhor trabalha suas maiores obras em culto público.

Conversão, regeneração, etc, são normalmente realizadas de maneira muito mais abundantes através de meios públicos. Esta é toda a história do Novo Testamento.

8. A adoração pública é a semelhança mais próxima do céu que temos aqui.

Nas representações da Bíblia do céu, não há NADA feito em privado, nada em secreto; toda a adoração gloriosa mostrada nele, é algo público. Todos juntos,uma multidão com uma voz: “Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; E clamavam com grande voz, dizendo: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro. E todos os anjos estavam ao redor do trono, e dos anciãos, e dos quatro animais; e prostraram-se diante do trono sobre seus rostos, e adoraram a Deus” – Apocalipse 7.9-11

9. Os servos mais renomados de Deus (Apóstolos e profetas) tem preferido o culto público antes do privado.

Como seria mais seguro para todos eles cultuarem a Deus de maneira privada. Mas o Senhor não retira as ordenanças públicas, apesar dos perigos. O culto público era mais precioso para os apóstolos do que a sua segurança, liberdade e a vida.

10. A adoração pública é o melhor meio para a aquisição das maiores misericórdias, prevenção e remoção dos maiores julgamentos.

11. O precioso sangue de Cristo é o mais exaltado na adoração pública.

Culto privado era exigido e executado por Adão e sua posteridade, mesmo quando ainda ele estava em um estado de inocência, mas a pregação pública do Evangelho e a administração dos sacramentos têm uma dependência necessária na morte de Cristo.

12. As promessas de Deus são dadas mais para o culto público do que privado.

Há mais promessas a na Bíblia ao culto público do que ao privado, e até mesmo as promessas que são feitas para funções privadas, são mais aplicáveis ​​e mais poderosas na adoração pública.

David Clarkson (1622-1686).

O sermão de Clarkson é longo – ampliando ao máximo cada ponto.

http://www.josemarbessa.com/2014/04/os-puritanos-culto-publico-ou-privado.html
Puro conteúdo Reformado!

quinta-feira, 3 de abril de 2014

02 - COM JESUS É MUITÍSSIMO MELHOR

( Nome da Igreja, endereço, pastor... ) - Nº 02
_______________________________________________________________________________

Igreja em Células - O povo que se importa


Encontro (quebra-gelo) :- Escreva no espaço abaixo o que você jogaria fora se fizesse uma faxina agora.
__________________________________________________________

Exaltação:- No Salmo 23.1 temos:- “O Senhor é o meu pastor e nada me faltará”. Crendo na verdade profunda desse verso, vamos exaltar o nome do Senhor com louvores cantados, falados e em oração. Deus está presente entre nós, glórias ao Seu Nome.

Edificação:- Texto base:- João 21. 1 a 17 - façamos a leitura na Bíblia.

Nos três anos e meio de seu ministério na terra, os discípulos de Jesus haviam estado com o Mestre todo o tempo. Com Ele comiam, andavam, oravam, viam os milagres, dormiam nas mesmas casas, etc. Entretanto, após a Sua morte, se viram privados de Sua presença. Mesmo ressurreto, só lhes apareça por poucas vezes. Já não tinham o líder amado. O desânimo tomara conta do grupo, não sabiam o que fazer. Voltaram às suas ocupações antigas que era a pescaria, mas nem isso dava certo, pois durante uma noite toda nada pescaram. Jesus então se apresenta e transforma tudo, até a pescaria. Fazemos abaixo três perguntas para nossa meditação:-

  1. Nossa vida sem Jesus pode ser feliz?
  2. Em quê a presença de Jesus no dia a dia pode melhorar a nossa vida?
  3. Jesus perguntou três vezes a Pedro se ele amava o Mestre profundamente. Ele nos está perguntando agora se também O amamos profundamente. O que vamos responder?

Semeadura:- (Para as Igrejas que optarem pela entrega de dízimos e ofertas nas células)
Em Malaquias 3.10 o Senhor promete abrir as janelas (não as portas) dos céus para nos abençoar se formos fiéis nos dízimos e ofertas. Neste momento se você quiser e puder, oferte ao Senhor. Oremos pedindo a Deus as bênção sobre as nossas finanças.

Evangelismo:- Agora vamos nos lembrar de nossos queridos (OIKÓS) que não têm a presença de Jesus em suas vidas. Neste final vamos orar por eles e também pelas nossas necessidade pessoais, em grupos de três pessoas.

No domingo às 19,30 hs. participe do nosso CULTO DE CELEBRAÇÃO
___________________________________________________________


Notas:- Depois da estruturação das células, devem ser organizados:
- Um sistema de relatórios contendo os nomes dos membros das células separados por membros da Igreja e não membros.
- Nomes dos visitantes.
- Ocorrências.
- Nas Igrejas que optarem por arrecadar dízimos e/ou ofertas, colocar em espaço próprio na frente dos nomes os valores. Os valores arrecadados devem ser conferidos pelos líderes e auxiliares. Depois colocados no malote que deve ser lacrado e entregue na secretaria da Igreja.
Malotes: Todo o material destinado aos líderes de células deve ser enviado em um malote com todos os materiais (reflexões, relatórios, envelopes para ofertas, etc.). No retorno e após ser conferido devem ser imediatamente devolvidos à secrataria da igreja.