sexta-feira, 6 de novembro de 2015

ESPÍRITO SANTO - PODER PARA O MINISTÉRIO.



"A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana; e, sim, no poder de Deus”. I Coríntios 2.4,5
Com as nossas palavras nós podemos convencer muitas pessoas em muitas coisas, mas sem o poder do Espírito Santo, nós não conseguiremos converter pessoa alguma. Não é por muito falar ou tagarelar que seremos ouvidos aliás, a sabedoria está no pouco falar. Provérbios 17.28 nos diz que até "o ignorante é tido por sábio, quando se cala"
Para sermos sábios aos olhos do Senhor, nós devemos ser usados pelo poder de Deus, inclusive quando abrimos nossas bocas. De nada adianta querermos mostrar às pessoas que elas estão erradas, que as religiões não levam a Deus, se não demonstrarmos amor do Senhor por elas. O aproximar-se do amor de Deus, que flui através de nós, faz com que as pessoas se afastem dos descaminhos da vida. Quanto mais o ouro se aproxima do fogo mais refinado se torna. A causa de buscarmos o poder em nossas vidas deve ser o amor aos não alcançados.
Jesus após a sua ressurreição e pouco antes de subir aos céus disse: "Todo o poder (autoridade) me foi dado no céu e na terra" Mateus 28. 18 e em Atos 1. 9:- "mas, recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da terra". Cristo é a cabeça do corpo que é sua Igreja (nós), e se a cabeça tem todo o poder e autoridade, o corpo também, porque todas as ordens emanam da cabeça.
O Espírito nos concede o "dunamis", esta é uma palavra que vem do grego, e em nossa língua derivam desse termo as palavras:- dinamite e dínamo (gerador de energia). Para se abrir um poço ou uma estrada onde há uma pedreira é muito mais fácil e rápido transpor as barreiras usando-se dinamite e máquinas que geram força, do que se fazendo uso simplesmente da força dos braços com pás e picaretas. Assim é a atividade do Espírito Santo em nossas vidas.
Nós já vimos que juntamente com o Dom do Espírito nós recebemos os dons do Espírito. O Espírito passa a nos controlar começando com o leme da nossa vida, que é a língua, nos dando o rumo certo (Tiago 3.2-4), por isso o primeiro dom é o de línguas. É o único dom para a própria edificação daquele que o tem (I Cor. 14.4); os demais são para a edificação e proveito das outras pessoas. Do bom uso que fazemos dos dons recebidos é que o Espírito nos concede novos dons. Por exemplo:- ao sermos cheios do Espírito Santo com a evidência de falar em línguas, nos devemos edificar orando em línguas (a sós), nos desenvolvendo no dom. Embora recebamos os dons perfeitos, nós, por sermos imperfeitos, precisamos nos desenvolver nos dons. Fazendo bom uso e valorizando o presente recebido, o Espírito nos presenteará com novos e perfeitos dons.
O Espírito nos usa como quer.
Em diversas reuniões de células tem acontecido de muitas pessoas, entre as quais me incluo, serem usadas conforme a necessidade do momento nos dons espirituais tais como: curas, conhecimento, profecia, fé, sabedoria, etc., e mesmo em ministrações de enchimento do Espírito Santo para outras pessoas. O Espírito distribui funções aos membros do corpo conforme a necessidade, pois os dons são dele.
Os dons não são privilégio de certas pessoas, são ferramentas capacitadoras à disposição de todos nas células para a realização completa do ministério de Jesus Cristo por nosso intermédio. Em nossas reuniões devemos pedir ao Senhor a capacitação que Ele nos quer dar (Mateus 7.11).
No Novo Testamento temos uma quantidade grande de dons e ministérios concedidos pelo Espírito Santos. Relacionamos alguns:- apóstolos, profetas, evangelistas, mestres, fé, operadores de milagres, dons de curar, socorros, governos ou administração, variedade de línguas, interpretação das línguas, visão, sabedoria, conhecimento, discernimentos de espíritos, celibato, exortação, libertação, contribuição (que não é o mesmo que dízimo), prestação de ajuda, hospitalidade, intercessão, conhecimento, liderança, misericórdia, missões, serviços, etc. Cada item ainda tem diversas subdivisões, de maneira que no corpo de Cristo sempre haverá lugares para todos.

A oração é a fonte de poder
A oração é a fonte de poder para as células. Não basta uma bela estrutura, é necessário o poder liberado através das nossas orações. As linhas a seguir foram copiadas da Apostila "O Ano de Transição", módulo I:-
“Felizmente, não há falta de poder no Reino de Deus. O mesmo poder que ressuscitou Jesus dos mortos também está à nossa disposição! Tudo que precisamos fazer é estar ligados a Ele”.
Repetidas vezes nos Evangelhos e no livro de Atos, as Escrituras nos mostram que a presença e o poder miraculoso de Deus é revelado quando oramos.

Comentários no pequeno grupo:
Vamos agora orar pedindo a Deus os dons para sempre usados de forma proveitosa em nossas reuniões de células e em nossa vida.

Ivo Gomes do Prado

Nenhum comentário:

Postar um comentário