sábado, 24 de outubro de 2015

AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS PRIMEIROS REFORMADOS BATISTAS




Dentre as principais características dos Batistas Calvinistas no século dezessete, está o fato deles não serem revolucionários quanto à política e à religião. Eles eram “ordeiros, pacificadores, zelosos e devotados como qualquer outra classe de Cristãos”.Antiga Igreja Batista Particular em Winslow pastoreada por Benjamin Keach até 1668, quando fundou a Igreja Batista Particular em Horselydown (Southwark), futuramente pastoreada por John Gill e Charles H. Spurgeon.

Embora tenham herdado alguns princípios dos menonitas e anabatistas do continente, não herdaram seus excessos e excentricidades.
Os Batistas Calvinistas, diferentemente dos Batistas Gerais, ou Batistas Arminianos, ou ainda, Batistas do Livre-Arbítrio, eram reformados em sua doutrina e independentes quanto ao governo da Igreja. Eles criam que apenas os regenerados poderiam ser batizados e, isso, por imersão, sob uma voluntária profissão de sua fé.

Os Batistas Calvinistas criam na salvação de todas as crianças que faleciam antes da “idade da responsabilidade”.

Eles não criam no poder salvífico ou regenerador do batismo, mas que este era apenas um sinal externo de uma graça já recebida, uma pública profissão de fé em Cristo, e uma entrada aos privilégios e responsabilidades (membresia) da igreja local.

Interior da Igreja de Benjamin Keach restaurado nos moldes do século XVII.

Outra marcante característica dos Batistas Calvinistas no século dezessete, foi sua oposição ao estabelecimento de uma igreja nacional. Além disto, se opuseram, também, quanto à união entre Igreja e Estado. Algo muito prezado por estes batistas era o voluntariado. Além disso, sua defesa da doutrina da liberdade religiosa como um direito de todos os homens constantemente fez parte de seus catecismos e confissões.

Outra característica marcante dos Batistas Calvinistas, era sua posição quanto à Teologia do Pacto. Tendo sido grandemente influenciados por teólogos reformados do século dezesseis e início do século dezessete, os teólogos batistas compreendiam o Pacto da Graça como o centro unificador de toda teologia bíblica. Para os mesmos, é através de alianças que Deus entra em relacionamentos com a raça humana.



TEÓLOGOS RESPONSÁVEIS POR TAIS CARACTERÍSTICAS



Alguns que contribuíram marcantemente para a formação dos principais pontos teológicos queJohn Bunyan

caracterizam fortemente os teólogos batistas do século dezessete foram John Bunyan, Nehemiah Coxe, Hanserd Knollys, William Kiffin, Benjamin Keach e John Gill. Vejamos um pouco de cada um deles.

John Bunyan (1628-1688) foi, segundo Beeke, um poderoso pregador, além de ser o mais conhecido de todos os puritanos. Bunyan foi um dos autores mais influentes do século dezessete. Foi ativo como pregador leigo no exército do Parlamento bem como durante o período da “Federação”. Por causa disso, ficou preso por doze anos, recusando constantemente sua própria liberdade condicional dizendo que, caso fosse solto, voltaria a pregar no mesmo dia, o que lhe era proibido naquele tempo. É durante sua prisão que escreve seu mais famoso livro, O Peregrino. Bunyan foi nomeado pastor de um congregação batista particular em Bedford em 21 de janeiro de 1672. Contudo, não pode assumir seu posto até que fosse libertado em maio do mesmo ano. Bunyan não foi admirado apenas nos círculos evangélicos, mas, até mesmo dentro do movimento romântico no século dezenove, Bunyan era tido como um gênio literário.



Nehemiah Coxe (?-1688) foi filho de um antigo líder dentre os Batistas Calvinistas, Benjamin Coxe. Não sabemos quase nada sobre sua data de nascimento e sobre sua infância. Um dos primeiros registros a seu respeito acontece em 1669, quando Coxe é aceito à membresia de uma igreja batista em Bedford, pastoreada por Bunyan. Em 1673, Coxe foi chamado para servir como pastor em Hitchin, uma congregaçãoHanserd Knollys

da igreja de Bedford. Coxe também era conhecido como um médico qualificado, hábil em latim, grego e hebraico, além de “um teólogo exigente”. Coxe era tido em alto respeito por seus contemporâneos, vindo, posteriormente, a servir como um editor da Segunda Confissão de Fé Batista de Londres. Ele morreu em 1688, antes da Assembléia Geral de 1689, quando os batistas utilizariam sua edição da Confissão de Fé para formalizarem a Confissão de Fé Batista de 1689.

Hanserd Knollys (c. 1599-1691) foi pastor de uma das maiores congregações Batistas Calvinistas na Inglaterra. Cerca de mil pessoas se reuniam para ouvi-lo entre as décadas de 1640 e 1650. Antes deste tempo, por volta de 1635, Knollys deixou a Igreja da Inglaterra e foi para a América. No entanto, por volta de 1641, Knollys teve problemas com os Congregacionais na Nova Inglaterra, o que o fez voltar para a Inglaterra. Dentro de três anos após o seu retorno, Knollys se identifica com o credobatismo e com a incipiente causa Batista Calvinista, centrada na cidade de Londres. Segundo Haykin, a identificação de Knollys com os Batistas Calvinistas o conduziu, inicialmente, a uma controversa viagem de pregações em Suffolk, durante a qual, em uma ocasião, uma ‘rude multidão’, o privou de pregar atirando pedras nele, enquanto ele estava no púlpito.



Os escritos de Knollys acerca do papel central de Cristo na vida dos cristãos, especialmente, seu sermãoWilliam Kiffin

Cristo Exaltado, publicado por volta de 1644, além de outras publicações de Knollys defendendo alguns princípios batistas, ajudaram fortemente a caracterizar os batistas da metade do século dezessete na Inglaterra. Haykin destaca que o exemplo de Knollys em argumentar contra a visão dos Seekers, deve ser uma inspiração para os Batistas modernos que têm de dar uma resposta às experiências e clamores do pentecostalismo atual.

William Kiffin (1616-1701) desempenhou um papel importantíssimo no crescimento da causa Batista Calvinista.



Nas décadas de 1640 e 1650, quando a Confissão de Fé Batista de Londres foi reimpressa inúmeras vezes, Kiffin esforçou-se por sua divulgação, planejou o estabelecimento de novas igrejas e associações, aconselhando-as e, de forma geral, “provendo estabilidade à causa incipiente”. Segundo Haykin, Kiffin e muitos de seus companheiros Batistas Calvinistas foram fortes ajudadores do governo de Cromwell. KiffinBenjamin Keach

chegou a senta-se como um membro do Parlamento de Middlesex em 1656. Após o período chamado de “A Restauração”, Kiffin foi preso inúmeras vezes nos dois ou três anos após o retorno da monarquia com Charles II.

Benjamin Keach (1640-1704) foi um batista particular de persuasão puritana. No início de seu ministério, Keach foi um pregador não ordenado de uma igreja Batista Geral em Winslow, Buckinghamshire, Inglaterra. Foi entre os anos de 1664 e 1668 que as convicções teológicas de Keach começaram a tornar-se crescentemente calvinistas. Em 1672, Keach rompe com os batistas gerais e funda uma igreja batista particular em Horselydown, Southwark, futuramente pastoreada por John Gill e Charles Spurgeon. Keach é considerado pelos principais historiadores batistas como o principal teólogo batista calvinista do século dezessete.



Já no apagar das luzes do século dezessete, começo do século dezoito, nasce um herdeiro das principais características teológicas dos Batistas Calvinistas do século dezessete, John Gill (1697-1771). Gill desponta no século dezoito sendo grandemente influenciado pelos escritos aliancistas de seus predecessores BatisJohn Gill

tas Calvinistas. Em 1719, Gill foi ordenado pastor da igreja fundada por Benjamin Keach, em Horselydown. Escrevendo sobre a Teologia das Alianças sob a inspiração dos batistas do século dezessete, Gill tornou-se a mais brilhante mente entre os batistas do século dezoito, indo muito além que seus predecessores, através de seus livros.

Estes homens foram os principais responsáveis pela teologia que caracterizou os primeiros Batistas Calvinistas. Suas obras são um tesouro ainda a ser descoberto dentro da tradição reformada.

wilsonporte.org
http://crbb.org.br/as-principais-caracteristicas-dos-primeiros-reformados-batistas/

Pelo Pr. Wilson Porte Jr.


























  • Wilson Porte Jr.

    Bacharel e Mestre em Teologia pelo Seminário Bíblico Palavra da Vida e CPAJ, Univ. Mackenzie. Pastor da Igreja Batista Liberdade, em Araraquara-SP e professor de Hebraico, Grego, AT e NT no Seminário Martin Bucer. 

      terça-feira, 20 de outubro de 2015

      Símbolos "satânicos" da nova Era e seus significados.

      Símbolos "satânicos" da nova Era e seus significados.

      INTRODUÇÃO:O apostolo Paulo em II Cor 11 2,3 nos diz as
      seguintes palavras.
      Porque estou zeloso de voz com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido a saber a Cristo. Mais temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompida, os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo.
      Em I Ped. 5.8 diz. Sede sóbrio: e vigiai: porque o diabo vosso adversário, anda em derredor. Bramando como leão, buscando a quem possa tragar.

      O QUE SIGNIFICAM ESTES SÍMBOLOS
      São representações de diversas crenças por meios de figuras, números, letras, e símbolos são como uma etiqueta, que identifique o seu fabricante. Assim como o cristianismo tem seus símbolos representados por galho de oliveira, a cruz pão e peixes. Assim a nova era, ela se identifica por meios de seus símbolos de diversas crenças símbolos esses que não deve ser usado pelo povo Cristão. Pois são símbolos do paganismo e satanismo.

      UMA PERGUNTA BÍBLICA, QUE COMUNHÃO TEM A LUZ COM AS TREVAS.

      Geralmente esses apetrechos são infiltrados no meio cristão por meios de camisetas, anéis, brincos, pingentes, gargantilhas, passador de cabelos, e até muitos símbolos usado pela umbanda ,como machadinha, estrelas, ferradura, meia lua, arcos e fecha , são vários os tipos muito usado. Anel com caveira, símbolo da morte, etc. e tornozeleira, muito usado pelas mulheres símbolo de escravidão usada pela pomba gira na umbanda
       
      666. Este número É conhecido pelos evangélicos como o símbolo do anticristo governo este que se levantará na terra para governar o mundo apocalipse 13,8 este número para a nova era tem um significado sagrado e deve ser usado com mais freqüência em sua propagação.
       
      Anarquia. O movimento prega a destruição de toda e qualquer organização que não queira se integrar ao novo sistema. Declara a anarquia do inferno a essas organizações que resistem à adesão universal.
       
      Cabeça de bode. É o símbolo de zombaria e escárnio em oposição ao cordeiro de Deus que é Jesus Cristo.
       
      Besouro. Este símbolo mostra que quem o usa tem poder influencia e poder dentro do satanismo.
       
      Borboleta. É o símbolo próprio dos seguidores da nova era ou dos aquarianos. Assim Como a lagarta e gerada no casulo, e transforma-se em borboleta e sai, assim é com a humanidade, ela sai de uma era antiga, transforma-se em todos os sentidos e entra em uma nova era. 
       
      Casal transpessoal. É representado pela letra ômega a ultima letra do alfabeto grego Simboliza o do fim do casamento, O adepto da Nova Era dizem que o ser humano não deve ligar se oficialmente a nenhuma família, mas deve ficar livres Para procurar outros parceiros.
       
      Chifre. Usado em colares, pulseiras, brincos, etc. Simboliza o afastamento de fluídos negativos mal olhado, olho gordo.
       
      Círculo. Simboliza O movimento cíclico do Universo e das energias. Representa toda forma de força cíclica, seja corpórea ou universal ininterrupta.
       
      Círculo com Ponto. Este símbolo é a bandeira de Lúcifer. O círculo representa o planeta Terra como reino de Satanás. O ponto são os homens e sua divinização, instrumentos ao serviço deste reino; o símbolo da energia, que segundo eles, emana para todo ser
      O símbolo antigamente também era utilizado como símbolo de adoração ao sol, e também representa o princípio sexual feminino, simbolizado pela lua.
       
      Plutão.Simboliza a união planetária, construção da Aldeia Global é o novo nascimento do planeta Terra com a união sem fronteiras, acima de credos, cor e raça. Simboliza também a paz universal dentro da nova era.
       
      Cruz de cabeça para baixo. É uma forma de escarnecer da cruz de Cristo. É usado também em rituais satânicos Usado por roqueiros e adepto da Nova Era.
       
      Cruz com Laço. Representa o desprezo pela virgindade, troca de parceiros conforme a escolha pessoal. O movimento Nova Era ensina que a sexualidade é a parte que purifica o ser humano, eleva o espírito e embeleza o corpo. É à volta ao paganismo antigo, cujos deuses promoviam as danças com barulho excessivo, as orgias, a prostituição em seu ritual.
       
      Cruz satânica ou cruz da confusão. É mais basicamente um símbolo da cruz de cristo com um sinal de interrogação, questionando o reconhecimento e a validade de Deus e do cristianismo, e ainda as três pontas da cruz representam os três principais demônios de lúcifer, Lilith, belia,l e leviatã.A interrogação ainda representa o poder completo de lúcifer
       
      Cruz suástica ou símbolo nazista. Para a Nova Era simboliza o movimento cósmico. É bem conhecida sua conotação com a pessoa de Adolf Hitler e seu movimento nazista que dizimou milhões de seres humanos na Segunda guerra mundial. É conhecido, também no Brasil e em outras partes do mundo, o renascimento deste movimento nazista. A cruz suástica é inspiração de Chamberlain, um vidente satânico e conselheiro de Hitler. Foi ele que inspirou a Hitler as idéias de um reino de terror e poder.
       
      Fitas entrelaçadas. Significa a vida entrelaçada, onde há sempre uma continuidade em outras encarnações. Também representa o pacto de sangue entre os nova – erinos, envolvendo pessoas ou organizações. É usado para uma melhor obediência entre os aliados do movimento Nova Era.
       
      Hexagrama de dois triângulos entrelaçados. Formado por dois triângulos entrelaçados Este símbolo não é a Estrela de Davi cujos triângulos são sobrepostos. Simboliza os processos de involução e evolução. Com efeito; o triângulo que aponta para baixo apresenta a involução da energia divina que desce às formas mais boçais, ao passo que o triângulo voltado para cima indica a ascensão dos seres quer entendem a se divinizar cada vez mais.
       
      Estrela de cinco pontas. As duas pontas para cima significam Lúcifer e seu reino; duas pontas para baixo significam o homem como deus, no lugar de Deus. É símbolo da adoração a Satanás já estabelecida em várias partes do mundo.
       
      Urano. Simboliza Amor à natureza que se expressa através dos movimentos ecológicos. Urano simboliza a harmonia com o cosmo, adoração à deusa Gaia, o que eles chamam de Lado feminino de Deus.
       
      Lua com estrela. é muito Usados em roupas, brincos pulseiras, gargantilhas artes e também em centros espíritas. Simboliza poder para transportar através do cosmos.
       
      A mancha. É Usada principalmente em automóveis. É uma gota de sangue em zombaria ao sangue redentor de cristo Jesus.
       
      Mão chifrada. É muito Usado por pessoas como um aceno em forma de cumprimento por artistas ligados a um determinado ritmo musical e seus fãs. Simboliza o louvor em ritual satânico.
       
      Netuno. Simboliza a transformação das crenças. A cruz para baixo significa que todas as crenças serão destruídas para que o planeta Terra seja governado por Maitreya o Novo Messias.
       
      Arco Iris. Apresentado pela metade é um dos símbolos muito usados pela a Nova Era, sendo considerado o seu símbolo principal. Representa a ponte entre a alma humana individual, e a Grande Mente Universal , que é Lúcifer. Também é considerado como a Ponte Mental entre o homem e as energias cósmicas. Na bíblia este símbolo representa uma aliança feita entre Deus e Noé, que jamais castigaria a terra com dilúvio novamente Gên. 9.12-17.
       
      Olho de lúcifer. É muito Usado em roupas e outros objetos. Simboliza o olho de satanás vendo tudo e de olho naqueles que estão fora do seu alcance.
       
      Hexagram em círculos. É usada pelo movimento Nova Era como símbolo da unificação da humanidade com as forças cósmicas.
       
      Olho em cima da pirâmide. Simboliza satanás de olho nas finanças do mundo ver na nota de um dólar.
       
      Pirâmide de cristal. É tida como elemento que capta a energia cósmica e beneficia as pessoas dando sorte nos negócios.
       
      Pomba com ramo no bico. Simboliza a paz à qual tendem os aquarianos, na esperança de que as águas de Peixes seguem para dar lugar à Nova Era.
       
      Raio. Este símbolo é o reconhecimento do poderio de satanás, senhor, Satã, e a abnegação ao seu serviço. É também utilizado em marcas de roupas e enfeites como pendentes brincos e outros.
       
      SS. Usados por grupos nazistas e grupos de Rock também em roupas, broches, tatuagens, etc. Simboliza o louvor e invocação de satanás
       
      Cruz de Nero ou pé de galinha. Esta cruz de cabeça para baixo Simboliza a verdadeira paz sem Cristo. Segundo a nova era, O pé-de-galinha é uma cruz com os braços partidos e caídos. O círculo representa o inferno. Na década de 60 foi usada pelos hippies; também foi símbolo de ecologia no mundo, pois representa uma árvore de cabeça para baixo. É, também, usado pelos satanistas. Afirmam eles, que a haste quebrada para baixo representava a derrota do Cristianismo. Foi na idade média que este símbolo passou a ter vínculo com Satanás. O ateu britânico, Bertrand Russell, usou-o como símbolo da Paz no final da década de 50 e os movimento hippies também o usaram na década de 60. Hoje é usado pelas bandas de rock.
       
      Unicórnio. É o símbolo da liberdade e promiscuidade sexual: em todas suas modalidades.
       
      Yin – yang. O negativo e o positivo. Equilíbrio das energias cósmicas; os dois extremos da vida: o bem e o mal. Representado por uma circunferência dividida por uma parte branca e outra preta. Sugere a possibilidade de harmonia entre o bem e o mal, entre as trevas e a luz. Em outras palavras, ensina que o diabo não é tão ruim como se fala. O símbolo representa as duas forças integrantes do Universo: yin, força negativa ou feminina; yang, força positiva ou masculina, segundo um princípio filosófico surgido na China há milhares de anos. A alternância entre o yin e o yang constitui a base da tradicional crença chinesa no processo cíclico de nascimento e dissolução e na interdependência entre o mundo da natureza e a vida do homem. Yin-yang são, na filosofia oriental, as duas forças complementares, ou os dois princípios, contrários que se harmonizam, que abrangem todos os aspectos e fenômenos da vida.
      http://www.60segundosparadeus.com.br/2013/07/simbolos-satanicos-da-nova-era-e-seus.html

      sexta-feira, 16 de outubro de 2015

      SETE Coisas que Deus não disse, mas todo mundo acha que ele disse…



      “Deus ajuda a quem se ajuda”.

      Falso! Ao contrário, Deus ajuda aqueles que se reconhecem incapazes e, humilhados, clamam por socorro. “A mulher veio, adorou-o de joelhos e disse: “Senhor, ajuda-me!” (Mt 15:25).




      “Deus quer que você seja feliz”.

      Falso! Quem diz isso geralmente pensa a curto prazo, só para esta vida. Mas Deus projeta felicidade eterna para aquele que crê em Jesus e tem seus pecados perdoados. Quanto à nossa breve vida aqui, ele diz: “No mundo tereis aflições” (Jo 16:33).

      “Somos todos filhos de Deus”. 


      Falso! Todos são criaturas de Deus, mas filhos somente aqueles que nascem de novo pela fé em Jesus. “A todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.” (Jo 1:12).

      “Deus nunca permite um sofrimento além do que você possa suportar”.


      Falso! Para quebrar nossa autoconfiança Deus permite sofrimento além da capacidade humana, para encontrarmos nele os recursos de que necessitamos. “Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a tribulação que nos sobreveio na Ásia, pois que fomos sobremaneira agravados mais do que podíamos suportar, de modo tal que até da vida desesperamos… para que não confiássemos em nós, mas em Deus, que ressuscita os mortos; o qual nos livrou de tão grande morte, e livra; em quem esperamos que também nos livrará ainda”. (2 Co 1:8).

      “Quando você morrer o céu ganhará mais um anjo”.

      Falso! Seres humanos não são anjos e nunca serão. Assim como Jesus, em sua encarnação, somos originalmente menores que os anjos, mas os salvos por Cristo serão exaltados nele a uma posição acima dos anjos. “Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos?” (1 Co 6:3).

      “Todos os caminhos levam a Deus”.

      Falso! Na verdade esta ideia foi emprestada do ditado “Todos os caminhos levam a Roma”, mas é melhor escutar o que Jesus diz: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”. (Jo 14:6).

      “Não importa em que você crê, contanto que tenha fé”.


      Falso! Não é a fé que importa, mas em quem você coloca sua fé. Jesus disse aos judeus: “‘Se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados’. Disseram-lhe, pois: ‘Quem és tu?’ Jesus lhes disse: ‘Isso mesmo que já desde o princípio vos disse’. (Jo 8:24-25).


      Ele tinha deixado claro a eles que era o Messias prometido, e mais que isso: Ao usar a expressão “EU SOU” ele se reportava ao que Jeová havia dito de si mesmo em Êxodo 3:14: “E disse Eloim (Deus) a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.” Juntando isso com o que João escreve em sua segunda carta, entendemos que crer em Jesus Cristo inclui crer que ele é Deus e já existia antes de assumir a forma humana ao vir em carne.

      “Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo… Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho. Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis.” (2 Jo 1:7-10).

      http://ipalianca.org.br/2015/10/12/7-coisas-que-deus-nao-disse-mas-todo-mundo-acha-que-ele-disse/

      quarta-feira, 14 de outubro de 2015

      O Tribunal de Cristo - Julgamento dos salvos -

      “...Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo” (Romanos 14:10).
      “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal” (2 Coríntios 5:10).

      Esses versos dizem respeito somente aos cristãos. A Bíblia diz, em Hebreus 9:27: “E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo...” Até mesmo um cristão salvo não poderá escapar do julgamento. Quem não é salvo vai ser julgado no Trono Branco (fé mais obras, após a Grande Tribulação, segundo Apocalipse 20:11-13) e quem é salvo vai ser julgado no Tribunal de Cristo (fé somente) após o Arrebatamento. 

      Esse julgamento é descrito na 1 Coríntios 3:11-15: “Mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo”.

      O cristão, filho de Deus, vai comparecer diante de Cristo.

      Quando alguém me vê cometendo alguma tolice que não tem explicação (e sou especialista nisso), posso garantir que nove entre dez vezes estou ciente de que terei de dar conta disso perante o Tribunal de Cristo. Também terei de dar conta de como lidei com os dons que Deus me deu para serem usados para a Sua glória, como, por exemplo, ter facilidade de escrever, de traduzir línguas e de me expressar diante das pessoas. Sobre isso terei de prestar conta. Ninguém deve ficar de olho no que faz o seu irmão, devendo estar atento ao que o aguarda no Tribunal de Cristo. Por isso é que jamais combato pessoalmente os católicos e espíritas (muitos deles meus amigos), mas apenas combato as doutrinas antibíblicas que lhes são ensinadas.

      Vamos ver, novamente, o que nos aguarda no Tribunal de Cristo:

      ”Mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo” (1 Coríntios 3:11-14).

      Notem que a pessoa não vai ser queimada. Suas obras é que o serão. Notem que o fogo vai provar a obra de cada um, conforme a qualidade, pois o Senhor, no julgamento, estará interessado na qualidade e não no autor da obra.

      Antes de tudo, quem é um legítimo filho de Deus já depositou toda a sua confiança em Cristo como Salvador. Somente é salvo aquele que confia exclusivamente na obra de Cristo na cruz para chegar ao céu.

      Vamos esclarecer uma coisa: o termo “cristão” anda muito gasto, hoje em dia, podendo significar muita coisa. Prefiro apresentar-me como uma “crente bíblica”, pois quando digo que sou “cristã”, posso estar querendo dizer que sou mórmon, TJ, espírita, católica ou uma evangélica liberal do tipo que não crê na divindade de Jesus Cristo, o que acontece com quase todos os padres católicos e um grande número de “pastores” evangélicos. Até Ghandi foi chamado “cristão”, quando todo mundo sabe que ele era um ateu declarado!

      Quando usarmos o termo “cristão” neste trabalho deve ficar bem claro que se trata de um pecador remido, o qual confia exclusivamente nos méritos de Cristo para alcançar o céu. Não me refiro a um “membro de igreja”, nem a alguém que foi “batizado”, nada disso. “Cristão” aqui significa aquele que não confia em si mesmo, nem nos santos, nem na obra de mediadores humanos, mas única e exclusivamente na obra de Cristo no Calvário. Estamos falando de um pecador salvo, que tudo abandonou para seguir a Cristo como seu discípulo (Mateus 16:24). Vamos meditar bem no que significa confiar totalmente em Alguém para poder chegar ao céu... Não falo de quem confia no seu caráter reto, em sua “vida exemplar”, nas suas “boas obras”, nada disso. Refiro-me a quem confia somente em Cristo, em mais ninguém e em mais nada, para ser salvo do inferno.

      A quem é salvo, um filho de Deus, uma coisa que jamais vai acontecer é “ir queimar no inferno”. Muitas coisas ruins poderão lhe acontecer: Ele pode ser assaltado e morto, pode perder o cônjuge que tanto ama, perder os filhos, perder sua casa, exatamente como qualquer pecador não salvo. O pecador salvo pode até praticar coisas erradas, como viciar-se em drogas, cometer adultério, fornicação e outros delitos graves. Por isso alguém vai falar: “Será que ele é salvo? Acho que não!” Mas é salvo, sim! Ele peca, mas já não sente prazer no pecado e apenas cai nas armadilhas do diabo e sofre muito, quando peca... Conheci um homossexual que vivia no vício, depois de ter aceitado o Senhor. Sempre que cometia o horrendo pecado, ficava tão infeliz que até pensava em se matar. De tanto o aconselharmos e orarmos por ele, acabou largando o vício e se transformando num crente correto. Deus olhava o seu coração e dele se compadeceu. Uma pessoa que realmente aceitou Jesus Cristo e Nele confia totalmente para ser salvo, jamais vai cair no fogo do inferno. Vai sofrer muito, aqui mesmo (Hebreus 12:5-7), mas Deus vai puxá-lo para o lar celestial, com os laços do amor de Cristo (Romanos 8:31-39). Tendo uma vez confiado em Cristo com Salvador, o crente ganhou livramento e a segurança de escapar do castigo eterno.

      Mas não pense o leitor que pode fazer e acontecer, pois o castigo temporal divino é tenebroso, segundo Hebreus 10:31 e 12:28. Então, ficamos sabendo que as obras do crente podem se queimar, mas ele escapará ileso do fogo eterno. No Velho Testamento lemos sobre o caso de Ló, que perdeu tudo pelo fogo, na destruição de Sodoma e Gomorra, mas escapou ileso com as duas filhas. Sua mulher teve saudades da terra do pecado e acabou se transformando numa estátua de sal. Ló representa um cristão salvo diante do Tribunal de Cristo.

      Muitos pastores evangélicos, hoje em dia, agem de maneira hipócrita, em geral por ganância, pois sempre ficam falando do céu, logo depois da coleta dos dízimos e ofertas, como se achassem que os membros da igreja pagaram por essa garantia verbal. Outros ficam exigindo sacrifícios do tipo feito no Velho Testamento, com o fito de manter os membros acorrentados à sua igreja, cheios de medo de perder a salvação, caso não obedeçam aos mandamentos do pastor. Mas nenhum filho de Deus, que confia exclusivamente na obra de Cristo na cruz, deve alimentar qualquer receio de ir para o inferno ou de perder bênçãos, caso não contribua liberalmente ou faça sacrifícios a mando do pastor. As bênçãos são fruto de uma vida reta, de um bom testemunho diante dos membros da comunidade. O crente pode ter medo de perder a vida, a saúde, a família, os amigos, a estabilidade financeira adquirida com honestidade, mas nunca deve temer a perda da salvação, se realmente confia na obra de Cristo na cruz.

      Imaginem a ingenuidade de um membro da [denominação] Igreja de Cristo, confiando em ir para o céu porque creu e foi batizado... Porque, sem batismo, nada feito! E a de um mórmon, cantando as doçuras do paraíso celestial, mesmo sem ter a certeza de que vai para lá... E a de um católico, cantando “Com Minha Mãe estarei...” , cofiando em que um dia vai chegar ao céu, mas somente se confiar na mediação de Maria e rezar o rosário diariamente, usando o escapulário como garantia de que Maria vai retirá-lo do purgatório, no primeiro sábado após sua morte!!! E, finalmente, a de um TJ, esperando um dia poder habitar no paraíso terrestre, se obedecer a todos os mandamentos dos líderes de sua igreja e vender centenas de revistas de porta em porta!!!

      Bem, já vimos que todos os crentes vão comparecer diante do Tribunal de Cristo e caso as suas obras que não forem de ouro, prata e pedras preciosas, serão queimadas no fogo (Valha-me 1 João 1:9!). E qual seria a obra garantida contra esses “olhos como chama de fogo”, num “rosto brilhando como o sol na sua força”, o de Cristo, conforme (Apocalipse 1:14-15)? Qualquer obra que seja executada exclusivamente por amor de Cristo. Em Mateus 22:37 Ele diz: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento”. Infelizmente isso nunca é claramente ensinado nos seminários, nem nas Escolas Dominicais, onde se perde um tempo precioso chapinhando no Velho Testamento, esquecendo os evangelhos e as Cartas de Paulo. Vamos perguntar: A obra de um bom pregador vale ouro? Respondemos: Se ele pregar de graça, exclusivamente por amor a Cristo, sem receber salário algum, claro que sim! Que ele arranje um trabalho secular para sustentar a família e dedique os dias de folga à pregação do evangelho. Cristo disse aos seus discípulos: “...de graça recebestes, de graça daí”. Hoje em dia muitos pastores até se auto-intitulam “apóstolos”, mas ninguém quer trabalhar de graça! Que os pastores, os oficiais da igreja e os professores da EBD façam o trabalho por amor a Cristo, a fim de efetuar obras de ouro! (Valha-me 1 João 1:9!).

      Muitos crentes costumam dizer: “Se eu conseguir chegar ao céu, isso já vai me dar uma enorme alegria.” Ledo engano! Imagine o que alguém vai sentir quando, ao regressar de uma viagem, encontrar a sua casa completamente reduzida a cinzas... Vai ficar feliz? Pois o mesmo vai acontecer diante do Tribunal de Cristo! E ali a sensação de perda será infinitamente maior! Em Apocalipse 19:8, lemos: “E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos”. Em Apocalipse 16:15, lemos:” Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas roupas, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas”. Na 1 João 2:28, lemos: “E agora, filhinhos, permanecei nele; para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança, e não sejamos confundidos por ele na sua vinda”.

      Isso nos leva a crer que o filho de Deus é quem deve confeccionar o seu traje para comparecer diante do Senhor. Isso nada tem a ver com a salvação, pois, “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo” (Tito 3:5). Em Efésios 2:10 lemos: “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”. Então quando somos salvos, devemos praticar boas obras para a confecção de nossas vestes, a fim de com elas nos apresentarmos diante do Tribunal de Cristo.

      Imagine você desfilando completamente no traje em que veio ao mundo por uma avenida de sua cidade! Os nudistas fazem isso, mas eles geralmente correm, e nunca andam devagar. Ou então tiram fotos deitados, a fim de faturar dinheiro e/ou fama na imprensa. Nunca será demais repetir a 1 Coríntios 3:11:15: “Mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo”.

      *** OURO - Na Bíblia o ouro significa Divindade. É o metal mais precioso, tanto que as ruas da Nova Jerusalém são todas de ouro puro. Sempre que você adorar e louvar o Senhor Jesus Cristo como grande Deus e Salvador, no momento em que estiver atravessando uma fase de dor e sofrimento em sua vida, você estará fazendo um “sacrifício de louvor” (Hebreus 13:15), “adorando-o em espírito e em verdade” (João 4:24). Sacrifício não significa dar muito dinheiro à sua igreja, subir a um monte para orar, achando que está mais perto de Deus, jejuar, esperando receber bênçãos especiais, entregar dízimos e ofertas (achando que Deus vai retribuir-lhe), comparecer a reuniões celulares, achando que está crescendo em poder espiritual, falar línguas estranhas, etc. Estas coisas são modismos criados por gente que não respeita a simplicidade do evangelho de Cristo e tenta aprisionar os membros de suas igrejas com “efeitos especiais”.

      Quando você estiver na igreja declarando que Jesus Cristo é a sua única esperança, enquanto tem o coração destroçado por uma perda irreparável... Quando você estiver numa cama de hospital, aceitando a vontade do Pai celestial por amor a Cristo (em vez de ficar declarando uma cura que Deus não deseja lhe dar)... Quando você sofrer uma injustiça e continuar orando pela pessoa que o injuriou, isso vai ter o valor do ouro diante do Tribunal de Cristo. E quando você pregar a Cristo unicamente por amor à obra que Ele realizou no Calvário, desejando de todo o coração ganhar uma alma para Ele, isso vai ter o valor do ouro. Quando você deixar de ver um filme qualquer para ler e pesquisar a Palavra de Deus, com o intuito de crescer no amor pelo Senhor, isso valerá ouro, no Tribunal de Cristo.

      *** PRATA - Na Bíblia a prata significa o preço que o Senhor pagou pela nossa redenção. Ele foi vendido por 30 moedas de prata. Quando você expõe o verdadeiro plano de salvação a um incrédulo, ou membro de igreja herética, isso vale prata diante do Tribunal de Cristo. Em Mateus 6:20-21, lemos: “Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”. Por causa da preguiça e do respeito humano, muitos crentes vão comparecer diante do Tribunal de Cristo completamente falidos, alguns até vestidos com um tambor de madeira, com uma roupa de palha (como os índios da Amazônia), ou coisa parecida. (Valha-me 1 João 1:9!).

      *** PEDRAS PRECIOSAS - A Bíblia vive citando estas. Em Malaquias 3:17-18, (falando de Israel) lemos: “E eles serão meus, diz o SENHOR dos Exércitos; naquele dia serão para mim jóias; poupá-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve. Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve”. Na 1 Pedro 2:5 (falando da Igreja), lemos: “Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo”. Os salvos são como pedras preciosas para o Senhor. Em Mateus 7:6 lemos: “Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas, não aconteça que as pisem com os pés e, voltando-se, vos despedacem”. Essas pedras preciosas podem ser os seus filhos na fé. Jamais cometa a loucura de atirar seus filhos na fé aos porcos, isto é, às igrejas que pregam teologias espúrias, como as da fé/prosperidade, lideradas por obreiros fraudulentos e falsos apóstolos, os quais, segundo está bem claro na 2 Pedro 2:1-2 são: “falsos profetas... também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade”.

      Em Zacarias 9:16 (falando de Israel), lemos: “E o SENHOR seu Deus naquele dia os salvará, como ao rebanho do seu povo: porque como pedras de uma coroa eles resplandecerão na sua terra”. Quando o filho pródigo regressou, seu pai mandou que lhe colocassem um anel no dedo como sinal de aceitação no lar paterno. O irmão “bonzinho”, invejoso e ciumento, ainda não havia merecido tal adereço... Será que vamos ter muitas pedras preciosas na coroa, quando o sol da nossa vida chegar ao ocaso? (Valha-me 1 João 1:9!).

      Existem vários tipos de coroa, mas nenhuma delas ligada à salvação, coroas que os crentes desta dispensação e da época da Grande Tribulação irão receber, quando o Senhor disser: “Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor” (Mateus 25:21).

      A Coroa da Justiça - “Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério. Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda” (2 Timóteo 4:1-8).

      Essa “coroa da justiça” será dada a todos os crentes que anseiam sinceramente pela volta do Senhor. Essa volta será em duas etapas: a primeira, visível somente aos crentes, sem qualquer aviso prévio, chamada Arrebatamento, a segunda durante o Armagedom. Sobre o Arrebatamento lemos: “Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. (1 Coríntios 15:51-52). Em Apocalipse 3:11, Jesus admoesta a igreja: “Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa”. Jamais devemos permitir que o Arrebatamento se torne um assunto sem importância para nós. Não entendo como as igrejas modernas falam tanto de poder espiritual, prosperidade material, visões, revelações, línguas estranhas, usando coreografias durante os cultos-shows, mas nunca pregam a iminência do Arrebatamento. Infelizmente o evangelho entregue por noventa entre cem igrejas de hoje é um evangelho espúrio, egocêntrico, visando a satisfação do crente carnal, visando convencê-lo de que ele é um pequeno “deus” e não um servo indigno do amor de Deus, servo inútil, mesmo quando pensa que fez tudo que devia ter sido feito. Amigo leitor, não permita que um mau pastor lhe roube a coroa da justiça, através do seu descaso quanto ao Arrebatamento. Medite sempre em Apocalipse 3:11 e aguarde o Senhor com a “bendita esperança” do Seu breve regresso.

      A Coroa da Vida - “Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam” (Tiago 1:12). “... Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Apocalipse 2:10). Convém notar que o Senhor não diz para ser fiel até a morte, a fim de obter a salvação, mas para receber a coroa da vida. A salvação já nos foi concedida através do Seu sangue derramado na cruz. Ser fiel até a morte significa vencer as tentações, segundo Tiago 1:12. Quando resistimos às tentações, o Senhor nos dá a mesma coroa que Ele dá a um crente que sofre o martírio. Quem resiste às tentações está provando o seu amor por Jesus Cristo.

      A Coroa Incorruptível - Na 1 Coríntios 9:24-27 lemos: “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível. Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar. Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado”.

      Essa passagem não fala da possibilidade do crente ir para o inferno, como pregam os especialistas em “perda da salvação” e em “cair da graça”. Paulo temia apenas ser desqualificado para o ministério que o Senhor lhe havia confiado. Ela se refere a uma condição física, quando Paulo temia não conseguir alcançar a meta final da sua corrida olímpica. Na 1 Coríntios 9:25, ele diz: “E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível”, o que significa obedecer às regras da vida cristã. Um crente que pratica imoralidade, fuma, bebe, come demais e faz outras coisas que prejudicam o corpo, está entristecendo o Espírito Santo e incorrendo na desqualificação para realizar um ministério aceitável a Deus. Nosso corpo, alma e espírito devem estar sempre limpos, a fim de alcançarmos a soberana vocação de Deus em Cristo. Por isso devemos continuar “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé” (Hebreus 12:2), a fim de conseguirmos a vitória. Existem cristãos que conseguem faturar milhões de Reais anualmente, entregam o dízimo pontualmente, dão ofertas generosas à igreja, mas são tão mornos em sua vida espiritual que jamais conseguem alcançar essa coroa incorruptível.

      A Coroa da Glória - Na 1 Pedro 5:1-4, lemos: “Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória”. Essa é a coroa que o Senhor vai dar a todo pastor ou missionário (da palavra ou do papel) que sabe alimentar o rebanho. Em João 2:15-16 Ele disse a Pedro: “Apascenta os meus cordeiros... Apascenta as minhas ovelhas.” Pedro soube cumprir a ordem recebida do Senhor, mesmo sem jamais ter-se tornado “papa”, conforme o Catolicismo Romano tem ensinado.

      Alguns pastores malaquianos costumam orar em alta voz, abençoando os membros de suas igrejas, logo após terem eles entregue os dízimos e as ofertas. Mesmo sem perceber, esses homens estão transformando o Senhor num empresário, que exige o pagamento antecipado da mercadoria que vende. Alimentar as ovelhas é pregar a sã doutrina, é saber “manejar bem a palavra da verdade” (2 Timóteo 2:15). Essa alimentação, quando feita desinteressadamente, sempre traz retorno. Um rebanho bem alimentado sempre dá ao seu pastor e à sua igreja, a lã e a gordura necessárias ao crescimento da congregação.

      A Coroa de Glória - Na 1 Tessalonicenses 2:19-20 lemos: “Porque, qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa de glória? Porventura não o sois vós também diante de nosso Senhor Jesus Cristo em sua vinda? Na verdade vós sois a nossa glória e gozo”. É a coroa das pessoas ganhas para Cristo. Cada vez que uma alma é salva, os anjos cantam de alegria no céu. Jesus falou em Lucas 15:7: “Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”. Demos graças a Deus por todas as almas que já ganhamos para o Senhor, pois assim não chegaremos de mãos vazias diante do Tribunal de Cristo.

      Existem outros ministérios do ganhador de almas, além da pregação normal.

      1. - Falar de Cristo e do Seu amor por todos nós, expondo claramente o plano de salvação aos parentes, amigos e conhecidos.

      2. - Distribuir literatura evangélica.

      3. - Escrever livros e artigos para edificação dos crentes.

      4. - Levar uma vida impecável no local onde reside, honrando pontualmente todos os seus compromissos, provando aos vizinhos e membros da comunidade que ser cristão é ser correto.

      5. - Tratar cordialmente todas as pessoas com quem entra em contato.

      Em Mateus 12:34 Jesus disse: “...do que há em abundância no coração, disso fala a boca”. Portanto, evitemos comentários maldosos e piadas picantes em nossas conversas. Quem deseja ganhar almas para Cristo, fala e vive conforme o que prega. Devemos falar de Cristo ao vendedor, ao entregador de mercadorias, ao caixa do banco, ao técnico de TV, ao lixeiro, enfim a todos aqueles com quem entramos em contato no nosso dia a dia. Paulo nos manda aproveitar cada oportunidade: “Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo. A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um” (Colossenses 4:5). Ele também nos comanda a retribuir o mal com o bem; a nos regozijarmos sempre no Senhor; a orar sem cessar; a dar graças em tudo; a não apagar o Espírito; a examinar todas as coisas, retendo o que é bom e a nos abstermos de toda forma de mal. (1 Tessalonicenses 5:15:22).

      Quem ama verdadeiramente ao Senhor encontra sempre oportunidades de praticar o bem, de falar do amor de Deus pela humanidade e de se mostrar alegre em qualquer circunstância da vida, pois, como diz Paulo em Romanos 8:28: “...todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”.

      Leiam abaixo os dados Biográficos do Dr. Peter Ruckman, autor deste livro:

      Peter Sturges Ruckman nasceu em 1921. Passou anos estudando a história dos manuscritos da Bíblia. Recebeu doutorado em Filosofia na Universidade Bob Jones e mais tarde os graus de doutorado em Teologia e Divindades.

      Fundou pessoalmente, ou ajudou a fundar, dezenas de igrejas. Ele é o fundador e presidente do Instituto Bíblico de Pensacola, em Pensacola, Flórida, USA, onde treinou centenas de pregadores, missionários e leigos cristãos. Também foi o autor de mais de uma centena de livros e comentários bíblicos.

      Ele é, sem dúvida, o mais conhecido campeão da Bíblia King James desta geração. É considerado um inimigo extremamente perigoso dos críticos da Bíblia, que ensinam que Deus não conservou perfeita a Sua Palavra. (Apesar do Salmo 12:6-7). Seu arsenal é um intelecto acima da média, anos de estudos dos manuscritos originais da Bíblia e uma pregação contundente. Durante os anos em que estudava nos seminários teológicos, o Dr. Ruckman lia uma média de mil páginas diariamente, tendo lido cerca de 6.500 livros, nesse tempo.

      Seu estilo abrasivo de pregação ofende e até amedronta os gesticuladores e carismáticos “soldados do SENHOR”, que morrem de medo de afundar num confronto com ele, bem como diante dos fatos que ele apresenta como erudito do Novo Testamento em língua grega. O Dr. Ruckman viaja pelo mundo inteiro tentando desfazer o que ele chama de “bamboleios na Palavra de Deus”. Sua maneira vibrante e coloquial de expor sua erudição bíblica tem-lhe angariado uma pletora de inimigos, principalmente nos meios TJ, Mórmon, Católico e Neo-Pentecostal. Contudo, seus inimigos mais ferrenhos são os chamados “críticos textuais” da Bíblia King James, principalmente aqueles que fazem parte das comissões de atualização da Versão Autorizada de 1611.

      Todos os críticos da Bíblia afirmam que a Bíblia “é a perfeita Palavra de Deus, sem qualquer mistura de erro”. Fazem esta afirmação para enganar as pessoas de suas congregações, a fim de garantir seus altos lucros, “andando com astúcia e falsificando a Palavra de Deus” (2 Coríntios 4:2b). Eles morrem de medo de que um membro da congregação apareça, de repente, com um dos muitos livros do Dr. Ruckman, e descubra a diferença entre alguém que “afirma” crer que a Bíblia é perfeita e aquele que realmente crê nisso.

      Muitos cristãos verdadeiros, iluminados pelo Espírito Santo, chegaram à própria conclusão de que a Bíblia King James é a absoluta e perfeita Palavra de Deus. Despidos de qualquer malícia, esses filhos de Deus irão, sem dúvida, questionar os “melhoramentos” feitos na Escritura pelos críticos textuais, os quais são, em verdade, deturpações seguidas pelos pastores gananciosos. Esses cristãos verdadeiros serão logo tachados de “ruckmaníacos”, mesmo que, na maioria das vezes, jamais tenham ouvido falar do Dr. Peter S. Ruckman. Quanto a mim, assumo com muita honra o epíteto de “ruckmaníaca”... Vou continuar lendo a Palavra diariamente, orando e pedindo que o Espírito de Deus me ilumine para que eu seja uma bênção e nunca maldição na vida dos irmãos crentes.

      Esse tipo de denúncia é uma simples, embora desesperada tática, usada pelos mercadores da Palavra de Deus. Nenhum cristão deseja ser apontado com o dedo indicador como “seguidor de um homem”. Desse modo, os críticos da Bíblia racionalizam que se os crentes da Bíblia King James (Almeida Corrigida e Revisada Fiel em nossa língua) puderem ser acusados de “seguidores de um determinado homem”, logo abdicarão de suas convicções e humildemente seguirão os pastores acomodados às falsificações (que chegam a 60.000) da Bíblia de Deus.

      “Certa vez”, diz o Dr. Ruckman, “encontrei um pregador que rejeitava a idéia de se agrupar com crentes bíblicos dizendo que estes poderiam ser “ruckmaníacos”. Ele afirmava: “não sigo homem nenhum”. Ele parecia muito piedoso. Mais tarde, porém, declarou, com um gesto de absoluta piedade cristã, que era um calvinista convicto (isto é, um seguidor dos ensinos do homem, João Calvino)”.

      Os crentes verdadeiros não devem seguir doutrinas de homens, mas somente as da Bíblia. A Igreja de Roma inventou essa história de interpretação, mas a Bíblia é um livro escrito pelo Espírito Santo e deve ser lido e interpretado literalmente.

      Excerto e adaptação do livro“The Judgement Seat of Christ”,

      do Dr. Peter Ruckman.

      Mary Schultze, setembro 2004.

      http://solascriptura-tt.org/EscatologiaEDispensacoes/TribunalDeCristo-MSchultze.htm