quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

NOSSAS LIDERANÇAS TAMBÉM DEVEM E PRECISAM SEREM DISCIPULADAS.

NOSSAS LIDERANÇAS TAMBÉM DEVEM E PRECISAM SEREM DISCIPULADAS.


- Não raro vemos muitos de nossos líderes se abrindo e dizendo que vivem em grande solidão, pois não têm a quem de confiança para compartilharem seus problemas, sua solidão e seus temores.

- O grande problema está basicamente nas estruturas das igrejas pós Reforma que colocou as lideranças, principalmente os pastores, muito acima das pessoas comuns. Uma espécie de super heróis, algo que definitivamente não são. Lideranças também são pessoas humanas com as mesmas fraquezas dos membros.

- Todos devemos compartilhar o que se passa conosco para aliviarmos nossas tensões e obter ajuda tanto no campo espiritual como no material.

- Deus nos perdoa os pecados quando os confessamos a Ele, mas cura das nossas emoções vem do confessar o que vai dentro de nós no "uns aos outros". Veja esse verso que fala bem disso: "Confessai, portanto, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados." Tiago 5:16.

- Por isso os melhores modelos de Igrejas em Pequenos Grupos que conhecemos se preocupa com essa situação. Em virtude disso também esse assunto é incluído em seus manuais e seminários, onde a prática tem demonstrado a funcionalidade da situação.

Ivo Gomes do Prado.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus

"Prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o  teu  Deus". (Amós 4:12).
"Portanto, ficai igualmente vós alertas; pois o Filho do homem virá no 
momento em que menos esperais." Mateus 24.44

Hugo foi visitar seu amigo Rubens que morava no campo. Ao chegar lá, admirou suas grandes hortas e comentou entusiasmado: "Fico admirado, Rubens, por seu trabalho. Vejo que o amigo prepara bem a terra, prepara os fertilizantes que farão a plantação crescer mais saudável, prepara os tubos para a irrigação e os lugares que receberão o resultado de seu plantio na época da colheita. Parabéns por sua determinação!" Rubens, agradecendo as palavras gentis, disse a Hugo: "Tudo isso eu faço com amor e gratidão ao meu Deus. Mas há algo para o qual eu dedico mais tempo. Eu sempre digo ao Senhor que o que mais almejo na vida é estar preparado para o dia em que Ele virá me buscar, para com Ele viver nas moradas celestiais. E aproveito para lhe perguntar, "você também está preparado?" Para que temos nos preparado neste mundo? Para ter um bom emprego? Para realizar grandes sonhos? Para um bom casamento? Para atingir um padrão financeiro que nos garanta um futuro tranquilo e agradável? Se respondemos "sim" a estas perguntas, devemos perseverar em nosso preparo porque são excelentes objetivos. Mas, há um tipo de preparo que devemos buscar com mais determinação que os citados anteriormente: o preparo para o encontro com o Senhor. Cristo não veio a este mundo apenas para morrer na cruz e nos perdoar os pecados. Ele veio porque nos ama, porque deseja que vivamos de maneira abundante, porque espera que estejamos preparados para segui-Lo quando voltar para buscar Sua igreja. Ele foi preparar um lugar maravilhoso e este lugar estará esperando por nós, Seus amigos. Eu quero estar pronto para dizer "eis-me aqui". E você? Paulo Barbosa
www.ministeriopararefletir.com.br

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

PODE O CRENTE PERDER A SUA SALVAÇÃO?

Um assunto muito polêmico e já bem discutido é sobre a perda da salvação, onde muitos defendem com unhas e dentes que o crente pode sim perder sua salvação.
Alguns versículos são utilizados para sustentar que o crente perde sua salvação, como esses:
Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro.
Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado;
2 Pedro 2:20,21
Ora para aqueles que uma vez foram iluminados, provaram o dom celestial, tornaram-se participantes do Espírito Santo, experimentaram a bondade da palavra de Deus e os poderes da era que há de vir, e caíram, é impossível que sejam reconduzidos ao arrependimento; pois para si mesmos estão crucificando de novo o Filho de Deus, sujeitando-o à desonra pública.
Hebreus 6.4-6
Mas será que os versos acima estão ensinando mesmo que o crente que foi salvo por Cristo pode perder sua salvação por algum motivo?
1- Se o crente pudesse perder sua salvação então com certeza todos perderiam, pois não somos capazes de manter nossa salvação.
Quem nos mantém firmes e salvos até o fim é o próprio Deus:
Ele os manterá firmes até o fim, de modo que vocês serão irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo. 1Corintios 1.8
Portanto se é Deus que nos mantém nEle, então podemos ter confiança de que Ele não nos perderá.
2- Se a salvação é pela graça e sem nenhum merecimento, então porque depois de salvos devemos continuar merecendo para não perder?
As perguntas mais frequentes são do tipo:
Mas e se fulano fazer isso, e se fulano morrer fazendo aquilo...
Qualquer um por mais piedoso que seja, se morrer agora nesse exato momento, até mesmo dormindo, merecerá o inferno por toda a eternidade! Pois somos maus e nossas melhores obras são como trapos de imundícia e por mais que nos esforcemos, nossas obras não podem nos tornar mais justos diante de Deus.
Somos como o impuro — todos nós! Todos os nossos atos de justiça são como trapo imundo. Murchamos como folhas, e como o vento as nossas iniqüidades nos levam para longe.
Isaías 64.4
A salvação é somente pela fé por meio da graça:
Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie.
Efésios 2.8-9
3- A fé salvadora vem de Deus, como vimos em Efésios 2.8-9, e se é Deus quem nos dá a salvação e decide nos salvar, então como pode o plano Divino de salvar alguém ser frustrado?
"Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado.
Jó 42.2
4- Os salvos são selados, e esse selo garante a sua salvação.
Nele, quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os salvou, vocês foram selados com o Espírito Santo da promessa, que é a garantia da nossa herança até a redenção daqueles que pertencem a Deus, para o louvor da sua glória.
Efésios 1.13
O salvo é selado com Espírito Santo, e esse selo é irrevogável, pois é a garantia de nossa herança!
5- Jesus disse claramente, que quando alguém é salvo, esse alguém permanecerá salvo por toda a eternidade:
Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão.
João 10.28
Uma vez ovelhas do rebanho de Cristo, nunca mais seremos perdidos, pois Cristo nos segura firmemente em suas mãos.
Conclusão:
Mas então como explicar 1Pedro 2.20-21 e Hebreus 6.4-6?
Esses textos falam de apostasia.
O apóstata nunca foi um salvo, ele cresce no meio da igreja de Cristo como joio no meio do trigo, é iluminado, torna-se participante, mas no fim é separado do trigo.
É o solo pedregoso ou espinhoso como em Mateus 4, que cresce, perece bonito e forte, mas é sufocado pelas dificuldades da vida e outros não possuem raiz.
Esse nunca recebera de fato a salvação, pois uma vez recebida não podemos mais perdê-la.
O apóstata não é evidência de perda de salvação, mas sim, uma evidência de que existe fé falsa.
Por Danilo Henrique Ribeiro

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Sermões evangélicos estreiam no Netflix

Sermões evangélicos estreiam no Netflix

Mudanças na grade já tem 4 televangelistas
por Jarbas Aragão

Sermões evangélicos estreiam no NetflixSermões evangélicos estreiam no Netflix
O serviço de streaming Netflix reinventou alguns conceitos sobre o que é televisão. Além de programas originais como “Orange is the new black” e “House of Cards”, Netflix agora oferece aos usuários um outro tipo de conteúdo: sermões cristãos. A programação para os usuários dos EUA e Canadá já tem quatro pregadores conhecidos desde o final do ano passado.
“Eu acredito que se Jesus vivesse na Terra hoje, certamente estaria no Netflix”, afirmou Ed Young, um dos pastores que já acertou a transmissão dos seus programas. Ele afirma que foi um dos primeiros a negociar com a Netflix sobre programas religiosos, que não faziam parte da programação.
Ed acredita que, como Jesus fazia, é preciso que os pastores vão até onde as pessoas estão. Ele celebra a inovação da empresa de streaming, que pode levar a fé evangélica para uma geração que está vendo uma transição histórica nas comunicações.
“Jesus foi o comunicador mais criativo na história. Se nós precisamos imitar seu modo de agir em tudo, a igreja deve ser a entidade mais criativa no universo”, finaliza Young.
“Isso se encaixa com padrões antigos da TV”, minimiza Stewart M. Hoover, diretor do Centro de Mídia, Religião e Cultura da Universidade do Colorado em Boulder. O estudioso acredita que as igrejas evangélicas foram rápidas ao se adaptar ao rádio, depois à televisão e outras tecnologias conforme foram surgindo.
Para o analista, essas novas “séries de sermões” num primeiro momento servirão mais para atrair cristãos para o Netflix que converter os atuais usuários para o cristianismo.
Com sede em Dallas, a Igreja Fellowship, do pastor Ed Young já possui um canal de TV na internet. Autor de mais de uma dúzia de livros, o pastor há anos já disponibiliza sermões no iTunes e conteúdo para plataformas como YouTube e Roku.
Os programas gravados por Young são cinco episódios (leia-se sermões) com o tema “50 Shades of They”, um trocadilho com o livro/filme “50 tons de cinza”. A temática? Sexo na perspectiva bíblica.
As três outras ‘séries’ de pastores na Netflix têm formatos semelhantes. A “#DeathToSelfie”, mostra o jovem pastor Steven Furtick falando sobre a busca pela identidade em episódios (sermões) sobre o tema.
O outro pastor com programas é Andy Stanley, que apresenta palestras (sermões) sobre os desafios da vida com o título “Starting Over”. Finalmente, a pastora Joyce Meyer, única mulher do grupo, optou por um formato mais tradicional e mostra suas pregações como fazia na TV aberta, diante de um auditório enorme. No Netflix são sermões temáticos sobre “Como vencer as batalhas da vida”.
Paul Huse, diretor executivo de marketing do ministério de Joyce Meyer disse que foi uma decisão estratégica. “Um número crescente de pessoas está a cortar o cordão umbilical com a TV”, disse Huse. “Ainda que aluguemos horários em seis ou sete canais a cabo, as pessoas estão se afastando [da TV] e queremos estar onde elas podem ter acesso a nós.”
A Netflix não forneceu muitos detalhes sobre o conteúdo para os episódios, mas há uma regra. Os programas devem evitar a promoção de produtos e pedidos para os telespectadores fazerem doações, explica Huse.
A mudança proposta pela Netflix é um “ajuste lógico”, define Tom Nunan, professor na Escola de Teatro, Cinema e Televisão da UCLA e ex-produtor de Hollywood.
“Em muitos aspectos, Netflix é o oposto de redes de TV tradicionais, que têm como alvo um público de nicho específico. A Netflix está tentando ser tudo para todas as pessoas e a espiritualidade, em geral, é muito bom como negócio”, assevera.
Representantes da Netflix se recusaram a dar detalhes sobre o acordo com os pastores, preferindo emitir um comunicado que diz: “Novos títulos são continuamente adicionados ao serviço para atender ao gosto diversificado dos nossos mais de 75 milhões de membros em todo o mundo.” Com informações de Christian Headlines
https://noticias.gospelprime.com.br/sermoes-evangelicos-netflix/?utm_content=buffer6f431&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer