segunda-feira, 12 de junho de 2017

13 DE JUNHO - LEITURA BÍBLICA ANUAL - ISAÍAS 46 A 47.

Isaías 46

Os deuses da Babilônia

1Bel se inclina, Nebo se abaixa;
os seus ídolos são levados
por animais de carga.
As imagens que são levadas
por aí são pesadas,
um fardo para os exaustos.
2Juntos eles se abaixam e se inclinam;
incapazes de salvar o fardo,
eles mesmos vão para o cativeiro.
3"Escute-me, ó casa de Jacó,
todos vocês que restam da nação de Israel,
vocês, a quem tenho sustentado
desde que foram concebidos,
e que tenho carregado
desde o seu nascimento.
4Mesmo na sua velhice,
quando tiverem cabelos brancos,
sou eu aquele,
aquele que os susterá.
Eu os fiz e eu os levarei;
eu os sustentarei
e eu os salvarei.
5"Com quem vocês vão comparar-me
ou a quem me considerarão igual?
A quem vocês me assemelharão
para que sejamos comparados?
6Alguns derramam ouro de suas bolsas
e pesam prata na balança;
contratam um ourives
para transformar isso num deus,
inclinam-se e o adoram.
7Erguem-no ao ombro e o carregam;
põem-no em pé em seu lugar, e ali ele fica.
Daquele local não consegue se mexer.
Embora alguém o invoque,
ele não responde;
é incapaz de salvá-lo de seus problemas.
8"Lembrem-se disso, gravem-no na men­te,
acolham no íntimo, ó rebeldes.
9Lembrem-se das coisas passadas,
das coisas muito antigas!
Eu sou Deus, e não há nenhum outro;
eu sou Deus, e não há nenhum como eu.
10Desde o início faço conhecido o fim,
desde tempos remotos,
o que ainda virá.
Digo: Meu propósito permanecerá em pé,
e farei tudo o que me agrada.
11Do oriente convoco uma ave de rapina;
de uma terra bem distante,
um homem para cumprir
o meu propósito.
O que eu disse, isso eu farei acontecer;
o que planejei, isso farei.
12Escutem-me,
vocês de coração obstinado,
vocês que estão longe da retidão.
13Estou trazendo para perto
a minha retidão,
ela não está distante;
e a minha salvação não será adiada.
Concederei salvação a Sião,
meu esplendor a Israel.

Isaías 47

A queda da Babilônia

1"Desça, sente-se no pó,
Virgem Cidade de Babilônia;
sente-se no chão sem um trono,
Filha dos babilônios.
Você não será mais chamada
mimosa e delicada.
2Apanhe pedras de moinho e faça farinha;
retire o seu véu.
Levante a saia, desnude as suas pernas
e atravesse os riachos.
3Sua nudez será exposta
e sua vergonha será revelada.
Eu me vingarei; não pouparei nin­guém."
4Nosso redentor,
o Senhor dos Exércitos é o seu nome,
é o Santo de Israel.
5"Sente-se em silêncio, entre nas trevas,
cidade dos babilônios;
você não será mais chamada
rainha dos reinos.
6Fiquei irado contra o meu povo
e profanei minha herança;
eu os entreguei nas suas mãos,
e você não mostrou misericórdia
para com eles.
Mesmo sobre os idosos
você pôs um jugo muito pesado.
7Você disse: 'Continuarei sempre sendo
a rainha eterna!'
Mas você não ponderou estas coisas,
nem refletiu no que poderia acontecer.
8"Agora, então, escute,
criatura provocadora,
que age despreocupada
e preguiçosamente
em sua segurança e diz a si mesma: 'Somente eu,
e mais ninguém.
Jamais ficarei viúva nem sofrerei
a perda de filhos'.
9Estas duas coisas acontecerão a você
num mesmo instante, num único dia,
perda de filhos e viuvez;
virão sobre você com todo o seu peso,
a despeito de suas muitas feitiçarias
e de todas as suas poderosas
palavras de encantamento.
10Você confiou em sua impiedade e disse:
'Ninguém me vê'.
Sua sabedoria e seu conhecimento a enganam
quando você diz a si mesma:
'Somente eu, e mais ninguém
além de mim'.
11A desgraça a alcançará
e você não saberá como esconjurá-la.
Cairá sobre você um mal
do qual você não poderá proteger-se
com um resgate;
uma catástrofe que você não pode prever
cairá repentinamente sobre você.
12"Continue, então, com suas
palavras mágicas de encantamento
e com suas muitas feitiçarias,
nas quais você tem se afadigado
desde a infância.
Talvez você consiga,
talvez provoque pavor.
13Todos os conselhos que você recebeu
só a deixaram extenuada!
Deixe seus astrólogos se apresentarem,
aqueles fitadores de estrelas
que fazem predições de mês a mês,
que eles a salvem daquilo
que está vindo sobre você;
14sem dúvida eles são como restolho;
o fogo os consumirá.
Eles não podem nem mesmo salvar-se
do poder das chamas.
Aqui não existem brasas
para aquecer ninguém;
não há fogueira para a gente sentar-se ao lado.
15Isso é tudo o que eles podem
fazer por você,
esses com quem você se afadigou
e com quem teve negócios escusos
desde a infância.
Cada um deles prossegue em seu erro;
não há ninguém que possa salvá-la.

Isaías 48

Israel é teimoso

1"Escute isto, ó comunidade de Jacó,
vocês que são chamados
pelo nome de Israel
e vêm da linhagem de Judá,
vocês que fazem juramentos
pelo nome do Senhor
e invocam o Deus de Israel,
mas não em verdade ou retidão;
2vocês que chamam a si mesmos
cidadãos da cidade santa
e dizem confiar no Deus de Israel;
o Senhor dos Exércitos é o seu nome:
3Eu predisse há muito
as coisas passadas,
minha boca as anunciou,
e eu as fiz conhecidas;
então repentinamente agi,
e elas aconteceram.
4Pois eu sabia quão obstinado você era;
os tendões de seu pescoço eram ferro,
a sua testa era bronze.
5Por isso há muito contei a você
essas coisas;
antes que acontecessem
eu as anunciei a você
para que você não pudesse dizer:
'Meus ídolos as fizeram;
minha imagem de madeira
e meu deus de metal as determinaram'.
6Você tem ouvido essas coisas;
olhe para todas elas.
Você não irá admiti-las?
"De agora em diante eu contarei a você
coisas novas,
coisas ocultas, que você desconhece.
7Elas foram criadas agora,
e não há muito tempo;
você nunca as conheceu antes.
Por isso você não pode dizer:
'Sim, eu as conhecia'.
8Você não tinha conhecimento
nem entendimento;
desde a antiguidade o seu ouvido
tem se fechado.
Sei quão traiçoeiro você é;
desde o nascimento
você foi chamado rebelde.
9Por amor do meu próprio nome
eu adio a minha ira;
por amor de meu louvor
eu a contive,
para que você não fosse eliminado.
10Veja, eu refinei você,
embora não como prata;
eu o provei na fornalha da aflição.
11Por amor de mim mesmo,
por amor de mim mesmo, eu faço isso.
Como posso permitir que
eu mesmo seja difamado?
Não darei minha glória a nenhum outro.

Israel é liberto

12"Escute-me, ó Jacó,
Israel,
a quem chamei:
Eu sou sempre o mesmo;
eu sou o primeiro
e eu sou o último.
13Minha própria mão
lançou os alicerces da terra,
e a minha mão direita estendeu os céus;
quando eu os convoco,
todos juntos se põem em pé.
14"Reúnam-se, todos vocês, e escutem:
Qual dos ídolos predisse essas coisas?
O amado do Senhor
cumprirá seu propósito
contra a Babilônia;
seu braço será contra os babilônios.
15Eu, eu mesmo, falei;
sim, eu o chamei.
Eu o trarei, e ele será bem-sucedido
em sua missão.
16"Aproximem-se de mim e escutem isto:
"Desde o primeiro anúncio
não falei secretamente;
na hora em que acontecer, estarei ali."
E agora o Soberano, o Senhor, me enviou,
com seu Espírito.
17Assim diz o Senhor, o seu redentor,
o Santo de Israel:
"Eu sou o Senhor,o seu Deus,
que ensina o que é melhor para você,
que o dirige no caminho
em que você deve ir.
18Se tão somente você tivesse
prestado atenção às minhas ordens,
sua paz seria como um rio,
sua retidão, como as ondas do mar.
19Seus descendentes
seriam como a areia,
seus filhos, como seus inúmeros grãos;
o nome deles jamais seria eliminado
nem destruído de diante de mim".
20Deixem a Babilônia,
fujam do meio dos babilônios!
Anunciem isso com gritos de alegria
e proclamem-no.
Enviem-no aos confins da terra; digam:
O Senhor resgatou seu servo Jacó.
21Não tiveram sede
quando ele os conduziu
através dos desertos;
ele fez água fluir da rocha para eles;
fendeu a rocha, e a água jorrou.
22"Não há paz alguma para os ímpios",
diz o Senhor.
Temas relacionados com o Isaías 48:







Nenhum comentário:

Postar um comentário