quinta-feira, 6 de julho de 2017

07 DE JULHO - LEITURA BÍBLICA ANUAL - 2° Crônicas 10 A 12.

2 Crônicas 10

Israel rebela-se contra Reboão

1Roboão foi a Siquém, onde todos os israelitas tinham se reunido para proclamá-lo rei.
2Jeroboão, filho de Nebate, tinha fugido do rei Salomão e estava no Egito. Assim que soube da reunião em Siquém, voltou do Egito.
3E man­daram chamá-lo. Então ele e todo o Israel foram ao encontro de Roboão e disseram:
4"Teu pai colocou sobre nós um jugo pesado, mas agora diminui o trabalho árduo e este jugo pesado, e nós te serviremos".
5Roboão respondeu: "Voltem a mim daqui a três dias". E o povo foi embora.
6O rei Roboão perguntou às autoridades que haviam servido ao seu pai Salomão durante a vida dele: "Como vocês me aconselham a responder a este povo?"
7Eles responderam: "Se hoje fores bom para esse povo, se o agradares e lhe deres resposta favorável, eles sempre serão teus servos".
8Roboão, contudo, rejeitou o conselho que as autoridades de Israel lhe deram e consultou os jovens que haviam crescido com ele e o estavam servindo.
9Perguntou-lhes: "Qual é o conselho de vocês? Como devemos responder a este povo que me diz: 'Diminui o jugo que teu pai ­colocou sobre nós'?"
10Os jovens que haviam crescido com ele responderam: "A este povo que te disse: 'Teu pai colocou sobre nós um jugo pesado; torna-o mais leve' - dize: 'Meu dedo mínimo é mais grosso do que a cintura do meu pai.
11Pois bem, meu pai impôs a vocês um jugo pesado; eu o tornarei ainda mais pesado. Meu pai os castigou com simples chicotes; eu os castigarei com chicotes pontiagudose' ".
12Três dias depois, Jeroboão e todo o povo voltaram a Roboão, segundo a orientação dada pelo rei: "Voltem a mim daqui a três dias". ­
13Mas o rei lhes respondeu asperamente. Rejeitando o con­selho das autoridades de Israel,
14se­guiu o conselho dos jovens e disse: "Meu pai tornou pesado o jugo para vocês; eu o tornarei ainda mais pesado. Meu pai os castigou com simples chicotes; eu os castigarei com chicotes pontiagudos".
15E o rei não atendeu o povo, pois esta mudança nos acontecimentos vinha da parte de Deus, para que se cum­prisse a palavra que o Senhor havia falado a Jeroboão, filho de Nebate, por meio do silonita Aías.
16Quando todo o Israel viu que o rei se recusava a ouvi-lo, respondeu ao rei:
"Que temos em comum com Davi?
Que temos em comum
com o filho de Jessé?
Para as suas tendas, ó Israel!
Cuide da sua própria casa, ó Davi!"
E assim os israelitas foram para as suas casas.
17Quanto, porém, aos israelitas que moravam nas cidades de Judá, Roboão continuou como rei deles.
18O rei Roboão enviou Adonirão, chefe do trabalho forçado, mas todo o Israel o apedrejou até a morte. O rei, contudo, conseguiu subir em sua carruagem e fugir para Jerusalém.
19Desta forma Israel se rebelou contra a dinastia de Davi, e assim permanece até hoje.

2 Crônicas 11

1Quando Roboão chegou a Jerusalém, convocou cento e oitenta mil homens de combate, das tribos de Judá e de Benjamim, para guerrearem contra Israel e recuperarem o reino para Roboão.
2Entretanto, veio esta palavra do Senhor a Semaías, homem de Deus:
3"Diga a Roboão, filho de Salomão, rei de Judá, e a todos os israelitas de Judá e de Benjamim:
4Assim diz o Senhor: Não saiam à guerra contra os seus irmãos. Voltem para casa, todos vocês, pois fui eu que fiz isso". E eles obedeceram à palavra do Senhor e desistiram de mar­char contra Jeroboão.

Reboão fortifica Judá

5Roboão morou em Jerusalém e re­construiu algumas cidades para a defesa de Judá. Foram elas:
6Belém, Etã, Tecoa,
7Bete-Zur, Socó, Adu­lão,
8Gate, Maressa, Zife,
9Adoraim, Laquis, Azeca,
10Zorá, Aijalom e Hebrom. Essas cidades foram fortificadas em Judá e em Benja­mim.
11Ele fortaleceu as suas defesas e nelas colocou comandantes, com suprimentos de alimentos, azeite e vinho.
12Armazenou escudos gran­des e lanças em todas as cidades, tornando-as muito fortes. Assim, Judá e Benjamim continuaram sob o seu domínio.
13Os sacerdotes e os levitas de todos os distritos de Israel o apoiaram.
14Os levitas chegaram até a abandonar as suas pastagens e os seus bens e foram para Judá e para Jerusalém, porque Jeroboão e seus filhos os haviam rejeitado como sacerdotes do Senhor,
15nomeando seus próprios sacerdotes para os altares idólatras e para os ídolos que haviam feito em forma de bodes e de bezerros.
16De todas as tribos de Israel aqueles que estavam realmente dispostos a buscar o Senhor, o Deus de Israel, seguiram os levitas até Jerusalém para oferecerem sacrifícios ao Senhor, ao Deus dos seus antepassados.
17Eles fortaleceram o reino de Judá e durante três anos apoia­ram Roboão, filho de Salomão, andando nos caminhos de Davi e de Salomão durante esse tempo.

A família de Reboão

18Roboão casou-se com Maalate, filha de Jeremote e neta de Davi. A mãe de Maalate era Abiail, filha de Eliabe e neta de Jessé.
19Ela deu-lhe três filhos: Jeús, Semarias e Zaão.
20De­pois ele casou-se com Maaca, filha de Absalão, a qual lhe deu os filhos Abias, Atai, Ziza e Selomite.
21Roboão amava Maaca, filha de Absalão, mais do que a qualquer outra de suas esposas e concubinas. Ao todo ele teve dezoito esposas e sessenta concubinas, vinte e oito filhos e sessenta filhas.
22Roboão nomeou Abias, filho de Maaca, chefe entre os seus ir­mãos, com o intuito de fazê-lo rei.
23Ele agiu com sabedoria, dispersando seus filhos pelos distritos de Judá e de Benjamim e pelas cidades fortificadas. Garantiu-lhes fartas provisões e lhes conseguiu muitas mulheres.

2 Crônicas 12

O rei do Egipto ataca Jerusalém

1Depois que Roboão se fortaleceu e se firmou como rei, ele e todo o Israel aban­donaram a lei do Senhor.
2Por terem sido infiéis ao Senhor, Sisaque, rei do Egito, atacou Jerusalém no quinto ano do reinado de Roboão.
3Com mil e duzentos carros de guerra, sessenta mil cavaleiros e um exército incontável de líbios, suquitas e etíopes, que vieram do Egito com ele,
4conquistou as cidades fortificadas de Judá e che­gou até Jerusalém.
5Então o profeta Semaías apresentou-se a Roboão e aos líderes de Judá que se haviam reunido em Jerusalém, fugindo de Sisaque, e lhes disse: "Assim diz o Senhor: 'Vocês me abandonaram; por isso eu agora os abandono, entregando-os a Sisaque' ".
6Os líderes de Israel e o rei se humilharam e disseram: "O Senhor é justo".
7Quando o Senhor viu que eles se humilharam, veio a Semaías esta palavra do Senhor: "Visto que eles se humilharam, não os destruirei, mas em breve lhes darei livramento. Minha ira não será derramada sobre Jerusalém por meio de Sisaque.
8Eles, contudo, ficarão sujeitos a ele, para que aprendam a diferença entre servir a mim e servir aos reis de outras terras".
9Quando Sisaque, rei do Egito, atacou Jerusalém, levou todos os tesouros do templo do Senhor e do palácio real, inclusive os escudos de ouro que Salomão havia feito.
10Por isso o rei Roboão mandou fazer escudos de bronze para substituí-los e os entregou aos chefes da guar­da da entrada do palácio real.
11Sem­pre que o rei ia ao templo do Senhor, os guardas ­empunhavam os escudos e, em seguida, os devolviam à sala da guarda.
12Como Roboão se humilhou, a ira do Senhor afastou-se dele, e ele não foi totalmente destruído. Na verdade, em Judá ainda havia algo de bom.
13O rei Roboão firmou-se no poder em Jerusalém e continuou a reinar. Tinha quarenta e um anos de idade quando começou a reinar e reinou dezessete anos em Jerusalém, cidade que o Senhor havia escolhido entre todas as tribos de Israel para nela pôr o seu nome. Sua mãe, uma amonita, chamava-se Naamá.
14Ele agiu mal porque não dispôs o seu coração para buscar o Senhor.
15Os demais acontecimentos do reinado de Roboão, do início ao fim, estão escritos nos relatos do profeta Semaías e do vidente Ido, que tratam de genealogias. Houve guerra cons­tante entre Roboão e Jeroboão.
16Roboão descansou com os seus antepassados e foi sepultado na Cidade de Davi; seu filho Abias foi o seu sucessor.






Nenhum comentário:

Postar um comentário