segunda-feira, 17 de julho de 2017

18 DE JULHO - LEITURA BÍBLICA ANUAL - 2° Crônicas 33 A 34.

2 Crônicas 33

Manassés é rei de Judá

1Manassés tinha doze anos de idade quando começou a reinar e reinou cinquenta e cinco anos em Jerusalém.
2Ele fez o que o Senhor reprova, imitando as práticas detestáveis das nações que o Senhor havia expulsado de dian­te dos israelitas.
3Reconstruiu os altares idólatras que seu pai Ezequias havia demolido, ergueu altares para os baalins e fez postes sagrados. Inclinou-se diante de todos os exércitos celestes e lhes prestou culto.
4Construiu altares no templo do Senhor, do qual o Senhor tinha dito: "Meu nome permanecerá para sempre em Jerusalém".
5Nos dois pátios do templo do Senhor ele construiu altares para todos os exér­citos celestes.
6Chegou a queimar seus filhos em sacrifício no vale de Ben-Hinom; praticou feitiçaria, adivinhação e magia, e recorreu a médiuns e aos que consultavam os espíritos. Fez o que o Senhor reprova, provocando-o à ira.
7Ele tomou a imagem esculpida que havia feito e a colocou no templo, do qual Deus tinha dito a Davi e a seu filho Salomão: "Neste tem­plo e em Jerusalém, que escolhi entre todas as tribos de Israel, porei meu nome para sempre.
8Não farei os pés dos israelitas deixarem novamente a terra que dei aos seus antepassados se tão somente tiverem o cuidado de fazer tudo o que lhes ordenei em todas as leis, decretos e ordenanças dados por meio de Moisés".
9Manassés, porém, desencaminhou Judá e o povo de Jerusalém, ao ponto de fazerem pior do que as nações que o Senhor havia destruído diante dos israelitas.
10O Senhor falou a Manassés e a seu povo, mas não lhe deram atenção.
11Por isso o Senhor enviou contra eles os comandantes do exér­cito do rei da Assíria, os quais prenderam Manassés, colocaram-lhe um gancho no nariz e algemas de bronze e o levaram para a Babilônia.
12Em sua angústia, ele buscou o favor do Senhor, o seu Deus, e humilhou-se muito dian­te do Deus dos seus antepassados.
13Quan­do ­ele orou, o Senhor o ouviu e atendeu o seu pedido e o trouxe de volta a Jerusalém e a seu reino. E assim Manassés reconheceu que o Senhor é Deus.
14Depois disso ele reconstruiu e au­mentou a altura do muro externo da Cidade de Davi, a oeste da fonte de Giom, no vale, até a entrada da porta do Peixe, em torno da colina de Ofel. Também pôs coman­dantes militares em todas as cidades fortificadas de Judá.
15Manassés tirou do templo do Senhor os deuses estrangeiros e a imagem que havia colocado lá, bem como todos os altares idólatras que havia construído na colina do templo e em Jerusalém e jogou-os fora da cidade.
16Depois restaurou o altar do Senhor e sobre ele ofereceu sacrifícios de comunhão e ofertas de gra­tidão, ordenando a Judá que servisse o Senhor, o Deus de Israel.
17O povo, contudo, con­tinuou a sacrificar nos altares idólatras, mas somente ao Senhor, o seu Deus.
18Os demais acontecimentos do reinado de Manassés, inclusive sua oração a seu Deus e as palavras que os videntes lhe falaram em nome do Senhor, o Deus de Israel, estão escritos nos registros históricos dos reis de Israel.
19Sua oração e a resposta de Deus, bem como todos os seus pecados e a sua infidelidade, além dos locais onde construiu altares idólatras e ergueu postes sagrados e ídolos, antes de humilhar-se, tudo está escrito nos registros históricos dos videntes.
20Ma­nassés descansou com os seus antepassados e foi sepultado em sua propriedade. E seu filho Amom foi o seu sucessor.
21Amom tinha vinte e dois anos de idade quando começou a reinar e reinou dois anos em Jerusalém.
22Ele fez o que o Senhor reprova; à seme­lhança de seu pai, Amom prestou culto e ofereceu sacrifícios a todos os ídolos que Manassés havia feito.
23Mas, ao contrário de seu pai Manassés, não se humilhou diante do Senhor, antes, aumentou a sua culpa.

Amom é rei de Judá

24Os oficiais de Amom conspiraram contra ele e o assassinaram em seu palácio.
25Mas o povo matou todos os que haviam cons­pirado contra o rei Amom, e proclamou seu filho Josias rei em seu lugar.

2 Crônicas 34

As reformas de Josias

1Josias tinha oito anos de idade quan­do começou a reinar e reinou trinta e um anos em Jerusalém.
2Ele fez o que o Senhor apro­va e andou nos caminhos de Davi, seu predecessor, sem desviar-se nem para a direita nem para a esquerda.
3No oitavo ano do seu reinado, sendo ainda bem jovem, ele começou a buscar o Deus de Davi, seu predecessor. No décimo segundo ano, começou a purificar Judá e Jerusalém dos altares idólatras, dos postes sagrados, das imagens esculpidas e dos ídolos de metal.
4Sob as suas ordens foram derrubados os altares dos baalins; além disso, ele despedaçou os altares de incenso que ficavam acima deles. Também des­pedaçou e reduziu a pó os pos­tes ­sagrados, as ima­gens esculpidas e os ídolos de metal, e os espalhou sobre os túmulos daqueles que lhes haviam oferecido sacrifícios.
5Depois que­imou os ossos dos sacerdotes sobre esses altares, purificando assim Judá e Jerusalém.
6Nas cidades das tribos de Manassés, de Efra­im e de Si­meão, e até mesmo de Naftali, e nas ruínas ao redor delas,
7derrubou os altares e os postes sagrados, esmagou os ídolos, reduzindo-os a pó, e despe­daçou todos os altares de incenso espalhados por Israel. Então voltou para Jerusalém.
8No décimo oitavo ano do seu reinado, a fim de purificar o país e o templo, ele enviou Safã, filho de Azalias, e Maaseias, governador da cidade, junto com Joá, filho do arquivista real Joacaz, para restaurarem o templo do Senhor, o seu Deus.
9Eles foram entregar ao sumo sacerdote Hilquias a prata que havia sido trazida ao templo de Deus e que os porteiros levitas haviam recolhido das ofertas do povo de Manassés e de Efra­im, e de todo o remanescente de Israel, e também de todo o povo de Judá e de Ben­jamim e dos habitantes de Jerusalém.
10Confiaram a prata aos homens nomeados para supervisionarem a reforma no templo do Senhor, os quais pagavam os trabalhadores que faziam os reparos no templo.
11Tam­bém deram dessa prata aos carpinteiros e aos cons­trutores para comprarem pedras lavradas e madeira para as juntas e as vigas dos edifícios que os reis de Judá haviam deixado ficar em ruínas.
12Esses homens fizeram o trabalho com fidelidade. Eram dirigidos por Jaate e Obadias, levitas descendentes de Merari, e por Zacarias e Mesulão, descendentes de Coate. Todos os levitas que sabiam tocar instrumentos musicais
13es­tavam encarregados dos operários e supervisionavam todos os trabalhadores em todas as funções. Outros levitas eram secretários, oficiais e porteiros.

É encontrado o rolo da lei

14Enquanto recolhiam a prata que tinha sido trazida para o templo do Senhor, o sacerdote Hilquias encontrou o Livro da Lei do Senhor que havia sido dada por meio de Moisés.
15Hilquias disse ao secretário Safã: "Encontrei o Livro da Lei no templo do ­Senhor". E o entregou a Safã.
16Então Safã levou o Livro ao rei e lhe informou: "Teus servos estão fazendo tudo o que lhes foi ordenado.
17Fundiram a prata que estava no templo do Senhor e a con­fiaram aos supervisores e aos trabalhadores".
18E acres­centou: "O sacerdote Hilquias entregou-me um li­vro". E Safã leu trechos do Livro para o rei.
19Assim que o rei ouviu as palavras da Lei, rasgou suas vestes
20e deu estas ordens a Hilquias, a Aicam, filho de Safã, a Abdom, filho de Mica, ao secretário Safã e ao auxiliar real Asaías:
21"Vão consultar o Senhor por mim e pelo remanescente de Israel e de Judá acerca do que está escrito neste livro que foi encontrado. ­A ira do Senhor contra nós deve ser grande, pois os nos­sos antepassados não obedeceram à palavra do Senhor e não agiram de acordo com tudo o que está escrito neste livro".
22Hilquias e aqueles que o rei tinha enviado com ele foram falar com a profetisa Hul­da, mulher de Salum, filho de Tocate e neto de Harás, e responsável pelo guarda-roupa do templo. Ela morava no bairro novo de Jerusalém.
23Hulda lhes disse: "Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: 'Digam ao homem que os enviou a mim:
24Assim diz o Senhor: Eu vou trazer uma desgraça sobre este lugar e sobre os seus habitantes; todas as maldições escritas no livro que foi lido na pre­sença do rei de Judá.
25Porque me aban­donaram e queimaram incenso a outros deuses, provocando a minha ira por meio de todos os ídolos que as mãos deles têm feito, minha ira arderá contra este lugar e não será apagada'.
26Di­gam ao rei de Judá, que os enviou para consultar o Senhor: Assim diz o Senhor, o Deus de Israel, acer­ca das palavras que você ouviu:
27'Já que o seu coração se abriu e você se humilhou diante de Deus quan­do ouviu o que ele falou contra este lugar e contra os seus habitantes e você se humilhou diante de mim, rasgou as suas vestes e chorou na minha presença, eu o ouvi', declara o Senhor.
28'Portanto, eu o reunirei aos seus antepassados, e você será sepultado em paz. Seus olhos não verão a desgraça que trarei sobre este lugar e sobre os seus habitantes' ".
Então eles levaram a resposta a Josias.
29Em face disso, o rei convocou todas as autoridades de Judá e de Jerusalém.
30Depois subiu ao templo do Senhor acompanhado por todos os homens de Judá, todo o povo de Jerusalém, os sacerdotes e os levitas: todo o povo, dos mais simples aos mais importantes. Para todos o rei leu em alta voz todas as palavras do Livro da Aliança, que havia sido encontrado no templo do Senhor.
31Ele tomou o seu lugar e, na presença do Senhor, fez uma aliança, comprometendo-se a seguir o Senhor e obedecer ­de todo o coração e de toda a alma aos seus mandamentos, aos seus testemunhos e aos seus decretos, cumprindo as palavras da aliança escritas naquele livro.
32Depois fez com que todos em Jerusalém e em Benjamim se comprometessem com a ali­ança; os habitantes de Jerusalém passaram a cumprir ­a aliança de Deus, o Deus dos seus antepassados.
33Josias retirou todos os ídolos detestáveis de todo o território dos israelitas e obri­gou todos os que estavam em Israel a servirem ao Senhor, o seu Deus. E enquanto ele viveu, o povo não deixou de seguir o Senhor, o Deus dos seus antepassados.
Temas relacionados com o 2 Crônicas 34:

Nenhum comentário:

Postar um comentário