sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

QUEM CUIDA DA AGENDA DE DEUS?


“E numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos.” (Mateus 24:11 – NVI)

“Grande noite de avivamento, milagres e libertação”, era o convite para um evento religioso estampado num cartaz, que contaria com a participação de 7 bispos e 70 pastores. Outro anunciava uma corrente promovida por um grupo neo pentecostal: “Deus fará o seu milagre.” Ambos com data, horário e endereço em que seriam realizados, como se alguns ‘profissionais da fé’ tivessem o poder de controlar a agenda de Deus, fazendo dele um mero serviçal. Anúncios como estes vemos quase que diariamente, por todos os cantos. Uma busca no Google confirma isso. 


Certa ocasião, uma igreja próxima ao bairro onde moro anunciava uma grande campanha de cura e libertação com promessas de emagrecimento instantâneo, cura de vícios, cura de enfermidades etc. Foram três dias de programação, mas eu não soube de ninguém que tenha emagrecido, deixado de fumar, voltado a andar ou enxergar, vencido um câncer ou outra enfermidade em virtude de ter participado das reuniões. Mas, é verdade que quando o milagre não acontece, há sempre uma explicação óbvia: a falta de fé da pessoa. Assim os ‘curandeiros’ ficam isentos de responsabilidade. Quem mandou não ter fé?! “Se não acredita, o milagre não acontece”, como se a fé em si mesma pudesse desencadear qualquer virtude independente da vontade e ação divina, transferindo para a pessoa humana o crédito do resultado. Há quem creia no “poder da fé”, eu prefiro crer no poder de Deus; há quem tenha “fé na fé”, mas o cristão tem fé em Deus.

Se você receber algum convite para uma noite de milagres, cura, libertação, avivamento etc., lembre-se de uma coisa: da agenda de Deus cuida Ele mesmo! Ninguém está autorizado a determinar dia, hora e local para Ele agir. Não se iluda com esses oportunistas de plantão, o que eles querem é a sua “semente” (oferta), e não o seu bem. Além do mais, se você tem alguma necessidade, há quem de fato te ajude, e um lugar onde possa buscar socorro: “Pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado. 

Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade” (Hebreus 4:15,16 – NVI).

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

LEITURAS BÍBLICAS DIÁRIAS.

NOSSAS LEITURAS BÍBLICAS DIÁRIAS, A PARTIR DE HOJE, ESTÃO NO GRUPO ABAIXO:
https://www.facebook.com/Entendendoabiblia/?hc_ref=PAGES_TIMELINE&fref=nf

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

TRÊS ATOS ESSENCIAIS PARA O CRISTÃO: ARREPENDIMENTO, BATISMO E RECEBIMENTO DO DOM DO ESPÍRITO.


Resultado de imagem para FIGURA DO BATISMO


"Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo. Atos 2.38."
- São três atos:
1. Arrependimento: a pessoa é tocada pelo Espírito que está irremediavelmente perdida necessitando crer em Cristo Jesus.
2. Batismo nas águas. É para os salvos, para quem já se arrependeu e creu em Cristo Jesus como o seu Senhor vem a ordenança do batismo que é a pública profissão de fé que morremos para o mundo sendo sepultados (imergidos) e renascemos espiritualmente para Deus na emersão das águas do batismo. Não confio na salvação das pessoas que se dizem salvas, mas recusam o batismo nas águas.
3. Recebimento do dom do Espírito (batismo no Espírito) para os que creram e foram batizados nas águas.
- No livro de Atos vemos constantemente esses três atos acontecendo num mesmo dia. Mas hoje com as preparaçõese aulas para o batismo nas águas, tal normalmente não acontece mais. O batismo virou mais um dos programas das igrejas atuais. Isso acontece não porque o Espírito Santo tenha mudado, mas porquê o sistema mudou. Creio que o batismo nas águas e a imposição de mãos para o recebimento do dom do Espírito deveriam acontecer no mesmo dia como nos dias de Atos.
Ivo Gomes do Prado.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Igrejas “falham” por que estão sempre fechadas, indica estudo

Igrejas “falham” por que estão sempre fechadas, indica estudo

A subutilização de templos é uma constante na maior parte dos países


Igrejas "falham" por que estão sempre fechadas
As igrejas estão falhando em testemunhar eficazmente de Cristo porque estão fechadas na maior parte do tempo, indica um estudo realizado na Inglaterra. O Centro de Teologia de Comunidade do Reino Unido fez um levantamento de como as comunidades vizinhas aos templos veem com indiferença a maioria dos prédios usados estritamente para atividades religiosas.
O desafio é convencer as denominações a abandonar velhos hábitos e utilizar os espaços das igrejas como centros comunitários que ofereçam algo “atrativo”. Ao mesmo tempo que veem pessoas se aproximar do espaço físico, gerariam “pontes” que facilitam a transmissão da mensagem.
relatório Assets not Burdens: using churh property to accelerate mission [Patrimônio, não um peso: Usando a propriedade da igreja para acelerar a missão], propõe uma mudança radical na forma como as igrejas utilizam seu espaço durante a semana. “Existe um enorme potencial para cada denominação fazer melhor uso de seus edifícios, que lhes traria benefícios do ponto de vista missionário e financeiro”, afirma o documento.
As pesquisas feitas em Londres mostraram que os salões das igrejas ficam vazios em 57% do tempo, e os espaços de adoração permanecem sem serem usados 69% das horas da semana, já os escritórios não são utilizados 75% do tempo. Eles acreditam que a realidade não é muito diferente na maior parte das igrejas da Europa.
Entre as sugestões de utilização estão o aluguel do espaço para eventos, o oferecimento de algum serviço com alta demanda na comunidade (por ex: creche ou contraturno escolar), ou mesmo o estacionamento da igreja aberto também durante a semana para carros particulares. Isso pode ser feito, inclusive, cobrando-se pelo serviço como uma forma de abater custos.
Em contrapartida, na realidade europeia muitas mesquitas conseguem atrair pessoas – sobretudo os mais jovens – oferecendo atividades esportivas e educacionais nos seus espaços de uso comum.
Embora igrejas maiores na maioria das vezes possui pessoas utilizando as propriedades que pertencem à igreja, congregações menores tem muita dificuldade de usar seus espaços de forma eficaz.
Comentando o relatório, o bispo de Worcester, John Inge, afirmou que: “Os templos nunca deveriam ser mausoléus silenciosos, mas vibrantes centros de serviço dentro de sua comunidade local. A análise, a base teológica e o apelo à ação do relatório enquadram-se perfeitamente com a visão de ver os cristãos usando estes lugares para adorar a Deus, mas também demonstrando amor ao próximo”. Com informações Christian Today
https://noticias.gospelprime.com.br/igrejas-falham-sempre-fechadas-estudo/

Trump promete “grande acordo de paz” em Israel

Trump promete “grande acordo de paz” em Israel

Sem dar detalhes, presidente americano disse que proposta será algo nunca visto


Trump promete "grande acordo de paz" em Israel
O presidente dos EUA, Donald Trump encontrou-se com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu na tarde desta quarta-feira (15). Naquilo que prometia ser uma reunião histórica, eles trocaram elogios e falaram sobre sua antiga amizade.
Apesar de dar várias respostas evasivas a perguntas diretas durante a coletiva de imprensa, merecem destaque algumas das declarações, que dizem respeito a uma nova política externa no Oriente Médio.
Trump frisou que está trabalhando muito para firmar um “grande acordo de paz” entre Israel e os palestinos. Embora assegure que ambos os lados teriam de abrir mão de algumas posturas, deixou claro que a “era Obama” de inimizade entre os dois países definitivamente acabou.

  Professor Cria Curso Online p/ Bacharel Livre em Teologia com VÍDEO AULAS

O principal aspecto da entrevista foi deixar claro que Israel e os palestinos devem negociar diretamente o acordo de paz, sem esperar uma intervenção externa. Tal declaração explicita o afastamento do governo norte-americano das medidas determinadas pelas Nações Unidas, que conflitam frontalmente com a autonomia israelense.
Um dos únicos senões, foi quando Trump pediu a Netanyahu para “segurar um pouco os assentamentos”. Questionado sobre a mudança da embaixada para Jerusalém, ao contrário do que se esperava, não anunciou a medida nem marcou datas. O bilionário preferiu contemporizar e disse: “Eu adoraria ver isso acontecer. Estamos olhando para isso com grande cuidado, acreditem, e vamos ver o que acontecerá”.
Deixou escapar que eles estão trabalhando em uma proposta que será diferente do que tem sido feito até aqui, “algo nunca visto” e que poderá surpreender o mundo.
O principal tópico da conversa foi sobre a chamada “solução de dois Estados”, que incluiria um reconhecimento da Palestina independente e a divisão de Jerusalém. A opção de Donald Trump foi uma declaração enigmática: “Estou pensando tanto em dois Estados como em um estado. Eu gosto do que os lados gostam. Ficarei muito feliz com o que ambas as partes decidirem”.
Netanyahu enfatizou que, do lado israelense, existem algumas condições para a paz: que os palestinos reconheçam o direito de Israel existir e que as questões de segurança dentro do território da Autoridade Palestina estejam nas mãos do governo de Israel.
Fez um apelo para que eles parem de ensinar o ódio para a população. Lamentou que os radicais islâmicos palestinos incutam nas crianças o antissemitismo e o discurso de ódio. Enfatizou também que o Irã deixa claro nos seus mísseis que pretende atacar Israel. 
O premiê disse ainda temer que se não forem tomados os cuidados devidos, poderá surgir dentro do território palestino “um novo Estado Islâmico”. Devolveu a palavra para Trump, pedindo que ele “aproveite este momento” para ajudar a procurar novos caminhos de paz no Médio Oriente. Finalizou dizendo que Israel não tem um amigo melhor no mundo que Donald Trump.
O presidente americano rebateu as acusações de antissemitismo, lembrando que tem em sua própria família, um genro e dois netos que são judeus ortodoxos. Com informações das agências.
https://noticias.gospelprime.com.br/trump-promete-grande-acordo-paz-israel/

A Babilônia na Profecia Bíblica






A Babilônia na Profecia Bíblica

Thomas Ice
“Ai! Ai! Tu, grande cidade, Babilônia, tu, poderosa cidade! Pois, em uma só hora, chegou o teu juízo” (Ap 18.10).
Será que a Bíblia tem algo a dizer sobre o papel a ser desempenhado pela Babilônia no futuro? A Babilônia mencionada na Bíblia tem alguma relação com o Iraque de nossos dias?
Essas questões podem ser solucionadas respondendo à seguinte pergunta: todas as referências bíblicas à Babilônia devem ser interpretadas literalmente ou não? Eu creio que sim. O Dr. Charles Dyer declara:
A Bíblia menciona o termo Babilônia mais de duzentas e oitenta vezes, e muitas dessas referências dizem respeito à futura cidade de Babilônia que será edificada na areia fina do atual deserto.[1]
Na verdade, depois de Jerusalém, Babilônia é a cidade mais citada em toda a Bíblia. Mas qual será o seu destino profético? Para entendermos esse assunto de maneira adequada, precisamos iniciar a nossa viagem explorando o passado da Babilônia, já que os fatos relacionados ao seu nascimento prestam auxílio no esclarecimento de seu papel futuro.

O Passado de Babilônia

A antiga cidade de Babilônia começou imediatamente após o Dilúvio e simboliza a expressão da rebelião direta do homem contra Deus e contra a Sua ordem: “Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra” (Gn 9.1b). Portanto, o reinado humano começou na Babilônia com uma rebelião clara e evidente contra Deus. O Senhor interveio e espalhou a humanidade rebelde confundindo seus idiomas. O nome “Babel” foi dado à cidade de Ninrode, por causa da sentença de Deus sobre seus habitantes (Gn 11.1-9). O Dr. Dyer explica:
Babel foi a primeira tentativa de unificação da humanidade para causar um curto-circuito no propósito de Deus. Essa primeira cidade pós-diluviana foi projetada expressamente para frustrar o plano de Deus relativo à humanidade. As pessoas buscavam unidade e poder, e Babel deveria ser a sede governamental desse poder. Babilônia, a cidade feita por homens, que tenta se elevar até o céu, foi construída em direta oposição ao plano de Deus.[2]

Babel foi a primeira tentativa de unificação da humanidade para causar um curto-circuito no propósito de Deus.
A Babilônia estava novamente em primeiro plano no sexto século antes de Cristo[3] quando Deus enviou o Reino do Sul de Israel (Judá) para os setenta anos de cativeiro. Foi nessa época que Daniel recebeu de Deus muitas de suas visões proféticas. Nessas revelações, a Babilônia foi o primeiro dos quatro grandes impérios que se levantaram durante os “tempos dos gentios” (Dn 2 e 7). A história revela que a Babilônia sofreu um declínio até o segundo século depois de Cristo, quando ficou deserta. Essa cidade soterrada sob as areias do tempo durante os últimos mil e setecentos anos recomeçou sua ascensão no século passado. Espere mais um pouco e você verá a Babilônia tornando-se uma força religiosa, comercial e politicamente dominante no mundo, pois os capítulos 17 e 18 de Apocalipse predizem sua destruição, mas, para ser a cidade que essas profecias projetam, Babilônia precisa ser reconstruída em grande escala, voltando a ser como nos dias de Nabucodonosor.

O Futuro de Babilônia

Como a Babilônia desempenhou um importante papel no passado, também já está agendado por Deus – segundo foi revelado na profecia – que ela desempenhará um papel central no futuro. Ela se tornará, provavelmente, a capital do Anticristo durante os futuros sete anos de tribulação, conforme retratado na série de ficção Deixados para Trás de Tim LaHaye e Jerry Jenkins.
A Babilônia foi a cidade mais importante do mundo por quase 2000 anos, e a Bíblia nos diz que será reerguida e colocada no palco mundial do fim dos tempos para representar um papel de destaque (Ap 14.8; Ap 16.19; Ap 17 e Ap 18). A profecia referente ao final dos tempos exige que a Babilônia seja reconstruída e se torne uma cidade importante aos interesses mundiais durante a Tribulação. O texto de Isaías 13.19 diz: “Babilônia, a jóia dos reinos, glória e orgulho dos caldeus, será como Sodoma e Gomorra, quando Deus as transtornou”. O contexto de Isaías 13 é “o Dia do Senhor”, expressão mais utilizada no Antigo Testamento para o termo largamente conhecido como “Tribulação”. Além disso, no passado a Babilônia foi conquistada por outros povos mas nunca foi destruída num cataclismo (ou seja, “como Sodoma e Gomorra, quando Deus as transtornou”). Atualmente a [região de] Babilônia tem aproximadamente 250.000 habitantes. O texto de Apocalipse 18.16,19 fala de uma súbita destruição pela mão de Deus: “Ai! Ai! da grande cidade,... porque, em uma só hora, foi devastada!” O Dr. Arnold Fruchtenbaum declara:
As profecias referentes à cidade de Babilônia nunca se cumpriram no passado, o que qualquer enciclopédia pode testificar. Para que as profecias bíblicas se cumpram, é necessário que a cidade de Babilônia seja reconstruída na mesma área de outrora. A antiga Babilônia é o atual Iraque.[4]

Para que as profecias bíblicas se cumpram, é necessário que a cidade de Babilônia seja reconstruída na mesma área de outrora. A antiga Babilônia é o atual Iraque.
A Babilônia tem um importante papel na história futura, mas será totalmente destruída num determinado momento ainda por vir.
Em Apocalipse 17-18 Babilônia é citada como sendo a fonte da religião, do governo, e da economia ímpios. Todos os aspectos injustos da sociedade do fim dos tempos são, finalmente, derivados de uma fonte babilônica. O verdadeiro caráter de Babilônia é revelado a João em Apocalipse 17.5 como um mistério assim descrito:
“BABILÔNIA, A GRANDE, A MÃE DAS MERETRIZES E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA”.
Como a mãe de todas as religiões falsas, Babilônia é a fonte onde nasce o falso cristianismo de nossos dias e, certamente, durante a Tribulação. Todas as correntes do cristianismo apóstata – catolicismo romano, as igrejas ortodoxas do Oriente e o protestantismo liberal – vão convergir na Babilônia eclesiástica (Ap 17) durante a Tribulação. O Dr. Dyer nos informa:
...em Apocalipse 17 João descreve a visão em duas partes. A primeira parte fala de uma mulher identificada como Babilônia. Simboliza uma cidade de extrema riqueza que controla – “povos, multidões, nações e línguas” (Ap 17.15). Ela é literalmente a cidade de Babilônia reconstruída.[5]
Esses povos, multidões, nações e línguas vão continuar sua tarefa de enganar, mas sofrerão o juízo de Deus durante e no final da Tribulação. Encontramos o mesmo parecer sobre Babilônia e a descrição de um destino semelhante em Apocalipse 18 referindo-se à Babilônia comercial.
Vitaminas

Uma Babilônia Literal

Ao longo da história da Igreja, grande parte dos intérpretes da Bíblia pensava que essa Babilônia fosse um tipo de palavra-código referente a alguma entidade como o Império Romano, o catolicismo romano, o cristianismo apóstata ou mesmo os Estados Unidos ou a Inglaterra. Entretanto, creio que, assim como o termo “Israel” na Bíblia sempre se refere a Israel, o termo “Babilônia” sempre se refere à Babilônia.
Em primeiro lugar, creio que o livro de Apocalipse é uma grande estação central para onde convergem todas as profecias bíblicas referentes ao futuro. O Dr. Fruchtenbaum explica esse fato da seguinte maneira:
As profecias do Antigo Testamento estão espalhadas pelos livros de Moisés, de vários profetas e pelos livros históricos. Seria impossível desenvolver qualquer seqüência cronológica dos eventos mencionados nessas profecias. O valor do livro de Apocalipse não está no fato de oferecer novas informações, mas em ordenar as profecias do Antigo Testamento em seqüência cronológica, possibilitando determinar a ordem dos eventos.[6]
Quando se estuda o que Deus declara acerca da Babilônia no livro de Apocalipse, obviamente vemos que essas profecias não se cumpriram em acontecimentos passados e, portanto, terão seu cumprimento em eventos futuros. Os capítulos 17 e 18 de Apocalipse, que falam sobre a Babilônia, fazem muitas alusões a ela citando profecias do Antigo Testamento como Isaías 13 e 14, Jeremias 50 e 51 e Zacarias 5.5-11.[7] A única interpretação plausível para um literalista é que as referências são à “Babilônia às margens do Eufrates”.[8] O Dr. Robert Thomas prossegue, dizendo:
...no dia vindouro, predito nas páginas dessa profecia, essa cidade se tornará o foco central de todo o sistema religioso que se opõe decididamente à verdade da fé cristã. O sistema religioso prosperará durante algum tempo, exercendo influência sobre as instituições comerciais e políticas de sua época, até que a Besta e os dez reis determinem que esse sistema já não tem qualquer utilidade para seus propósitos. Eles, então, o desmantelarão.[9]
A Babilônia de Apocalipse é literal e, por conseguinte, as profecias a seu respeito hão de se cumprir literalmente no futuro, talvez em um futuro próximo.

Uma “Exegese de Jornal”?

Os preteristas, como Gary DeMar, por exemplo, zombam da perspectiva de voltar a existir uma Babilônia reconstruída no futuro e desempenhando um papel na profecia do fim dos tempos. “Será que deveríamos esperar uma reconstituição de Babilônia no futuro, tendo por base os eventos descritos no livro de Apocalipse?”, pergunta DeMar. “A Babilônia de Apocalipse é a mesma Babilônia do Antigo Testamento?... De jeito nenhum”.[10] DeMar acredita que aqueles que vêem uma correlação entre os eventos atuais e a preparação feita por Deus para o futuro período de Tribulação estão desenvolvendo uma “exegese de jornal”. Diz ele que estamos “lendo a Bíblia pela lente dos acontecimentos atuais”.[11] Porém, eu argumento que ocorre exatamente o contrário.
Os intérpretes literalistas da Bíblia há muito tempo têm ensinado que Israel deve retornar à sua terra antes da Tribulação, fundamentados na sua compreensão do cronograma profético. Isso aconteceu com o estabelecimento do Estado de Israel em 1948. Os judeus estão de volta à sua terra e posicionados para cumprir o seu destino quando a Tribulação começar. No passado, antes de 1948, os intérpretes literalistas não se baseavam naquilo que os jornais diziam para crer no que a Bíblia profetizava. Pelo contrário, eles criam que Israel seria restaurado porque a Bíblia assim o dizia. O que realmente acontece é que Deus está cumprindo Suas profecias perante um mundo observador e os jornais apenas relatam os fatos. Se a convicção de que Deus cumpre o que diz tivesse sido uma espécie de “exegese de jornal”, antes de 1948 não teríamos começado a proclamar a nossa certeza de que Israel seria restabelecido. Contrariando essa “exegese de jornal”, os estudiosos da Bíblia já proclamavam o retorno de Israel à sua terra como um evento futuro centenas de anos antes que ocorresse.

A Babilônia de Apocalipse é literal e, por conseguinte, as profecias a seu respeito hão de se cumprir literalmente no futuro, talvez em um futuro próximo.
Por semelhante modo, estudiosos da profecia também têm ensinado, há muitos anos, que haverá um ressurgimento do Império Romano e que a cidade de Babilônia será reconstruída, já que essas entidades desempenharão um papel específico durante o futuro período da Grande Tribulação. Antes que Saddam Hussein subisse ao poder, Charles Dyer concluiu a sua tese de mestrado no Seminário Teológico de Dallas (em maio de 1979) falando da futura reconstrução de Babilônia. Bem antes de seu tempo, um significativo grupo de estudiosos da Bíblia argumentava “em alto e bom som” que a Bíblia prediz uma futura reconstrução da cidade de Babilônia às margens do Rio Eufrates [ou seja, a idéia de uma Babilônia reconstruída não é tão nova].
Em minha biblioteca limitada encontrei uma porção de autores que, baseados em Apocalipse 17 e 18, ensinaram a respeito de uma futura Babilônia. Nesse grupo estão incluídos: B. W. Newton (1853),[12] G. H. Pember (1888),[13] J. A. Seiss (1900),[14] Clarence Larkin (1918),[15] Robert Govett (1920),[16] E. W. Bullinger (1930),[17] William R. Newell (1935),[18] F. C. Jenings (1937),[19] David L. Cooper (1942)[20] e G. H. Lang (1945).[21] Tenho certeza que muitos outros poderiam ser acrescentados a essa lista.

Conclusão

Visto que uma Babilônia literal terá uma função na Tribulação vindoura, é razoável que os conflitos no Iraque, embora não sejam um cumprimento da profecia bíblica, sem dúvida posicionam a Babilônia para a sua iminente tarefa. Será muito interessante observarmos quais serão os desdobramentos disso e que reflexões podemos fazer quanto à sua influência ou não na preparação do palco para a Tribulação. Maranata! (Thomas Ice - Pre-Trib Perspectives - http://www.chamada.com.br)

Notas:

  1. Charles H. Dyer, The Rise of Babylon: Is Iraq at the Center of The Final Drama? Edição Revisada, Chicago: Moody Press, [1991], 2003, p. 16.
  2. Dyer, Rise of Babylon, p. 47.
  3. Para uma visão geral sobre a Babilônia, veja o nosso diagrama “Babylon in History and Prophecy” na obra de Tim Lahaye e Thomas Ice intitulada Glorioso Retorno – O Final dos Tempos (São Paulo, SP: Abba Press, 2004), p. 102. Veja também Joseph Chambers, A Palace for the Antichrist: Saddam Hussein’s Drive to Rebuild Babylon and Its Place in Bible Prophecy (Green Forest, AR, 1996).
  4. Arnold Fruchtenbaum, The Footsteps of the Messiah: A Study of the Sequence of Prophetic Events, (Tustin, Califórnia: Ariel Ministries Press, 1982), p. 192.
  5. Dyer, Rise of Babylon, p. 162.
  6. Fruchtenbaum, Footsteps, p. 9.
  7. Para uma lista de 550 alusões ao Antigo Testamento em Apocalipse, veja Fruchtenbaum, Footsteps, pp. 454-459. Para a defesa de uma Babilônia literal e como as referências vétero-testamentárias em Apocalipse embasam essa perspectiva, veja Charles H. Dyer, “The Identity of Babylon in Revelation 17-18”, em duas partes,Biblioteca Sacra, vol. 144, nº 575 (Julho-Setembro de 1987), pp. 305-316, e nº 576 (Outubro-Dezembro de 1987), pp. 433-449. Veja ainda Charles Harry Dyer, “The Identity of Babylon in Revelation 17-18,” Th.M.Thesis, Dallas Theological Seminary, 1979.
  8. Robert Thomas, Revelation 8-22: An Exegetical Commentary (Chicago: Moody Press, 1995), p. 307.
  9. Thomas, Revelation 8-22. pp. 307-308.
  10. Gary DeMar, Last Days Madness: Obsession of the Mordern Church, (Power Springs, Georgia, EUA, American Vision, 1999), p. 358.
  11. DeMar, Last Days Madness, p. 210.
  12. B. W. Newton, Thoughts on the Apocalypse, and Conversation on Revelation, xvii.
  13. G. H. Pember, Mystery Babylon The Great, pp. v, 22.
  14. J. A. Seiss, The Apocalypse: Lectures on the Book of Revelation, p. 397.
  15. Clarence Larkin, Dispensational Truth, pp. 140-144.
  16. Robert Govett, The Apocalypse Expounded.
  17. E. W. Bullinger, Commentary on Revelation, p. 530.
  18. William R. Newell, Revelation: A Complete Commentary, p. 268.
  19. F. C. Jennings, Studies in Revelation, p. 476.
  20. David L. Cooper, World’s Greatest Library Graphically Illustrated, p. 100.
  21. G. H. Lang, The Revelation of Jesus Christ, p. 305.
http://www.chamada.com.br/mensagens/babilonia_profecia.html

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O ESPÍRITO SANTO NA VIDA DO CRENTE.

O ESPÍRITO SANTO NA VIDA DO CRENTE.
Estudo Bíblico - Pr. João Bovolini


Não anseio com esta pequena abordagem sobre o Espírito Santo, ter a pretensão de afirmar que toda a verdade sobre este assunto se resume ao que estou expondo abaixo, no entanto comparado a alguns estudos que encontramos na internet, que mais se assemelham com "Extintores do Espírito", creio ser este estudo uma boa explanação do que ensina as Escrituras!

O Espírito Santo é Deus, é o "Outro Consolador" (João 14:16 ) que, conforme prometido por Jesus, está operando diretamente na edificação da Igreja em nossos dias.
A operação do Espírito Santo tem se manifestado das seguintes
maneiras:

1. O Espírito que convence o mundo do pecado:

 João 16:8 "E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo".
a) Seu poder de convencer pode levar o homem à Salvação em Cristo;
b) Seu poder de convencer pode levar o homem a pedir perdão a quem lhe tenha ofendido;
c) Seu poder de convencer pode levar o homem a perdoar a quem lhe tenha ofendido;
d) Seu poder de convencer pode levar o homem a adorar a Deus.
 Portanto sem a atuação sobrenatural do Espírito Santo em nos
convencer, morreríamos em nossa teimosia de mortos no pecado.

2. O Espírito que Sela para a Salvação.

 Efésios 1:13 "Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa";
 Ocorrendo o convencimento e a crença atrelada à aceitação de Sua oferta salvífica, o Espírito Santo sela o crente para a Vida Eterna. É a garantia de salvação! "Nos tempos bíblicos, o selo era usado para designar a posse de uma pessoa sobre alguma coisa por ela selada. O selo indica posse, propriedade. Fomos selados com o Espírito Santo quando aceitamos a Cristo como nosso Senhor e Salvador. Hoje, pela fé, somos propriedade de Deus. Quando Cristo voltar para buscar a sua igreja, subiremos com Ele, pois o Senhor virá buscar aqueles que lhe pertencem". Fonte: Bereiano
 Para ser selado não é o suficiente aceitar a Salvação, temos que aceitar o Senhorio de Jesus Cristo!
 Se não desejamos ter a Jesus como nosso Dono, pois somente os selados são de propriedade Dele, Seu Espírito não irá nos selar. Por isso, tome muito cuidado com o tipo de decisão que você tomou ao aceitar a Jesus, ou seja, Ele é mesmo teu Senhor ou Salvador, ou você deseja apenas se livrar do inferno?
 Se você aceitou a Jesus como Senhor, tem que viver a Sua vontade em sua vida! Lucas 6:46 "E por que me chamais, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo?"
3. O Espírito que faz morada.
 1 Coríntios 3:16. "Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?"
 O Espírito Santo, tão logo o homem convencido de seu pecado crê na Palavra, passa a fazer habitação nele.
 A isso denominamos "ter o Espírito Santo". "E, havendo dito isto,
assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo". João 20:22
 Uma pessoa salva e comissionada deve ter o Espírito Santo e em seguida ser cheia e transbordar Dele produzindo assim maravilhas que edificam a si e à igreja.
 Os apóstolos receberam o Espírito Santo em João 20:22 "Recebei o Espírito Santo" e foram Batizados em Atos 2:4 "E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem".
4. O Espírito que nos supre.
 Efésios 5:18 "E não vos embriagueis com vinho, em que há
contenda, mas enchei-vos do Espírito";
 Paulo escreveu isso à igreja de Éfeso e igreja é uma congregação
de salvos, de pessoas que tem o Espírito Santo. Portanto ele ordenou para que pessoas que tem o Espírito Santo se encham Dele!
 Ter o Espírito presente é bom, mas encher-se Dele é excelente!
Temos que ter o Espírito Santo Presente e Presidente!
 Temos que preencher por completo todos os espaços possíveis de nossa vida. E, somente Ele pode fazer isso!
5. O Espírito no qual somos Batizados.
 Lucas 24:49 "E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder".
 O Batismo no Espírito Santo é revestimento de Poder para a
capacitação do crente em realizar maravilhas para a edificação da Igreja. Foi um evento único, mas cujos efeitos abrangem os crentes de todos os lugares e épocas, ou seja, não importa se você estava ou não no Cenáculo, você precisa sim receber o Batismo no Espírito Santo!
 Todo o homem que é convencido pelo Espírito, convertido pelo
Espírito, selado pelo Espírito, que tem o Espírito, que frutifica no Espírito, que se enche do Espírito deve se certificar que o Revestimento de poder esteja em Sua vida através do Batismo no Espírito Santo.
 Creio que não foi por outra razão, que os apóstolos se preocupavam em saber se as pessoas passaram por esta experiência mesmo estando fora do Cenáculo: "Os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo (Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus).
Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo". Atos 8:15-17.
 Se o Batismo no Espírito Santo fosse o selo da promessa, ou o ter oEspírito Santo, ou simplesmente o ser Cheio do Espírito Santo e o Pentecostes tivesse efeitos hereditários, ou seja, transmitidos
automaticamente ao aceitarmos a Jesus, não haveria necessidade de que se orassem para que outros cristãos recebessem o Espírito Santo.
 Portanto é evidente que o Batismo no Espírito Santo é uma bênção distinta do receber o sêlo e a habitação do Espírito.
 Repito: O Batismo no Espírito é Revestimento para capacitação à obra de edifficação! Paulo nos advertiu: "Não extingais o Espírito". 1 Tessalonicenses 5:19; "Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar, e não proibais falar línguas". 1 Coríntios 14:39 ;
 Mas parece que estamos fazendo exatamente o contrário, quer pelo desinteresse em buscar os dons, quer por não acreditar em sua necessidade, quer por acreditar que foram extintos no primeiro século.
6. O Espírito que nos faz produzir fruto para uma vida de santidade.
 Efésios 5:9 "(Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade)";
 Este é um ponto de extrema importância, pois sem o fruto do
Espírito, não se pode afirmar que uma pessoa o tenha dentro de si. "Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança". Gálatas 5:22
 Se você acredita ter sido salvo, selado e tem o Espírito Santo, mas não ama, não sente alegria da salvação, (só se alegra quando alguma coisa na terra dá certo), não vive em paz, não é paciente, não é bondoso, não tem fé, é agressivo e desequilibrado, comece a orar hoje mesmo para que Jesus mude a tua vida! Você está vivendo como um religioso e não como um salvo cheio do Espírito Santo!
Enfim, sejamos vigilantes, pois o adversário tem trabalhado
incansavelmente para tentar nos furtar o nosso bem tão precioso que é a presidência do Espírito Santo em nossas vidas e em nossas igrejas!

Pastor João Bovolini

14/02/17 - LEITURA BÍBLICA ANUAL LEVÍTICO 21 e 22.

14/02/17 - LEITURA BÍBLICA ANUAL LEVÍTICO 21 e 22.

 Levítico 21  King James Atualizada 

- Leis para os sacerdotes


http://leituras-biblicas.blogspot.com.br/2017/02/140217-leitura-biblica-anual-levitico.html

sábado, 11 de fevereiro de 2017

LEITURA DIÁRIA DA BÍBLIA DIA 12/02/17 - LEVÍTICO 16 A 18.

Levítico 16  King James Atualizada

- O dia da expiação, dia anual do sumo sacerdote entrar no Santo dos Santos ou Santíssimo. A preparação e o sacrifício apontavam para Cristo que realizou esse sacrifício de forma eficaz e plena, não havendo mais necessidade de repetições anuais. O bode expiatório aponta para Cristo que levou para longe de nós os nossos pecados e culpas.


1 Depois que os dois filhos de Arão foram mortos quando apresentavam diante de Yahweh, o SENHOR, uma oferta de incenso que não estava de acordo com a lei, Deus falou de novo com Moisés. 2 Ele disse: “Fala a Arão, teu irmão, que não é a qualquer momento que ele pode entrar no Lugar Santíssimo, que fica atrás do véu, diante do propiciatório, a tampa da arca que está sobre a arca. Poderá morrer, pois aparecerei na nuvem, logo acima da tampa. 3 Arão deverá entrar no Lugar Santo com um novilho como oferta pelo pecado e com um carneiro como holocausto. 4 Antes de entrar, Arão tomará um banho e vestirá as roupas sacerdotais sagradas, todas confeccionadas em linho, isto é, os calções, a túnica e o cinto; e na cabeça ele colocará o turbante também feito de linho puro. 5 Receberá da comunidade de Israel dois bodes, como oferta pelo pecado, e um carneiro, como holocausto. 6 Depois de haver oferecido o novilho do sacrifício por seu próprio pecado e de ter realizado o ritual de expiação por si mesmo e por sua casa, 7 Arão tomará os dois bodes e os apresentará diante do SENHOR à entrada da Tenda do Encontro. 8 E lançará sortes, mediante duas pedras, uma com o nome de Yahweh, e a outra com o nome de Azazel. 9 Arão trará o bode cuja sorte caiu ‘para Yahweh’ e o sacrificará como oferta pelo pecado. 10 Entretanto, o bode sobre o qual caiu a sorte ‘para Azazel’, será apresentado vivo ao SENHOR, para se fazer com ele o rito de expiação, a fim de ser condenado a ir para Azazel, no deserto.

 - O sacrifício pelo próprio sumo sacerdote.

11 Arão oferecerá o novilho do sacrifício por seu próprio pecado, e em seguida realizará o ritual de expiação por si mesmo e por sua casa, e imolará o novilho. 12 Encherá então o incensório com brasas ardentes tiradas do altar, de diante de Yahweh, e tomará dois punhados de incenso aromático em pó, e os levará para trás do véu. 13 Colocará o incenso sobre o fogo, diante do SENHOR; uma nuvem de incenso recobrirá o propiciatório que tampa as tábuas da aliança, a fim de que não morra. 14 Depois tomará um pouco do sangue do novilho e com o próprio dedo o aspergirá sobre a parte da frente da tampa; em seguida, também com o dedo, aspergirá o sangue sete vezes, diante da tampa, o propiciatório.


- O sacrifício pelo povo.

15 Imolará então o bode destinado ao sacrifício pelo pecado do povo e levará seu sangue também para detrás da cortina. Fará com esse sangue o mesmo que fez com o sangue do novilho, aspergindo-o sobre o propiciatório e diante deste. 16 Cumprirá assim o rito de expiação pelo Lugar Santíssimo, pelas impurezas dos filhos de Israel, por suas transgressões e por todos os seus pecados. Assim procederá para com a Tenda do Encontro que permanece com eles, no meio de suas impurezas. 17 Ninguém deverá estar na Tenda do Encontro desde o momento em que ele entrar para fazer expiação no santuário até quando sair. Depois que tiver feito expiação por si mesmo, por sua casa e por toda a comunidade de Israel, 18 sairá e irá ao altar que está diante do SENHOR e celebrará no altar o ritual da expiação. Pegará um pouco do sangue do novilho e do sangue do bode e o porá em todas as pontas em forma de chifre moldadas no altar. 19 Com o dedo aspergirá o sangue sete vezes sobre o altar para purificá-lo e santificá-lo das impurezas dos israelitas.

- O bode expiatório.


20 Concluída a expiação do Lugar Santíssimo, da Tenda do Encontro e do altar, fará aproximar-se o bode ainda vivo. 21 Arão porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode e confessará sobre ele todas as iniquidades e rebeliões dos israelitas, todos os seus pecados, e os porá sobre a cabeça do bode. Em seguida enviará o bode para o deserto, aos cuidados de um homem designado para isso. 22 O bode carregará consigo todas as iniquidades do povo para um lugar solitário. E o homem soltará o bode no deserto.

23 Em seguida Arão entrará na Tenda do Encontro, tirará as vestes de linho que vestiu para adentrar o Santo dos Santos e as deixará ali. 24 Ele se banhará com água num lugar sagrado e vestirá suas próprias roupas. Então sairá e sacrificará o holocausto por si mesmo e o holocausto por todo o povo, para fazer propiciação por si mesmo e pelo povo. 25 Também queimará sobre o altar a gordura do sacrifício pelo pecado. 26 E aquele que tiver levado o bode a Azazel deverá lavar suas vestes e banhar o corpo em água, e depois poderá entrar no acampamento. 27 O novilho e o bode oferecidos em sacrifício pelo pecado, e cujo sangue foi levado ao santuário para fazer o rito de expiação, serão levados para fora do acampamento e serão queimados com fogo sua pele, sua carne e seus excrementos. 28 Aquele que os queimar deverá lavar as vestes, banhar seu corpo com água, e somente depois disso poderá retornar ao acampamento.

- A festa anual das expiações.


29 Eis, portanto, para vós um decreto perpétuo: No décimo dia do sétimo mês, humilhareis vossas almas, jejuareis e não fareis trabalho algum, tanto o natural da terra como o estrangeiro que habita no meio de vós. 30 Porquanto nesse dia se realizará o rito de expiação por vós, a fim de vos purificar. Ficareis puros de todos os vossos pecados, diante de Yahweh. 31 Será para vós Shabbãth, um momento sabático de descanso total, para constrangimento de vossas almas e para jejum. É, pois, uma lei perpétua! 32 O sacerdote que tiver recebido a unção e a investidura, para oficiar em lugar de seu pai, realizará o ritual da expiação. Colocará as roupas de linho puro, as vestes sagradas; 33 fará expiação pelo Lugar Santíssimo, pela Tenda do Encontro, pelo altar sagrado, por todos os sacerdotes e por todo o povo da assembleia! 34 Isso será para vós uma lei perpétua; uma vez por ano se celebrará o rito de expiação por todos os pecados dos israelitas!” E fez-se tudo conforme Yahweh, o Eterno, havia ordenado expressamente a Moisés.

Levítico 17  King James Atualizada

- Leis referentes à matança de animais.


1 Então o SENHOR Deus disse a Moisés: 2 “Fala a Arão, a seus filhos e a todos os filhos de Israel. Tu lhes dirás: Isto é o que ordena Yahweh: 3 Todo homem da casa de Israel que, no acampamento ou fora dele sacrificar um boi, um cordeiro ou um cabrito, 4 sem o trazer à entrada da Tenda do Encontro, para fazer dele uma oferenda ao SENHOR, diante do seu Tabernáculo, tal homem responderá pelo sangue derramado e será eliminado do meio do povo. 5 Desse modo, os sacrifícios que os filhos de Israel agora fazem em campo aberto passarão a realizar ao SENHOR, entregando-os ao sacerdote, a fim de oferecê-los ao SENHOR, à entrada da Tenda do Encontro, e os apresentarão como sacrifícios de comunhão. 6 O sacerdote aspergirá o sangue no altar do SENHOR, à entrada da Tenda do Encontro, e queimará a gordura como aroma agradável ao SENHOR. 7 Não oferecerão mais sacrifícios aos ídolos em forma de bode, aos quais prestam culto imoral. Isso é uma lei perpétua para eles e para todos os seus descendentes!

8 E dirás ainda a eles: Todo homem da casa de Israel, ou todo estrangeiro residente no meio de vós, que oferecer um holocausto ou um sacrifício 9 sem o trazer à entrada da Tenda do Encontro, para o oferecer a Yahweh, esse homem será exterminado do seu povo.

- A proibição de se comer sangue.

  Nas recomendações do concílio em Jerusalém da Igreja dos Atos, a proibição de se comer  o sangue de animais continuou em vigor. (Atos 15.20)



10 Todo homem da casa de Israel ou todo estrangeiro residente entre vós que comer sangue, qualquer que seja a espécie de sangue, Eu me voltarei contra esse que comeu sangue e o exterminarei do meio do seu povo. 11 Porque a vida da carne está no sangue. E esse sangue Eu o tenho dado a vós, para cumprirdes o ritual de expiação sobre o altar, pelas vossas vidas; pois é o sangue que faz expiação pela vida. 12 Essa é a razão pela qual Eu ordeno aos filhos de Israel: Nenhum dentre vós comerá sangue e o estrangeiro que habita no meio de vós também não comerá sangue! 13 Qualquer pessoa, filho de Israel ou estrangeiro residente entre vós, que caçar um animal ou ave que é permitido comer, deverá derramar seu sangue e recobri-lo com terra.

14 Pois a vida de toda carne é o sangue. Por isso eu ordenei aos filhos de Israel: Não comereis o sangue de carne alguma, pois a vida de toda carne é o sangue, e todo aquele que o comer será exterminado! 15 Toda pessoa, cidadão ou estrangeiro, que comer um animal morto ou dilacerado, deverá lavar suas vestes e banhar-se com água; ficará impuro até a tarde, e depois ficará puro. 16 Mas se ele não as lavar e não banhar seu corpo, carregará o peso da sua culpa!
Levítico 18  King James Atualizada

- Casamentos ilícitos.


1 O SENHOR Deus mandou Moisés 2 comunicar aos filhos de Israel o seguinte: “Eu Sou Yahweh vosso Deus. 3 Não procedereis como se faz na terra do Egito, onde vivestes; não procedereis de acordo com o costume da terra de Canaã, para onde vos conduzo. Não seguireis suas práticas, 4 mas andareis segundo minhas normas e guardareis meus estatutos e por eles vos conduzireis. Eu Sou Yahweh vosso Deus. 5 Guardareis meus estatutos e minhas normas: quem os cumprir encontrará neles a vida! Eu Sou Yahweh.

6 Nenhum de vós se envolverá sexualmente com sua parenta próxima. Eu Sou o SENHOR. 7 Não descobrirás a nudez do teu pai, nem a nudez da tua mãe. É tua mãe, e tu não descobrirás sua nudez. 8 Não terás relações sexuais com qualquer outra mulher que pertença a teu pai, porquanto isso desonraria teu próprio pai. 9 Não descobrirás a nudez da tua irmã, quer seja filha de teu pai ou filha de tua mãe. Quer seja ela nascida em casa ou fora dela, não te envolvas sexualmente com ela. 10 Não descobrirás a nudez da filha do teu filho (neta); nem a nudez da filha da tua filha. Pois a desonra delas seria tua própria desonra. 11 Não descobrirás a nudez da filha da mulher de teu pai, gerada por teu pai. Porquanto é tua irmã por aliança, e não deves desonrá-la. 12 Não descobrirás a nudez da irmã de teu pai (tia), pois que também é carne de teu pai. 13 Não descobrirás a nudez da irmã de tua mãe (tia), pois é a própria carne de tua mãe. 14 Não descobrirás a nudez do irmão de teu pai (tio); não te aproximarás, pois, de sua esposa, visto que é a mulher de teu tio. 15 Não descobrirás a nudez de tua nora. É a mulher de teu filho e não descobrirás a nudez dela. 16 Não descobrirás a nudez da mulher de teu irmão (cunhada), pois é a própria nudez de teu irmão. 17 Não descobrirás a nudez de uma mulher e a da sua filha (enteada); não tomarás a filha de seu filho, nem a filha de sua filha, para lhes descobrir a nudez. Elas são tua própria carne: são parentes próximos e isso seria um incesto. 18 Não tomarás para o teu harém uma esposa e, ao mesmo tempo, a irmã dela (cunhada), descobrindo a nudez desta, estando tua esposa ainda viva.

- Uniões abomináveis.


19 Não te aproximarás de uma mulher, para descobrir sua nudez, durante o período impuro da menstruação. 20 Não te deitarás com a mulher do teu próximo, para que não te tornes impuro com ela. 21 Não entregarás teus filhos para serem sacrificados no fogo ao deus Moloque. Ora, isso seria profanar o santo Nome do SENHOR Deus. Eu Sou Yahweh! 

22 Não te deitarás com um homem como se deita com uma mulher (homossexualismo). 
Isso é abominável!  

23 Não te deitarás com animal algum; tu te tornarias impuro. A mulher não se entregará a um animal para se juntar a ele. Isso é igualmente uma impureza.

- Os povos de Canaã (descendência do neto de Noé que foi amaldiçoado -Gênesis 9.25) eram devassos sexuais. Por isso herdaram a maldição do ascendente. 


24 Não vos torneis impuro com nenhuma dessas práticas: foi por elas que se tornaram impuras as nações que expulso de diante de vós. 25 Até a própria terra tornou-se toda impura, Eu castiguei sua iniquidade e ela vomitou seus habitantes. 26 Vós, porém, guardareis meus estatutos e minhas orientações e não cometereis nenhuma dessas abominações, nem o israelita natural da terra, nem o estrangeiro que habita entre vós. 27 Porque todos esses atos execráveis foram cometidos pelos seres humanos que habitaram esta terra antes de vós, e a terra tornou-se impura. 28 Contudo, se vós a tornais impura, ela não vos vomitará como vomitou a nação que vos precedeu? 29 Porquanto todo aquele que cometer uma dessas abominações, qualquer que seja, sim, todos aqueles que as cometerem serão extirpados do seu povo. 30 Obedecei, pois, aos meus preceitos e não imiteis os costumes repugnantes praticados antes de vós, nem vos contamineis com a impureza deles. Eu Sou Yahweh, o vosso Deus!


Bíblia King James Atualizada (Português) © 2012 Abba Press. Usado com permissão.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

LEITURA DIÁRIA DA BÍBLIA DIA 11/02/17 - LEVÍTICO 14 E 15.

LEITURA DIÁRIA DA BÍBLIA DIA 11/02/17 - LEVÍTICO 14 E 15.

 Levítico 14   King James Atualizada

A lei acerca do leproso depois de sarado.


1 Então o SENHOR falou a Moisés e disse: 2 “Esta é a lei a ser aplicada às pessoas que sararam da lepra...

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

LEITURA DIÁRIA DA BÍBLIA DIA 09/02/17 - LEVÍTICO 10 E 11.

LEITURA DIÁRIA DA BÍBLIA DIA 09/02/17 - LEVÍTICO 10 E 11.

Levítico 10  King James Atualizada

- NADABE E ABIÚ APRESENTAM FOGO ESTRANHO PERANTE O SENHOR E SÃO FULMINADOS.

1 Nadabe e Abiú, filhos de Arão, pegaram cada um o seu queimador de incenso, colocaram incenso dentro, puseram fogo e o apresentaram a Deus, o SENHOR, como oferta. Contudo, não fizeram isso de acordo com as leis de Deus, e por isso Ele não aceitou a oferta deles. 2 De repente, partiu de diante do SENHOR, uma labareda que os aniquilou, e pereceram ali mesmo, onde Deus estava.

3 Disse então Moisés a Arão: “Foi isso que o SENHOR declarou, quando disse: ‘Aqueles que se aproximam de mim, devem honrar minha santidade, e diante de todo o povo demonstro a minha Glória!’” Arão, contudo, guardou silêncio.

4 Então Moisés convocou Misael e Elzafã, filhos de Uziel, tio de Arão, e ordenou-lhes: “Aproximai-vos e tirai vossos parentes da frente do santuário e levai-os para fora do acampamento!” 5 Eles aproximaram-se e os puxaram pelas túnicas, para fora do acampamento, de acordo com as ordens de Moisés. 6 Disse Moisés a Arão e a seus filhos, Eleazar e Itamar: “Não desgrenheis os vossos cabelos e não rasgueis as vossas vestes em sinal de luto, para que não morrais também; e a ira do SENHOR se levante contra toda a comunidade. Contudo, vossos parentes e todo o povo de Israel poderão prantear por aqueles que o SENHOR destruiu por meio do fogo. 7 Não deixeis a entrada da Tenda do Encontro para que não morrais, visto que fostes ordenados com bálsamo sagrado da unção!” E eles fizeram tudo conforme Moisés lhes ordenara.

- LEMBRANÇA DA PROIBIÇÃO DO SACERDOTE MINISTRAR APÓS TER TOMADO BEBIDAS ALCOÓLICAS. (teria sido este o pecado de Nabade e Abiú?)
- Hoje não podemos nos apresentar perante o Senhor de forma relaxada, pois Ele não nos aceitará.

8 Depois o SENHOR falou a Arão e orientou-o: 9 “Quando vierdes à Tenda do Encontro, tu e teus filhos contigo, não bebais vinho nem bebida fermentada: isso para que não morrais. Essa é uma lei perpétua para todos os vossos descendentes. 10 E isso sempre que tiverdes de separar o sagrado e o profano, o impuro e o puro, 11 e quando ensinardes aos filhos de Israel todos os preceitos que o SENHOR estabeleceu para vós, por intermédio de Moisés!”

- DAS PORÇÕES DOS SACERDOTES

12 Moisés disse a Arão e a seus filhos sobreviventes, Eleazar e Itamar: “Tomai a oblação, a oferta de cereal, que sobrou das ofertas dedicadas ao SENHOR, preparadas no fogo, e comei-a sem fermento junto ao altar, porquanto é santíssima. 13 Comê-la-eis no lugar sagrado: é a parte estabelecida, para ti e para teus filhos, das oferendas queimadas ao SENHOR; assim, pois, me foi ordenado. 14 O peito ritualmente movido e a coxa ofertada, tu, teus filhos e tuas filhas contigo, podereis comer num lugar cerimonialmente puro; essa porção foi concedida a ti e a teus filhos como parte das ofertas de comunhão dos filhos de Israel. 15 A coxa de tributo e o peito de apresentação que acompanham as gorduras queimadas te pertencem, a ti e a teus filhos contigo, depois de terem sido oferecidos em gesto ritual de apresentação diante do SENHOR; isso em vista da lei perpétua, conforme ordenou o SENHOR!”

16 Depois Moisés inquiriu diligentemente, por toda parte, sobre o bode da oferta pelo pecado e descobriu que já fora queimado. Ao saber disso, irritou-se contra Eleazar e Itamar, os filhos que ficaram vivos, e interrogou: 17 “Por que não comestes a carne da oferta pelo pecado no Lugar Santo? É coisa santíssima que vos foi concedida para remover a culpa da comunidade, fazendo sobre ela o rito da expiação diante do SENHOR. 18 Visto que o sangue dela não foi levado para o interior do santuário, ali devíeis comer a carne conforme ordenei!” 19 Então Arão ponderou a Moisés: “Eis que eles ofereceram hoje seu sacrifício pelo pecado e seu holocausto diante do SENHOR! Contudo, e essas coisas que se passaram comigo? Será que teria agradado ao SENHOR se, hoje, eu tivesse comido a oferta pelo pecado?” 20 Moisés ouviu essa explicação e pareceu-lhe razoável.
Levítico 11  King James Atualizada

- LEIS SOBRE OS ANIMAIS LIMPOS E OS IMUNDOS

- Animais da terra:
1 Então disse o SENHOR Deus a Moisés e a Arão: 2 “Orienta, pois, os filhos de Israel: De todos os animais que vivem na terra, estes são os que podeis comer: 3 Todo animal que tem casco fendido e dividido em duas unhas, e que rumina. 4 São as seguintes espécies das quais não podereis vos alimentar, dentre aqueles que ruminam ou mesmo que têm casco dividido: Tereis, portanto, como impuro o camelo porque, embora sendo ruminante não tem o casco fendido; 5 tereis como impuro o coelho porque, embora sendo ruminante, não tem o casco fendido; 6 tereis como impura a lebre porque, embora sendo ruminante, não tem o casco fendido; 7 tereis como impuro o porco porque, apesar de ter o casco fendido, partido em duas unhas, não rumina. 8 Não comereis da carne deles nem tocareis seu cadáver, e vós os tereis como impuros.

- Animais que vivem nas águas:
9 Dentre tudo aquilo que vive na água, podereis comer o seguinte: Tudo o que tem barbatanas e escamas e vive na água dos mares e dos rios podereis comer. 10 Contudo, todos os animais que não têm barbatanas e escamas, nos mares e nos rios, todos os animaizinhos que infestam as águas e todos os seres viventes que nela se encontram, vós os tereis como imundos. 11 Serão para vós imundos, não comereis sua carne de modo algum e abominareis seus cadáveres. 12 Tudo o que vive na água sem ter barbatanas e escamas será para vós imundo.

- Das aves e animais voadores:
13 Dentre as aves, tereis por imundas e não comereis delas, pois são impuras, as seguintes: as águias, os urubus, as águias marinhas, 14 os açores, os falcões, 15 qualquer espécie de corvo, 16 as corujas, as gaivotas, as avestruzes e qualquer espécie de gavião; 17 os mochos, os corvos-marinhos, as íbis, 18 as gralhas, os pelicanos, os abutres, 19 as cegonhas, as garças, as poupas e também qualquer espécie de morcego.

- Dos insetos
20 É também impuro todo inseto que anda e que voa; 21 mas podereis vos alimentar dos insetos que têm pernas que saltam. 22 Podereis comer, portanto, toda espécie de gafanhotos e grilos. 23 Mas todos os outros insetos que enxameiam, que têm asas e se movem pelo chão com quatro pés, vós os tereis como imundos e proibidos a vossa alimentação.

24 Contraireis a impureza deles; todo aquele que tocar seu cadáver ficará igualmente imundo até a tarde. 25 Todo aquele que transportar seu cadáver deverá lavar suas vestes e ficará impuro até o pôr do sol. 26Quanto aos animais que têm casco, porém não dividido, e que não ruminam, vós os considerareis impuros; todo aquele que os tocar ficará imundo. 27Todos os animais de quatro patas que caminham sobre a planta dos pés serão para vós impuros; todo aquele que tocar seu cadáver ficará igualmente impuro até a tarde, 28e todo aquele que transportar seu cadáver deverá lavar as vestes e ficará impuro até o pôr do sol. Esses animais são considerados impuros para vós.

- Dos roedores e répteis.
29 Dentre os animais que se arrastam pelo chão, são os seguintes os que considerareis imundos: todas as espécies de ratos, toupeiras, lagartos grandes, crocodilos, 30 lagartos da areia, lagartos pintados, lagartixas, camaleões. 31 Dentre todos os répteis, esses são aqueles que considerareis impuros. Todo aquele que os tocar quando estiverem mortos ficará imundo até o pôr do sol. 32 Todo objeto sobre o qual cair um deles, estando morto, torna-se impuro: todo utensílio de madeira, veste, couro, saco, enfim, qualquer utensílio. Será imerso em água e ficará impuro até a tarde; depois voltará a ficar puro. 33 Toda vasilha de argila na qual for depositado ou cair um deles, ou ainda parte de seus corpos, deverá ser quebrada; seu conteúdo tornou-se, portanto, absolutamente impuro. 34Todo alimento que se come será impuro, ainda que seja só umedecido com essa água; e toda bebida que se bebe, qualquer que seja, se tornará impura em contato com essa vasilha. 35 Tudo aquilo sobre o qual for depositado ou cair um de seus cadáveres, ou mesmo parte de seus corpos, será considerado imundo; forno e estufa serão destruídos, pois tornaram-se igualmente impuros e serão proibidos para vós. 36 Mas se cair numa fonte ou numa cisterna onde se recolhe água em grande quantidade, ela permanece pura; entretanto, quem tocar no cadáver ficará também imundo. 37 Se algum dos seus cadáveres cair sobre uma semente qualquer, permanecerá pura; 38 porém, se o grão foi umedecido com água e um dos seus cadáveres cair sobre ele, vós os tereis por impuro.

- Dos animais que servem de alimento, mas que morreram por outros motivos:
39 Se morrer um dos animais que vos servem de alimento, quem tocar seu cadáver ficará impuro até a tarde; 40 quem comer da sua carne deverá lavar suas vestes e ficará imundo até à tarde; quem transportar seu cadáver deverá lavar suas vestes e ficará também impuro até a tarde.

Dos animais que se arrastam pelo chão.
41 É, portanto, proibido comer qualquer animal que se arrasta pelo chão; esses animais são impuros. 42 Tudo que se arrasta sobre o ventre, quer caminhe sobre patas ou com o auxílio de muitos pés, enfim, todos os animais que se movem rente ao chão, vos são proibidos como alimentos, pois são imundos. 43 Não vos torneis vós mesmos, imundos, com todas essas espécies de répteis que andam de rasto, não vos contamineis em contato com eles e não sejais contaminados ao vos alimentardes deles. 44 Porquanto Eu Sou Yahweh, o vosso Deus. Fostes santificados e vos tornastes santos, pois que Eu Sou santo; não vos torneis, portanto, impuros com todos esses animais que rastejam sobre o pó da terra. 45 Sou Eu, Yahweh, que vos fiz subir da terra do Egito para ser o vosso Deus: sereis, portanto, santos. Porque Eu Sou santo!

46 São essas as leis a respeito dos animais e das aves, de todos os animais que vivem na água e de todos os animais que se arrastam sobre o pó da terra. 47 Fareis, portanto, a devida separação entre o que é impuro e o que é puro, entre os animais que são próprios para servir de alimento e os que são impróprios!”


Bíblia King James Atualizada (Português) © 2012 Abba Press. Usado com permissão.

Bible Hub